Sobre o Islã do Ali Kamel – Parte II

Continuando…

Existe algum controle ou filtro 
por parte da mídia 
proveniente de grupos ou indivíduos interessados 
em preservar a imagem do Islã no Brasil? 

3 – É típico dos colunistas alinhados com o Islã criticarem um conflito com artigos tendenciosos como o colunista do jornal O Globo Rasheed Abou- Alsamh o faz:

O colunista foi criticado recentemente pelo então Embaixador de Israel no Brasil Rafael Eldad e por mim por distorcer a realidade. Inverter as posições do conflito não resolve o problema e sim o agrava. O colunista responde ao Embaixador dizendo que não está incentivando o ódio a Israel e que “o Estado Judeu, com sua chacina dos palestinos em Gaza, está fazendo isso ele mesmo”.  Nada mais fora da realidade… Eis aqui os artigos:

  1. Nós só buscamos a paz” do Embaixador de Israel Rafael Eldad – Jornal O Globo http://buff.ly/1pwQ5eM
  2. A deturpação do Boko Haram” http://buff.ly/1rSHBUb

Num recente artigo (19/09/2004) intitulado “A luta contra o EI (Estado Islâmico) pode ser sustentada?” o jornalista Rasheed Abou-Alsamh se expressa em tom de “vítima” e repete o mesmo mantra: “Sonhamos com o dia em que seremos capazes de nos defender de tais arengas horríveis que distorcem totalmente a mensagem do Islã, a fim de atrair os necessitados e vulneráveis. A ideologia do Estado Islâmico é realmente uma das mais horríveis que já surgiram na região…”.

Ninguém está distorcendo a mensagem do Islã, o Islã é que está fazendo isso com ele mesmo através do Alcorão e do profeta Muhammad. O tempo que ninguém conhecia a forma do Islã operar acabou. Gente séria contemporânea já captou e decifrou as estratégias e o que é dito nos livros sagrados do Islã.

As pessoas tem respeito pelo Islã mas, ficam assustadas quando veem esse universo de perto. Portanto, não é culpa das pessoas se os Islã produziu monstros como o ISIS e se obrigam as comunidades em que vivem,  Londres como exemplo, a obedecerem os seus hábitos como rezar nas ruas, proibição de carne de porco, mutilação genital feminina, chicotadas em gays etc. E ainda ter a audácia de dizer publicamente que a Sharia vai dominar a Inglaterra e o mundo.

images (2)

 

Alcorão: 9:111
“Deus cobrará dos fiéis 
o sacrifício de seus bens e pessoas, 
em troca do Paraíso. 
Combaterão pela causa de Deus, 
matarão e serão mortos”.

Por que então insistem em alimentar essa ideia esdrúxula de que o Islã não é intrinsecamente violento? O próprio profeta Muhammad disse que tudo que conseguiu foi através do terror. Decapitou muita gente além de muitas outras barbáries.

A morte de Muhammad, envenenado por uma judia é um assombro. O profeta massacrou a comunidade e a família de uma judia. Resumindo, ela deu o troco, através de um pedaço de carne envenenada levando o profeta à morte depois de ter sofrido horrores por um longo período de 3 anos.

David Wood conta no vídeo a seguir, de forma muita humorada mas com toda seriedade, que quem matou Muhammad foi Allah.  Vários versos do Alcorão dizem que se o profeta não agisse de forma digna de um profeta, ele, Allah, cortaria a Aorta (veia) dele. Quando Muhammad estava à beira da morte disse, e isso está no Alcorão, que o veneno havia cortado a Aorta dele. Muhammad morreu humilhado por Allah e envenenado por uma Judia de acordo com David. Concluiu que Allah não era o problema e sim o profeta Muhammad.

Infelizmente o vídeo não apresenta legenda em Português.

4 – O simpaticíssimo colunista Guga Chacra, no Blog do Estadão, por exemplo, e confesso que não sei se é uma postura do Estadão ou do Guga, tem como regra e está escrito no blog, o seguinte texto:

Comentários islamofóbicos, antissemitas, anticristãos e antiárabes ou que coloquem um povo ou uma religião como superiores não serão publicados. Tampouco ataques entre leitores ou contra o blogueiro. 

Em outras palavras, só é aceito aquele que concorda ou que não gera polêmica e isso inibe a liberdade de expressão e de consciência. Tive por vezes vontade de enviar um comentário, mas me senti constrangido e acabei não enviando.

Consequentemente, o Guga pode dizer que o grupo terrorista Boko Haram não representa o Islã e ficar por isso mesmo. Se eu disser que o Boko Haram é sim um grupo terrorista islâmico e segue os ensinamentos de Muhammad não terei o meu comentário publicado.

