Muhammad e os Sufis no Brasil — Parte II

Os Sufis no mundo…

De acordo com Robert Spencer: 
“As Ordens Sufis 
oferecem uma perspectiva mística ao Islamismo. 
Existem Sufis em todo o mundo Islâmico 
e em países como o Brasil, 
Estados Unidos, Inglaterra, Canadá entre outros.
A percepção muito divulgada 
de que os Sufis são pacíficos 
e rejeitam tanto a violência 
da Jihad e da Supremacia Islâmica 
é falsa."

al_gazali_sm

Acima, o Sufi AlGhazali – (c.1056–1111) –  Um proeminente e influente filósofo, teologista, jurista e místico do Islã Sunita.

Os Sufis desde Al-Ghazali até o momento presente, têm ensinado a necessidade da jihad e participado de guerras – notavelmente na Chechênia desde o século 18.

Hassan Al-Banna, o fundador da Irmandade Muçulmana, organização parente dos Hamas e da Al-Qaeda, foi fortemente influenciado pelos Sufis e prescreveu exercícios espirituais Sufis aos membros da Irmandade.

Em de Janeiro de 2009, representantes Iraquianos da Ordem Sufi Naqshabandi se encontraram com Khaled Mashaal dos Hamas. Elogiaram a Jihad de Mashaal, doaram jóias, e se vangloriaram dos próprios ataques Jihadistas contra os Americanos no Iraque. Este link fala do Sufi Al-Ghazali recomendando a Jihad.  Sufis are jihadists | US Message Board – Political Discussion Forum

De acordo com o site “Reliable Fatwas”, uma dos mais terríveis equívocos criados pelos atuais “ouvintes de música Islâmica e dançarinos pseudo- Sufis” é que os Sufis estão hoje em dia apáticos com relação ao Jihad. O Talibam, os verdadeiros porta-bandeiras do Jihad hoje em dia, rejeita esse equívoco completamente e perseguem os pseudo-Sufis.

Os verdadeiros Sufis sempre foram os mais qualificados e desejosos de atuar no Jihad. The True Sufis Are the Flagbearers of Jihad – Reliable Fatwas

Os Sufis no Brasil:

As salaam alaykumFoto: Sheik Nazim al-Haqqani an-Naqshband da Ordem Sufi Naqshbandi – Brasil

Será que os Sufis no Brasil são os “ouvintes de música Islâmica e dançarinos pseudo-Sufis”? São eles os autênticos revolucionários, porta-bandeiras do Jihad como o Talibam? Ou são a mistura dos dois?

Existe pena de morte para quem abandonar o “barco”? E o que pensam sobre o profeta Muhammad? Caso sejam os pseudo-sufis, pela lógica, deveriam estar muito preocupados com o Talibam.

A princípio, 
rezar para o mesmo Alá (Deus) 
e ser diferente, 
soa como se um galho de árvore 
pudesse dizer a própria árvore: 
“Não sou como você, sou diferente!”.

O mundo Islâmico, de acordo com Seyyed Hossein Nasr, Professor de Estudos Islâmicos da George Washington University afirma que “o Sufismo é o mais poderoso antídoto para o radicalismo religioso, chamado de fundamentalismo, como também a mais importante fonte para responder aos desafios impostos pelo modernismo”. Mesmo assim Centros Sufis (Pseudos) estão sendo atacados em todo o mundo Islâmico com muita freqüência pelos próprios Sufis ortodoxos.

O mais sangrento deles até hoje aconteceu no Santuário de Sakhi Sarwar em Punja, Paquistão, onde um ataque suicida matou 41 devotos Sufis durante um Festival de três dias.  BBC News – Pakistan Sufi shrine suicide attack kills 41

A influência dos Sufis na arte, música, arquitetura e literatura Islâmica são imensas.

Sufis em branco

Fui casado com uma integrante do Sufismo e durante o tempo em que moramos em Londres tive a oportunidade de conhecer uma comunidade Sufi através de reuniões semanais.

Omar Ali Shah  (Agha)

Tive a oportunidade de ser apresentado ao Mestre Sufi Omar Ali-Shah, conhecido como “Mestre Agha” que faleceu no dia 7 de setembro de 2005. Ele era o líder responsável pela Ordem Sufi Naqshbandi para a América Latina, Europa e Canadá pelo que sei.

Era um senhor carismático, inteligente, amável e venerado pelos Sufis do Brasil e residia em Londres.

Robert Spencer cita no seu livro “Stealth Jihad” que o líder e Chairman da Ordem Sufi Naqshbandi Haggani da America, o Sheikh Muhammad Hisham Kabbani, revelou em 1999 que 80% das Mesquitas nos Estados Unidos eram controladas por extremistas islâmicos. Sem duvida, ele entrou em conflito com os grupos muçulmanos ISNA, CAIR e ICNA dos Estados Unidos. De 2001 a 2002, Kabbani foi reconhecido como um dos poucos “scholars” muçulmanos, naquela época, a ter alertado os Estados Unidos sobre um possível atentado violento extremista. Provavelmente o The World Trade Center.

