E você de que lado está?

A emissora de TV norte americana CNN (New Day) apresentou recentemente o ex-presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Newt Gingrich. Ele discutiu a proposta de Barack Obama para combater o grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque. E julgando pela sua resposta, pensa que o Obama não está reconhecendo que o problema é o “Islã radical”.  

“Ninguém quer falar a verdade”, reclamou Gingrich, “A verdade é que este é um grupo islâmico radical. Eles dizem abertamente que se você não se converter ao Islã irão matá-lo. Acontece que eles realmente levam a sério. Não há nenhuma complexidade… O presidente não poderia mesmo honestamente descrever o grupo terrorista Estado Islâmico ontem à noite, porque vai contra sua ideologia”. 

Newt Gingrich está absolutamente certo. De fato, ninguém em Washington está disposto a falar honestamente sobre os motivos, objetivos e crenças de um grupo terrorista como o Estado Islâmico. Todo o establishment político de Washington comprou a idéia que tem sido assiduamente empurrada por grupos como o Conselho de Relações Americano-Islâmicas (CAIR) que é ligado ao Hamas há anos, ou seja:  

“Falar honestamente sobre essas questões constitui “ódio” e “fanatismo” (islamofobia), e todos com apenas um punhado de notáveis ​​exceções, se acovardaram e se juntaram ao rebanho.  

As futuras gerações de pessoas livres, se é que existirão futuras gerações de pessoas livres, vão olhar para trás e ver a classe política de hoje com nada além de desprezo.” Gingrich-300x196

 

 

 

 

Fonte: Robert Spencer Jihad Watch http://buff.ly/1pgJQzZ

Apropriação tem sido uma constante na história do Islã.  Esses dias, o grupo terrorista Estado Islâmico (IS) expulsou uma comunidade Cristã de mais de 1600 anos de existência da cidade de Mosul no Iraque e como de costume se apropriaram dos pertences de mais de 1500 famílias cristãs.  O grupo também ordenou recentemente a mutilação genital feminina para mulheres de 11 a 46 anos de idade no Iraque (Mosul), mas ainda não confirmado.  

A UN Office está investigando o caso.

mutilação genital feminina

 

 

 

 

 

Fonte: Jihad Watch http://buff.ly/1rSy5QE      

Essas práticas ocorrem no regime islâmico. http://buff.ly/1rEaVxs

Um jihadista do grupo terrorista Estado Islâmico anunciou alguns dias atrás seu casamento com uma criança (visivelmente aterrorizada) de 7 anos da cidade conquistada na Síria. Esse casamento reflete o profeta Muhammad que casou com Aisha quando ela tinha apenas 6 anos, consumando a relação quando ela completou 9 anos. Leia o artigo (em inglês) http://buff.ly/1mq7kxq

IS marriage De acordo com as Nações Unidas (Genebra), mais de 130 milhões de mulheres e meninas foram vítimas de mutilação genital feminina (FGM) para não terem prazer sexual e mais de 700 milhões de mulheres vivas hoje eram crianças quando casaram.                         Estupram mulheres cristãs e obrigam a se casarem com muçulmanos.

A maioria das pessoas não tem noção da quantidade de gente decapitada, crucificada entre outras barbáries pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

“Eles estão sistematicamente decapitando as crianças, suas mães e seus pais. O mundo não tem visto algo tão satânico assim por gerações.  Existe de fato um parque em Mosul no Iraque em que os terroristas do Estado Islâmico (IS) realmente decapitaram crianças e colocaram as cabeças nas pontas das varas”. National spokesman for Iraqi Christians and Chaldean-American businessman, Mark Arabo, http://buff.ly/1oRQgWd

A meta do Islã é o domínio mundial 
com a instalação da lei Sharia 
em todos os países, 
ou seja, o Califado Global. 
Esse é o  grande objetivo do profeta Muhammad e está escrito no Alcorão.

