Rasheed, O GLOBO e o blá-blá-blá…

Foto / Capa: (AKO RASHEED/REUTERS) – Moradores inspecionam uma igreja danificada depois de um ataque a bomba no centro de Kirkuk (Iraque) pelo grupo terrorista Estado Islâmico (ISIS). 

É com todo respeito ao Jornal O GLOBO que faço a seguinte pergunta:

Por que insistem em publicar 
os artigos tendenciosos 
do jornalista Rasheed Abou-Alsamh 
sobre Oriente Médio?

Hoje, sexta-feira, 14/11/2014, o jornal O GLOBO publicou na página 18 (Opinião) mais um artigo do jornalista Rasheed Abou-Alsamh  intitulado “Quando o incentivo ao ódio falha”.

Pois bem, esse artigo ocupa nada menos que quase meia página para simplesmente…:

  1. Enaltecer o  Rei Abdullah Bin-Abd-al-Aziz Al Saud da Arábia Saudita
  2. Glorificar “a mais alta autoridade religiosa do país, o grande Mufti Sheikh Abdul Aziz al-Sheikh.”
  3. Proteger a imagem do Islã dizendo que “Al-Sheikh declarou que o ataque foi contra os ensinamentos do Islã”.

O resto é puro blábláblá que nada acrescenta a sociedade Brasileira. Para não ser injusto, acrescenta aos intelectuais que discutem política externa, cenário internacional, mencionando pérolas como “o problema de Israel é o excesso de democracia” sem mencionar a violência dos ensinamentos Islâmicos.

Debater o Oriente Médio no jornal ou na TV sem reconhecer os ensinamentos violentos do profeta Muhammad e os objetivos do Islã em escala global acaba alimentando conclusões sombrias do tipo: ingenuidade, falsidade ideológica, falsidade intelectual etc.  Portanto, a verdade tem que prevalecer, tem que ser divulgada para evitar esse tipo de ruido.

Já estamos vivendo no tão falado “Clash of Civilizations” ou “Choque de Civilizações”. Não estou falando do futuro e sim do “now”, do agora. Já estamos nele e muito precisa ser dito sobre o Islã com relação a perseguição aos Cristãos no Oriente Médio, aos Judeus etc.

Não precisamos de propaganda Islâmica no Brasil. 

O Brasil já está cometendo erros básicos com relação ao Islã.

O uso do “Hijad” ou “Véu” 
em documentos importantes como passaporte, 
já prova que em breve o país 
não irá segurar o volume de problemas 
que o Islã irá (não confunda com Irã) impor. 

Temos 123 milhões de Cristãos e algo em torno de 110 mil judeus entre outras religiões como o Budismo etc.

E tudo que temos são esses malditos artigos do Rasheed enfiando goela abaixo que o Islã não é violento; que o Estado Islâmico (ISIS) não representa o Islã; que Israel massacrou os Palestinos; que Boko Haram não representa o Islã; que o Islã é puro, inocente etc.

Pelo amor de Deus, 
o jornal precisa agir e mudar esse cenário 
o mais rápido possível 
ou o descrédito virá a galope. 
Isso depõe contra o jornal 
e o jornal não merece isso, 
reconhecemos o grande trabalho que fazem. 
Portanto, ouçam o que estamos dizendo... 

O Embaixador de Israel Rafael Edad criticou muito bem o jornalista Rasheed e eu o também fiz no meu blog.

Recentemente também critiquei o livro “Sobre o Islã” do jornalista Ali Kamel no meu  Blog:

  1. Sobre o Islã do Ali Kamel – Parte I | Muhammad e os Sufis no Brasil http://buff.ly/1xECrxM
  2. Sobre o Islã do Ali Kamel – Parte II | Muhammad e os Sufis no Brasil http://buff.ly/1uamixV

O Brasil precisa se posicionar sobre o Islã ou vamos ter um futuro trágico pela frente.

A Europa já está em sérios apuros e  já está com o futuro comprometido. A Suécia está se autodestruindo e isso, por incrível que pareça, não é divulgado no mainstream sueco de acordo com fontes internacionais.. A Suécia já não controla mais as 55 áreas Muçulmanas espalhadas por 22 cidades onde a polícia não entra, a Sharia legisla, rejeitam o sistema jurídico do país e principalmente os próprios suecos.

Invadem a sua casa, 
usufruem do que é seu 
e ainda escorraçam você.

Londres está vivendo seus últimos anos de liberdade enquanto a Bolsa de Valores de Londres opera o Sukuk, ou seja, Islamic Bonds.

O Brasil precisa atuar com leis severas para frear a expansão Islâmica que já está descontrolada ou será tarde demais. O país não pode se render às “exceções” (o uso do Véu em documentos por exemplo) e nem a expansão Islâmica como vem acontecendo no exterior.

Existem Muçulmanos pacíficos? 
Sim, certamente, mas eles não têm a luz 
para se levantarem contra os ensinamentos 
violentos do profeta Muhammad 
e nem contra a imensa 
influência externa Islâmica no Brasil 
proveniente de interesses políticos 
visivelmente Petistas. 
Tenham isso em mente. 

Por último, Xiitas e Sunitas (mencionados no artigo do jornalista Rasheed) estão em plena guerra pelo controle do Califado Global. E não estão contra os ensinamentos do Islã que impõe o genocídio de Judeus e Cristãos (Povo do Livro) em todo mundo.

A minoria religiosa 
mais perseguida no Mundo 
atualmente são os Cristãos. 
Especificamente as minorias que vivem 
em países de maioria Muçulmana. 
E estamos falando no sentido 
mais duro da palavra, ou seja: 
“ponha-se no seu lugar ou vamos matá-los”.
"Ponha-se no seu lugar" significa 
se tornar um cidadão de segunda classe 
em território Muçulmano. 
E as opções são claras: 
conversão ao Islamismo, 
pagamento da Jizya (imposto) 
ou MORTE. 
Anúncios

2 opiniões sobre “Rasheed, O GLOBO e o blá-blá-blá…”

  1. Rede islam globo e iluminate por iso colocou ese cao para reproduzir o islao de paz eses diabolam estao comprando a midia para nao fazer materias contra e fazer materias a favor ,por iso o diaboobama apoia tanto o diabolam

    Curtir

Os comentários estão desativados.