Kabbani prestou um grande serviço 
à comunidade muçulmana nos Estados Unidos desenvolvendo mais de doze centros Sufis 
visando à espiritualidade islâmica 
e o enriquecimento cultural 
e ainda colaborou com a segurança americana.

Fica claro aqui que não sou um  “Islamofóbico”.  Sou um grande admirador da arte Islâmica.  E para quem não sabe, “Islamofobia” é um neologismo usado geralmente para se referir ao preconceito contra, ódio de ou medo de muçulmanos ou a grupos relacionados a eles.

Islamofobia é uma palavra inventada 
para você não criticar o islã. 
Não criticar o Islã significa 
se render ao Islã 
o que prova que algo está errado 
e precisa ser criticado.

Entretanto, os ensinamentos de Muhammad estão matando milhares de pessoas ao redor do mundo como, por exemplo, cristãos na África, na Síria, no Egito, Paquistão etc. Utilizam crianças inocentes para transporte de bombas destruindo tudo por onde passam. Cristãos são decapitados por recusarem a se converter ao Islamismo incluindo mulheres grávidas e idosos etc.

O número de Cristãos mortos por muçulmanos dobrou em 2013. E mais, 13000 jovens completaram treinamento dado pelos Hamas para emular o Jihad/Mártires, “homem bomba” suicidas. 13,000 teens complete Hamas training camps to emulate jihad/martyrdom suicide killers

No Paquistão e na Índia terroristas impedem que a vacina contra poliomielite seja distribuída e aplicada  alegando que é para os jovens muçulmanos ficarem estéreis.  Outra versão é de que a vacinação protege a espionagem.  Islamic militants kill polio vaccination worker in Pakistan

Muitos paquistaneses são Sufis, mas o Talibam segue a linha Islâmica  “Wahhabi” de extrema violência e consequentemente rejeitando as tradições Sufis. De acordo com o texto da Reuters escrito por Syed Raza Hassan, o Sufismo é a “forma não-violenta” do Islã, caracterizado por rituais hipnóticos e misticismo secular, mas os insurgentes veem os Sufis como hereges incorrigíveis que merecem morrer. Six Pakistanis killed over visit to Sufi Muslim shrine | Reuters

Tendo dito, o que impressiona é que não há nenhum movimento ou protesto muçulmano (ou Sufi) no sentido de impedir a escalada da violência Islâmica contra o mundo. Os Sufis reclamam da perseguição dos Sufis ortodoxos mas não se manifestam contra a Supremacia Islâmica.

Não sou eu que estou afirmando, estou apenas relatando a história. Leia o Livro “Islã101” gratuitamente no menu deste Blog e você vai entender melhor como funciona o Islã.

Os Sufis vivem num silencio misterioso, acima de qualquer julgamento, como se nada estivesse acontecendo. O que me impressiona muito é que as pessoas que conheci no Sufismo tanto aqui como em Londres são de alto nível intelectual, muito amorosas e pacíficas. Um grupo totalmente diferente do universo Islâmico que vemos no noticiário.

Não consigo associar essas pessoas, 
lideradas pelo Mestre Agha, 
como pessoas violentas e realmente não são. 
A minha percepção é de que 
o lado "místico" dos Sufis 
não compactua com o lado paramilitar 
do Profeta Muhammad.
A estética dos Dervishes dançantes 
e a belíssima música que produzem 
aliada aos exercícios espirituais 
da tradição Sufi 
deixa um perfume suave no ar 
e gera a esperança de que os Sufis 
possam ajudar a reverter a violência Islâmica 
ao redor do mundo, 
mas não acredito que isso possa acontecer. 
Para tanto teriam que abandonar 
o Profeta Muhammad.

O Brasil é um país multi-religioso e por isso torna-se muito difícil para quem conhece um pouco da história do Islã acreditar que grupos Islâmicos no Brasil não seguirão as exigências dos ensinamentos de Muhammad.

Mesquitas estão sendo instaladas no Brasil. 
Quando possuírem um grande número de fiéis, 
doutrinados nos ensinamentos violentos de Muhammad, 
a situação sairá do controle e a jihad explodirá. 
 Consequentemente, 
irão em busca da implantação da Sharia 
 e da submissão do país aos desejos 
 do imperialismo islâmico macabro
através da jihad .

Nota:  (7/02/2015) – Retirei parte deste artigo, sobre Estado Laico, por concordar plenamente com o Filósofo Olavo de Carvalho. Reconheço o erro e agradeço ao professor pela grande lição.                                                                         Links sobre Estado Laico:

Olavo de Carvalho – A moral paranoica do estado laico é o substituto da religião

Olavo de Carvalho – O Estado é Laico a Sociedade Não !

Olavo de Carvalho – Contradições do laicismo

Existe outro assunto me incomodando muito…

E peço desculpas de antemão por mencionar infelizmente um assunto pessoal, mas tenho de fazê-lo, pois além de ser relevante esclarece muita coisa às pessoas próximas a mim.