Esse pacote inclui mutilação genital feminina, decapitação, fim da liberdade de expressão, da liberdade de consciência e pensamento, fim dos direitos iguais a todos e muito, muito mais. Em poucas palavras, é o anticristo em ação. Não acredita? É melhor você mudar de ideia… O levante islâmico já está acontecendo em vários países.  O mapa abaixo, produzido pelo Estado Islâmico (IS), mostra em preto as regiões que deverão ser ocupadas em 5 anos de acordo com os terroristas. Veja a Espanha (Andalus) por exemplo… mapa isis                                                                                                                              

Londres vive seus últimos anos de liberdade de acordo com Robert Spencer.  A Inglaterra ofereceu ajuda aos Estados Unidos no combate ao grupo terrorista Estado Islâmico, mas com receio de uma revolta da comunidade islâmica que vive no país limitou as ações a suporte como combustível e ajuda humanitária por enquanto.

A Suécia está à beira de uma guerra civil por causa do Islã. A Noruega está em alerta máximo para um eminente ataque terrorista islâmico. A China tem sofrido atentados violentos provenientes do radicalismo islâmico e assim por diante.

Um caos mundial e só se fala nisso.  O Islã é um empreendimento paramilitar totalitário e, portanto não é pacifico.  

Muhammad é visto como o Senhor da Guerra e o Anticristo.  102626633-the-islamic Existem dois tipos de jihad (guerra). A guerra propriamente dita através dos ataques terroristas envolvendo morte e a Stealth Jihad, ou seja, a guerra invisível. Essa segunda modalidade, tão intensa quanto à primeira, se caracteriza pela penetração na política através das associações islâmicas como acontece nos Estados Unidos; pela imposição da cultura islâmica nas sociedades para onde migram (propaganda islâmica); pela imposição do ensino islâmico nas escolas etc.

Ex: interrupção do trânsito para reza coletiva em plena luz do dia. Isso acontece em Londres, Suécia entre outros; proibição de carne de porco nas escolas porque é proibido no Islã; proibição de bebida alcoólica; cigarro; mulher muçulmana não pode ser fotografada sem o lenço (véu) na cabeça e isso é um problema para obter a carteira de motorista e nesse caso o sistema é que tem que se adaptar a cultura islâmica oque é errado. Aos poucos vão impondo, vão transformando, vão ameaçando, vão proibindo etc. 

Muçulmanos param as ruas de Londres para rezar. Policial Inglês nada pode fazer.

EnglandMuslimsPrayOnStreetHP Isso é um absurdo e Londres já está pagando um preço alto por terem deixado o Islã prosperar no país.

Centenas de terroristas do Estado Islâmico (no Iraque) com passaporte Inglês já disseram que retornarão a Londres para tomar de vez a cidade. Não acredita? Parte desses terroristas são ingleses, franceses entre outros e esse é o tema que mais preocupa os países europeus nesse momento. StreetsofLondon

 

 

   

 

 

 

E  obviamente, a infiltração na política com o intuito de trocar a constituição local pela Sharia (lei islâmica).

anti-islam-film-protests-reaches-london_2 Tradução: “Os seguidores de Muhammad irão conquistar a América”. Em outras palavras, ao invés de se adaptarem ao sistema do país para onde migram, o país que os recebe é que tem que se adaptar a eles. Não existe adequação social religiosa, tudo é imposição. Todos tem que atender aos “caprichos” e as vontades muçulmanas. Entendem que o mundo pertence aos muçulmanos e por isso não irão parar se não forem confrontados. 

No Brasil, 
a liderança do PT (Lula/Dilma)e seus aliados 
alinharam o Brasil com a elite 
do terrorismo islâmico mundial 
de forma irresponsável. 

 Lula - cúpula da Uniao Africana

 

 

 

 

 

Durante  a Cúpula da União Africana o ex-presidente Lula se referiu ao falecido terrorista e ditador Líbio Colonel Gaddafi como seu “irmão, amigo e líder“. E de fato, o Brasil está tão alinhado que até o  líder do Hamas agradeceu recentemente a Presidente Dilma pelo apoio contra Israel.  Esse apoio constrange o país, pois aqui vivem 110.000 judeus que além de serem nossos amigos contribuem muito com a nação brasileira.                                                            

E ainda por Israel ser vítima de perseguição injustificável por parte do Islã há 14 séculos ou simplesmente porque o profeta Muhammad não gostava de judeus. 

