Sobre uma frase citada no jornal O GLOBO…

Foto: reddit.com

Por Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

13 de Outubro de 2014

O artigo a seguir é um comentário 
sobre uma frase citada 
no jornal O GLOBO. 
Não representa uma crítica 
ao jornal ou a matéria divulgada.

O Jornal O GLOBO publicou hoje (13/10/2014) na página 26 (Mundo) uma matéria sobre um triplo atentado no Iraque, reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (ISIS)  que matou 58 pessoas.

Eis a frase:

“O grupo (ISIS) é conhecido 
pela intolerância religiosa, 
que não aceita 
nenhuma interpretação do Islã 
diferente da sua.”

Vamos imaginar a seguinte manchete na primeira página do Jornal:

“Três Muçulmanos homens-bomba 
comandados pelo Estado Islâmico (ISIS) 
explodem a estátua do Cristo Redentor 
matando dezenas de turistas e brasileiros.”

cristo redentor 3

Agora imagina o seguinte:

Suponha que a sua mulher e o seu filho, 
por exemplo, estivessem 
no Cristo Redentor na hora do atentado. 
Você culparia o Islã ou 
o grupo terrorista Estado Islâmico (ISIS)? 
É exatamente isso 
que o mundo discute hoje em dia.
“O grupo terrorista Estado Islâmico (ISIS) 
é ou não é Islâmico?”.
A frase que estamos discutindo, 
citada no jornal O GLOBO, simplesmente
retira o foco do Islã e o defende.
Eu culparia ambos, 
pois são galhos da mesma árvore,
 da mesma raiz. 
Ou seja, dos ensinamentos violentos 
do profeta Muhammad (Maomé) 
que impulsionam o
Califado Global.
E não adianta jogar 
uma religião contra outra. 
Essa tática não funciona mais.

Vou mostrar a vocês o que Robert Spencer (Jihad Watch) disse sobre o muçulmano Tariq Ramadan, publicado neste blog e intitulado: “Tariq Ramadan: O Estado Islâmico (ISIS) não é islâmico”.

Tariq Ramadam é um famoso palestrante, 
proeminente acadêmico islâmico moderado e 
neto do fundador da Irmandade Muçulmana.  

Robert Spencer sobre Tariq Ramadan:

“Sua oposição ao Estado Islâmico (ISIS), 
no entanto, é sem dúvida nenhuma, verdadeira, 
embora não venha de sua 
ostentada moderação islâmica, 
que não passa de cínica e fraudulenta... 
 
...o seu avô fundou a Irmandade Muçulmana 
com o objetivo de restaurar o Califado. Consequentemente, 
o Califado do Estado Islâmico 
é rival da Irmandade Muçulmana 
que ambiciona (e ainda espera) 
poder instituir.”

 A realidade, é que:

  1. A frase em questão defende o Islã e automaticamente o Alcorão, o Hadith etc.
  2. Essa frase está tentando mostrar a você que o Islã é pacífico, e que o Estado Islâmico (ISIS) não é islâmico porque não é pacífico.
  3. Existem Muçulmanos pacíficos? Sim, mas eles não têm a luz para ir contra aos ensinamentos violentos do profeta Muhammad.
  4. A frase em questão vem de um moderado Islâmico que, ou está demorando a entender como alguns no Brasil, ou está cinicamente omitindo a verdade. O mundo não tem que compor com as “várias maneiras possíveis de interpretação” do Alcorão. Isso é problema do Islã . Uma reforma terá que vir do próprio Islã, se vier.
  5. Os Muçulmanos moderados e os Sufis da Ordem Naqshbandi do Brasil precisam dizer a verdade sobre os ensinamentos violentos de Muhammad, prescritos no Alcorão e ensinados nas mesquitas do Brasil,  já que estão em território Brasileiro.  O silêncio não é uma opção.
  6. E isso não significa que os Muçulmanos não possam morar no Brasil. Muitos que aqui estão são nossos amigos e amigos da nação. Vivem pacificamente e são adequados socialmente como todos nós.  
  7. A verdade sobe Muhammad, precisa ser divulgada no Brasil para distanciar o país do que acontece em Londres, por pura ingenuidade dos Britânicos. O Islã tem a audácia de exigir a instalação da Sharia, mandando a liberdade de consciência para o inferno como mostra a foto.  Londres está próxima de uma guerra civil. A Suécia já está em apuros com o Islã.FreedomGoToHellTradução: “Liberdade vá pro inferno”. 
  8. O Estado Islâmico (ISIS) representa sim os ensinamentos de Muhammad (Maomé), ao pé da letra. Não são apóstatas. Há uma disputa pelo califado global e o Islã tem como missão a dominação do mundo pela persuasão ou pela força.
  9. Portanto, a verdade tem que ser dita ou a uma tragédia irá se instalar de forma nunca vista no Brasil.  As classes menos favorecidas da população brasileira estão sendo persuadidas a se converterem ao Islamismo. Os ensinamentos violentos de Muhammad, como forma de ascensão social, produzirão o “impensável” no Brasil.  O próprio Muhammad declarou que tudo o que ele conquistou foi através do terror.  O ISIS é um bom exemplo.
  10. A instalação da Sharia no Brasil automaticamente levaria à Dhimmitude que faria dos não muçulmanos (os infiéis), “cidadãos” de segunda classe, submissos (se não quiserem morrer) aos muçulmanos e ao Califado. É o retorno à escravidão, da exclusão da liberdade de consciência e dos direitos iguais para todos através do mais puro terror. Isso já acontece no Iraque via ISIS. Você deseja isso para o seu filho?
  11. Não esqueça dos 123 milhões de cristãos, dos mais de 110.000 judeus, dos budistas, umbandistas, espíritas, gays, ateus entre outros que vivem no Brasil e exigem respeito e proteção.
O Islã é a única entre as religiões 
que tem uma doutrina teológica 
apoiada em um sistema jurídico 
que determina a violência 
contra os descrentes ou infiéis.
O Islã, do profeta Muhammad, 
é um empreendimento paramilitar totalitário.
O historiador, filósofo pioneiro e jurista teórico, Ibn Khaldun (1332-1406), 
observou em seu famoso “Muqaddimah”, 
a primeira obra de teoria histórica que:    
“Na comunidade muçulmana, 
a guerra santa é um dever religioso 
por causa do universalismo 
da missão muçulmana e (da obrigação de) 
     converter a todos ao Islã        
     ou pela persuasão ou pela força".     
Já 
existe 
um 
movimento 
islâmico 
em andamento no Brasil e de forma silenciosa
(Stealth Jihad)
e portanto,
contamos muito com o 
prestigiadíssimo 
Jornal O GLOBO
para que a 
verdade sobre o Islã 
no Brasil e no mundo 
não seja distorcida 
ou omitida do noticiário 
nacional e internacional.
Como disse Mahatma Gandhi:
"Não há Deus maior que a verdade"

E por último, considere:

Ouça o Khaled Meshaal, líder do Hamas:
“Dizemos isto para o Ocidente… 
Por Alá, vocês serão derrotados. 
Amanhã, a nossa nação sentará no trono do mundo.”
Alcorão 5:33
“O castigo, para aqueles 
que lutam contra Alá e contra o Seu Mensageiro 
e semeiam a corrupção na terra, 
é que sejam mortos, ou crucificados, 
ou lhes seja decepada 
a mão e o pé opostos, ou banidos...”
Alcorão 98:6  
“Honestamente falando, aqueles que não creem 
na religião Islâmica, 
no Alcorão e no Profeta Muhammad/Maomé) 
entre eles o
Povo do Livro (Judeus e Cristãos) 
e demais infiéis, 
terão que aceitar o 
Fogo do Inferno. 
Eles são as piores criaturas”.
Não há espaço no Brasil 
para o Islã se fazer de 
“vítima” da “intolerância” racial  
porque não são os
 "descrentes ou infiéis" brasileiros 
e sim o Islã que representa 
uma ameaça a estabilidade 
política e religiosa na região.
Nós já vimos isso antes: 
Há uma raça superior; 
Agora há uma fé superior. 

Primeiro Ministro de Israel Benjamim Netanyahu
Anúncios

3 opiniões sobre “Sobre uma frase citada no jornal O GLOBO…”

Os comentários estão desativados.