Estou ofendendo o Guga? Não. E por que iria fazê-lo? Estou expondo outra visão e que deve ser respeitada de acordo com a constituição brasileira. Da mesma forma como tenho que aceitar a visão dele e juntos tentarmos aprender um com o outro ao invés de nos rejeitarmos. Eu entendo que tenha excessos na mídia, tenho visto muitos por sinal e não gosto mas, a minha posição, embora não ofenda ninguém, será vista como islamofóbica.

Talvez você diga que estou ofendendo o Islã. Não estou. O Islã é que está ameaçando as pessoas, a minha família etc.. Tudo o que venho comentando está no blog de pessoas sérias, profissionais que conhecem o assunto a fundo e que não inventam histórias.

Afinal, estamos defendendo o futuro dos meus e dos seus filhos e alertando a sociedade para que juntos possamos investigar sem medo o que realmente está acontecendo nas mesquitas, caso contrário poderemos ver no Brasil o que já está acontecendo na Europa e nos Estados Unidos em breve. Espero que não seja tarde demais.

5 – O Deputado Federal Jean Wyllys por exemplo, um autoproclamado defensor do direito dos homossexuais, ateísta e crítico de religião, até hoje não explica por que a imposição do Ensino Islâmico (propaganda islâmica) nas escolas brasileiras é de extrema urgência.

Questionei o deputado em um artigo no meu blog “Brasil à beira de uma tragédiahttps://tiaocazeiro.wordpress.com/2014/06/09/1815/ e até hoje não obtive resposta, o que eu já esperava que acontecesse da parte dele.

O deputado defende o Ensino Islâmico quando o Islã é totalmente contra a homossexualidade chegando a impor 100 chicotadas como na Indonésia:  http://buff.ly/1upbDxS

lashing

Como pode um deputado, homossexual assumido, apoiar esse absurdo que depõe contra ele mesmo.

Quem está por trás disso tudo? O que acham que o ensino islâmico irá produzir no Brasil? 

O nível de irresponsabilidade no Brasil assusta.

Eis aqui o link para visualizar o projeto de lei e conhecer os autores e seus partidos:   PROJETO DE LEI N.º 1.780, DE 2011

6 – No Post “Brasil à beira de uma tragédia” publicado no meu blog, menciono um artigo da  EXAME.com  que diz o seguinte:

Jacarta: O primeiro programa de empréstimos para a criação de gado em conformidade com a Sharia do Brasil  foi criado pela Abu Dhabi Equity Partners (ADEP) http://buff.ly/ShkWT3

Em “conformidade com a “Sharia do Brasil”????  A Sharia já está legislando no Brasil? Alguém poderia explicar alguma coisa?

Nesse artigo questiono  se seria o ensino islâmico, uma moeda de troca para ampliar o comércio entre o Brasil e países do Oriente Médio?

Seria o ensino islâmico, uma das exigências, para estar em conformidade com a Lei Sharia da crescente indústria multibilionária do mercado “Halal“? Seria esse, o “retorno“?….. Para cumprir com a proibição dos juros estabelecida pela Sharia?

Não sou contra o mercado “Halal” em si, seria estupidez da minha parte, mas com a moeda de troca (Ensino Islâmico/Propaganda Islâmica) que estão empurrando goela abaixo.

“Há mais de US$ 100 milhões em transações de gado e cana-de-açúcar em conformidade com a Sharia do Brasil, na carteira deste ano.  “Disse o sócio-gerente da ADEP, Juan Fernando Valdivieso, no comunicado.”  http://buff.ly/ShkWT3

“O comércio entre o Brasil e os países árabes chegou a US$ 25,9 bilhões em 2012, comparado com US$ 5 bilhões em 2002. A maior economia da América Latina exporta açúcar, carne e grãos e importa combustível do Oriente Médio, segundo a Câmara de Comércio Árabe-Brasileira.” http://buff.ly/YeaVtc

Será que essa turma da foto sabe de alguma coisa?

Featured Image -- 2196

 

lula-vestido-para-cuidar-do-gado-de-Lulinha

Dizem que os muçulmanos “radicais” representam algo em torno de 10% dos 1.6 bilhões de muçulmanos. Ou seja, mais ou menos 160 milhões de muçulmanos “radicais” no planeta.

       Isso é muito, muito sério.

Deve ter muito "Cowboy" por aí sonhando com a "República Islâmica do Brasil".
As pessoas não tem noção 
do tamanho da  tragédia que a 
Lei Islâmica (Sharia) e a Dhimmitude 
podem causar ao Brasil.

Não perca o próximo artigo “O Islã é uma religião pacífica?“. Trata-se de uma entrevista com Robert Spencer gravada em 2003. Você vai ver como é atual e impressionante.

Espero sinceramente ter contribuído com a sociedade brasileira. 

Paz!!!

 

Anúncios