Não há mais segredos no Alcorão e o resultado (ou reflexo) dos ensinamentos de Muhammad pode ser visto na mídia internacional todos os dias. 

pb-121208-gaza-hamas-05.photoblog900 As crianças aprendem a odiar os judeus e a se martirizarem por Muhammad por volta dos 5 anos de idade. Observe o líder do Hamas, Khaled Meshaal, apertando a mão do menino e perceba o sorriso, o incentivo para que a criança sirva em nome de Allah e de Muhammad para matar judeus sem uma única justificativa sequer. Enquanto a guerra explode em Gaza a Khaled Meshaal, de acordo com a imprensa, vive no Qatar hospedado num hotel de luxo.

Recomendo o vídeo a seguir:

O Islã precisa mudar ou não irão viver em paz, e não somos nós, os não muçulmanos, que estão criando problemas para os muçulmanos e sim os ensinamentos do próprio profeta Muhammad.  

Uma cultura é bem vinda quando contribui com a sociedade.                 Entretanto, um empreendimento paramilitar totalitário disfarçado de religião, que se aproveita da ingenuidade da sociedade que os recebe, com o intuito de dominar e escravizar a população representa o que há de pior na raça humana.

A Presidente Dilma registrou na ONU o seu mais veemente repúdio à escalada de preconceito islamofóbico em países ocidentais. Isso demonstra total falta de compromisso com a segurança da sociedade brasileira o que  dá margens a suposição de que há interesses escusos envolvidos na questão.

Não é possível que um líder não saiba com quem está lidando e nesse caso específico com o terrorismo islâmico.  

Islamofobia é uma palavra inventada para você não criticar o Islã. Não criticar o Islã é se render ao Islã.                                             Consequentemente, isso prova que algo está errado e que precisa ser criticado.

A liderança Islâmica mundial (o Irã, por exemplo) vê o Brasil como um aliado que em muito pouco tempo se transformará na “República Islâmica do Brasil”. 

Não acredita? Eu entendo, mas não duvide, pois já estamos bem próximos desse cenário. Já se fala no PIB (Partido Islâmico do Brasil).  Pergunta ao Lula e o seu filho, o Lulinha. Eles devem estar muito bem informados já que são “dhimmies” (submissos) dessa turma. 

Diplomatas iranianos com isenção de visto por 30 dias em todo território nacional é suicídio e isso me impressiona muito.

Isso é pura subserviência e a sociedade brasileira vai pagar muito caro.  Lula e Ahmadinejad Entretanto, o Brasil não vai tolerar o Islã (de Muhammad) no território nacional, pois os ensinamentos do profeta são sim uma ameaça aos 123 milhões de cristãos, 110.000 judeus, budistas, afro-brasileiros, umbandistas, espíritas, ateus, gays, índios entre muitos outros que não se converterem ao islamismo. 

O mundo está totalmente confuso porque o que realmente deveria estar sendo dito e discutido é encoberto.  

É típico, dos colunistas alinhados com Islã criticarem um conflito dessa natureza com artigos tendenciosos como o colunista do jornal O Globo Rasheed Abou- Alsamh o faz. 

Pra quem não conhece, o que está por trás do conflito, se entrega aos artigos do colunista, pois a impressão que passa é a de que Israel é o grande monstro responsável pelas mortes dos civis palestinos.

O artigo ”Israel deveria aceitar as demandas do Hamas” escrito pelo colunista só serve para confundir a opinião pública.  

O colunista foi criticado recentemente pelo novo Embaixador de Israel no Brasil e por mim por distorcer a realidade.   Inverter as posições do conflito não resolve o problema e sim o agrava. 

O colunista responde ao Embaixador dizendo que não está incentivando o ódio a Israel e que “o Estado Judeu, com sua chacina dos palestinos em Gaza, está fazendo isso ele mesmo”. 

Os terroristas do Hamas 
obrigam a população a servir de escudo
 e isso poder ser visto em vídeos. 
Isso é fato. 

 

De acordo com o colunista, ”Israel deveria aceitar as demandas do Hamas”. Vide http://buff.ly/1zqBZmw                                                                    Vamos analisar as frases seguintes do artigo do colunista:

  1. “… nenhum país admitiria ficar desarmado e à mercê do antigo inimigo, que comanda o sexto maior Exército do mundo.”
  2. “Em troca, o Hamas promete cessar qualquer hostilidade contra Israel pelos próximos dez anos.”

