Rasheed, Lula e o Jornal O GLOBO

O jornalista Rasheed Abou-Alsamh e o Jornal O GLOBO

O artigo intitulado “A batalha complexa contra o Estado Islâmico” escrito pelo jornalista muçulmano Rasheed Abou-Alsamh no jornal O GLOBO (Opinião) no dia 17/10/2014 é digno de nota.

Esse artigo, dada a complexidade do assunto e da forma como foi exposto, parece mais uma propaganda islâmica, com o claro intuito de mostrar à população brasileira que o Islã está a milhões de anos-luz do Estado Islâmico (ISIS).

Percebe-se inclusive que o jornalista não utiliza da abreviação utilizada internacionalmente com relação ao grupo terrorista Estado Islâmico, ou seja, (ISIS), e sim (EI). Por que será???

Para quem não conhece:  ISIS = Islamic State of Iraq and Syria   e       EI = Estado Islâmico

Indo direto ao ponto…  o jornalista Rasheed escreveu o seguinte texto:

“Enquanto isso, 
o EI continua a chocar o mundo 
com ações e pronunciamentos 
que justificam a apreensão e venda de imóveis, 
em Mosul, de cristãos, xiitas e até de sunitas 
que não os apoiam, 
e a escravização sexual de mulheres 
capturadas do inimigo. 
Isso devia ser um sinal claro 
do nível da loucura 
a que eles chegaram, e a distancia enorme 
que eles estão de qualquer versão 
justa e humanitária 
do Islã que eles adotaram.”

Comentário:   Seria muito mais construtivo se o jornalista Rasheed dissesse ao Brasil que o Islã precisa de uma reforma urgente, pois o que ele descreveu, (as ações e pronunciamentos do Estado Islâmico), estão escritos no Alcorão há 1.400 anos.

Exemplo:

 Alcorão 4:24 

“Também (estão proibidas) 
as mulheres já casadas, 
exceto aquelas (prisioneiras e escravas) 
que suas mãos corretas possuem. 
Assim tem Alá ordenado (Proibições) contra você: exceto essas, 
todas as outras são legais, 
desde que você as procure (no casamento) 
com presentes de sua propriedade, 
desejando castidade, e não a luxúria; 
vendo que você se beneficia delas, 
dar-lhes os seus dotes (pelo menos), 
conforme prescrito; 
mas se, depois que um dote for prescrito, 
mutuamente de acordo 
(para variar), 
não há culpa em você, 
porque Deus é Onisciente, Todo-sábio.

O jornalista termina o artigo da seguinte forma:

“Eles devem achar 
que estão construindo 
o tão desejado Califado. 
Só que as suas ações sanguinárias, 
horríveis e injustas 
deixaram a maioria do mundo, 
islâmico e não islâmico enojado e chocado. 
Todos nós, humanitários, 
rejeitamos essa visão deturpada, 
e tenho certeza que o EI 
não vai durar muito tempo.”

Com relação ao Califado, leia o texto a seguir para entender que há uma guerra pela disputa do Califado Global:

nazismo

Fonte: Robert Spencer Jihad Watch

Robert Spencer falando de Tariq Ramadan:

"Sua oposição ao Estado islâmico, no entanto, 
é sem dúvida nenhuma, verdadeira, 
embora não venha de sua 
ostentadíssima moderação islâmica, 
que não passa de cínica e fraudulenta."

"Tariq Ramadan é, de fato, 
o neto do fundador da Irmandade Muçulmana, 
e seu avô a fundou  
com o objetivo de restaurar o califado. Consequentemente, 
o califado do Estado islâmico (ISIS) é rival da Irmandade Muçulmana 
que ambiciona (e ainda espera)  
poder instituir um Califado."
Alcorão 5:33  
“O castigo, 
para aqueles que lutam contra Deus 
e contra o Seu Mensageiro 
e semeiam a corrupção na terra, 
é que sejam mortos, ou crucificados, 
ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos,
ou banidos...”
 Alcorão 09:29  
"Lute contra aqueles 
que não acreditam em Alá ou no Último Dia; 
ou que não aceitam a proibição 
que tem sido imposta por Alá 
e seu Mensageiro Muhammad 
ou que não reconheça a religião da verdade, 
entre eles o 
Povo do Livro (Judeus e Cristãos), 
até eles pagarem a Jizya (imposto) 
através da submissão desejada 
e sentirem-se subjugados."
 Sira, p. 463-4: 
Em seguida, renderam {a tribo de Quraiza}, 
e o Apóstolo (Muhammad) limitou-os em Medina, 
no bairro de d. al-Harith, 
uma mulher de Bani al-Najjar. 
Depois disso o Apóstolo saiu 
para o mercado de Medina 
e cavou trincheiras nele. 
Então ele os enviou 
e decapitou as suas cabeças 
nas trincheiras que foram trazidas 
para fora diante dele em lotes. 
Entre eles estava 
o inimigo de Alá 
Huyayy bin Akhtab 
e Kab bin Asad, chefe deles. 
Havia 600 ou 700 ao todo,
embora alguns registram de 800 a 900. 
Como eles estavam sendo levados 
para fora em lotes para o Apóstolo (Muhammad)
perguntaram a Kab o que ele pensou 
que seria feito com eles. 
Ele respondeu “Você não percebe? 
Não vê que a soma nunca para 
e aqueles que são levados jamais retornam? 
Por Alá isso é a morte!” 
E continuou até que o Apóstolo (Muhammad)
fizesse um sinal a eles.

nazis-in-palestine-2

Foto: Nazi-Islâmicos na Al-Quds University no West Bank (Palestina).

Veja:  Estado Islâmico (ISIS) em Dez Versos do Alcorão | Muhammad e os Sufis no Brasil http://buff.ly/1t9I2KN   
Conto com o 
respeitado Jornal O GLOBO 
para que a verdade 
sobre o profeta Muhammad (Maomé)
seja de conhecimento público 
no Brasil.

Não sou contra o Islã (pacífico) ou aos brasileiros que se converteram ingenuamente, mas aos ensinamentos violentos de Muhammad (Maomé).  Entretanto, não cabe ao Brasil se esforçar para entender o Islã e sim o Islã se esforçar para entender que aqui no Brasil, o califado islâmico não irá encontrar terreno fértil.

O Islã precisa admitir e se responsabilizar 
pela propagação dos ensinamentos 
violentos do profeta Muhammad (Maomé) 
no Brasil. 
Incluo aqui os Sufis.

Aos poucos, e com o auxílio luxuoso do PT (Lula /Dilma) e do PSOL, com relação à imposição do Ensino Islâmico (Propaganda Islâmica) nas escolas brasileiras, estamos vendo que isso não passa de moeda de troca para com  o mercado multibilionário de alimentos Halal em escala global e por consequência  a submissão ao califado global quando o número de muçulmanos alcançar um percentual significativo da população brasileira. Não é à toa que já existe um  site muçulmano promovendo casamento com perfil global.

Segue o projeto de lei para o ensino islâmico no Brasil:

PROJETO DE LEI N.º 1.780, DE 2011

Se não pararmos a islamização no Brasil, o que já ocorre com espantosa velocidade, encontraremos um futuro absolutamente trágico pela frente...

Por último…  O texto que segue é imperdível:

A Imigração Muçulmana no Mundo | Muhammad e os Sufis no Brasil http://buff.ly/1t9OzVZ

 

 

 

Anúncios