Desde o meu processo de separação conjugal, passando pela perda do emprego por conta da crise internacional de 2009, fui ludibriado, escorraçado, despejado e ainda processado por Sufis (Dervishes).  E os “amigos” se foram, viraram as costas. Tenho muitos defeitos, mas um homem sensível como eu, que perdeu o emprego, com dois filhos, inclusive um deles com problema de saúde, não esconde dinheiro para não pagar pensão, nem abandona os filhos. Durante quatro anos consecutivos venho sendo processado, tratado como criminoso, mau caráter e ameaçado de prisão constantemente e isso vem prejudicando muito os meus filhos.

Entretanto, 
nunca tive ódio ou raiva de ninguém, 
graças a  Deus, 
e não será diferente neste caso, 
pois sei da inconsciência que permeia tudo isso.

Algo como, a vítima é cercada e submetida a todo custo ao pagamento da “Jizya”,  da submissão e da humilhação constante em prol do objetivo final que é depreciar, diminuir ao máximo pela pura e simples supremacia. Um reflexo inconsciente dos ensinamentos proveniente de Muhammad, o profeta paramilitar que está sendo fortemente investigado.

E fica aqui uma dúvida no ar.

É isso que a Ordem Sufi Naqshbandi ensina aos Dervishes no Brasil? É o que chamam de “O Caminho que conduz à Presença Divina”? “A via do Coração”? ORDEM SUFI NAQSHBANDI

O silêncio não será uma opção. 
Vou fazer de tudo para que Robert Spencer 
acompanhe esse debate com a nação brasileira. 
O país não pode permitir 
que tamanha inconsciência se torne realidade no território nacional.

Tendo dito, a Ordem Sufi Naqshbandi no Brasil deve explicações ao maior país Católico do mundo e aos Judeus que aqui vivem. Principalmente diante dos fatos que estão ocorrendo no mundo e pela possibilidade de um ataque contra os Sufis no Brasil (se forem os “Pseudos”) pelos Sufis ortodoxos, que provavelmente atingirá moradores inocentes de São Pedro da Serra em Nova Friburgo, sede da Ordem Sufi Naqshbandi.

Devem também explicações às religiões Afro-Brasileiras como a Umbanda, o Candomblé, aos Budistas, aos Espíritas, Franciscanos, Índios entre outros (incluo também os amigos ateus) que de acordo com Muhammad, são descrentes e, portanto serão perseguidos e submetidos à Supremacia Islâmica, a Lei Sharia, tornando-se assim “dhimmis” do sistema.

O silêncio não será uma opção.

Um “dhimmi”, jamais!!!

Anúncios

4 opiniões sobre “Muhammad e os Sufis no Brasil — Parte II”

  1. Deve ser dor de corno pra escrever tamanha bobagem, nunca frequentou ou estudou sufismo, copiar e colar wikepidia nao faz ninguém inteligente kkkk já ví gente descontar nos filhos, mas na filosofia da ex? Essa é nova! Vai ler sobre o sufismo …de verdade. Que tal um livro de Omar Ali Shah pra começar? Ou estudar história! Quem sabe vc descobre como os sufis foram massacrados e assassinados pelos mesmos grupos dos quais vc diz serem simpatizantes? Vai estudar…ajuda a passar a dor do pé na bunda kkkkkkk

    Curtir

    1. As suas palavras ofensivas se assemelham a um padrão que estamos assistindo ao redor do mundo.
      Simplesmente afirmam o que venho escrevendo/traduzindo sobre Muhammad e os Sufis.

      Se Idris Shah ou Omar Ali Shah estivessem vivos, não fariam um comentário tão pobre de intelecto e espírito. Iriam, talvez, indagar ou expressar alguma opinião com o intuito de orientar ou até mesmo de confrontar, mas com elegância. Não eram homens insensíveis, não rejeitariam o bom combate com palavras desprovidas de interesse coletivo.

      Você não passa de um ingênuo, mais um deles, que por ignorância e arrogância intelectual e espiritual, contribuem com aqueles que estão antagonizando o mundo todo. Contribui com aqueles que querem destruir a liberdade de expressão para subjugar as pessoas. Contribui com a informação destorcida. Os Sufis não estão acima da crítica.

      Islamofobia é uma palavra inventada para que ninguém critique o Islã. Não criticar o Islã significa se render ao Islã. Portanto, fica claro que algo está errado e precisa ser veementemente criticado.

      Os Sufis foram massacrados? Então Leia os artigos abaixo:

      O Lado Sinistro do Sufismo http://buff.ly/1FyD1yb

      Voltaire e a Jihad http://buff.ly/1FyDd0z

      Entretanto, seus comentários serão sempre bem vindos.

      Curtir

  2. Quanta estupidez, um cego de nascença tentando identificar um elefante… Identifica algumas partes, jamais saberá o que é o todo!

    Curtir

Os comentários estão desativados.