Vamos aos livros sagrados do Islã escritos há 14 séculos para entendermos melhor esses dois pontos retirados das frases do colunista Rasheed Abou-Alsamh:                                              

  Bukhari 52:177 :
O Apóstolo de Allah disse, 
"A Hora não será estabelecida 
até que você lute com os judeus, 
e a pedra atrás da qual um judeu 
estará escondido vai dizer.
"O muçulmano! 
Há um judeu escondido atrás de mim, 
venha matá-lo".
Alcorão 98:6 – 
“Honestamente falando, aqueles que não crêem 
(na religião Islâmica, no Alcorão 
e no Profeta Muhammad) entre eles 
o Povo do Livro (Judeus e Cristãos) 
e demais descrentes, 
terão que aceitar o Fogo do Inferno. 
Eles são as piores criaturas”. 
Sahih Al-Bukhari 2794: 
Por ele, que em suas mãos minha alma está! 
Eu gostaria de ser martirizado 
pelas Causas de Alá 
e então retornar a vida 
para ser de novo martirizado, 
e de novo voltar a vida 
e de novo ser martirizado 
para de novo voltar a vida 
para de novo ser martirizado". 

Continuando a análise… Robert Spencer no seu livro “A verdade sobre Muhammad” relata na página 139 sobre o Tratado de Hudaybiyya  (escrito no ano 628), que:

“A quebra do tratado (de paz) desta maneira, reforçaria o princípio de que nada foi bom 
exceto o que era vantajoso para o Islã; 
e de que nada foi mal, exceto 
o que dificultou o Islã. 
Uma vez que o tratado ou acordo de cessar fogo, foi formalmente descartado, 
os juristas islâmicos enunciaram 
o princípio de que, as tréguas em geral 
só poderiam ser concluídas 
com base temporária em até dez anos 
e só celebradas com a finalidade 
de permitir que as forças muçulmanas enfraquecidas pudessem reunir 
forças para lutar novamente, 
e com mais eficácia.”  

De acordo com o colunista… “Em troca, o Hamas promete cessar qualquer hostilidade contra Israel pelos próximos dez anos”. Ou seja, dez anos para o Hamas se reequipar e tudo voltar ao normal para destruir o Povo do Livro. Tudo igual como há 14 séculos e como manda Muhammad, até conseguir exterminar o povo judeu de vez da face da terra, o que não vai acontecer.

E por último, a frase “à mercê do antigo inimigo?                                       Quem se atreve a dizer por escrito que os não muçulmanos são as piores criaturas e que terão de aceitar o Fogo do Inferno?                       Reposta: O profeta Muhammad

Portanto, não existe “o antigo inimigo”, Israel atacou porque foi obrigado a se defender e todo mundo sabe disso. Todo mundo sabe também que não é a “Ocupação e sim o Islã”, insistindo na destruição do “Povo do Livro” e consequentemente no Califado Global.  

Eis aqui o artigo do Embaixador Rafael Eldad e o  meu:

  1. “Nós só buscamos a paz” do Embaixador de Israel Rafael Eldad – Jornal O Globo http://buff.ly/1pwQ5eM
  2. “A deturpação do Boko Haram” http://buff.ly/1rSHBUb
 O historiador, filósofo pioneiro 
e jurista teórico, Ibn Khaldun (1332-1406), observou em seu famoso “Muqaddimah”, 
a primeira obra de teoria histórica que:  

“Na comunidade muçulmana, 
a guerra santa é um dever religioso, 
por causa do universalismo da missão muçulmana 
e (da obrigação de) converter 
a todos ao Islã 
ou pela persuasão ou pela força".

"Fonte: Robert Spencer / Jihad Watch: http://buff.ly/1pkLBIb
 Como sempre digo, 
embora pense diferentemente 
do povo judeu, 
estou do lado de Israel, 
da civilização, da democracia, 
da liberdade de expressão, 
da liberdade de consciência 
e dos direitos iguais para todos.

              E você de que lado está?               

   

Anúncios

Uma opinião sobre “E você de que lado está?”

Os comentários estão desativados.