Reino Unido – Ministério Público: Estado Islâmico é como os Beatles

Fonte/Source: UK prosecutor: Islamic State like the Beatles, “the boys want to be like them and the girls want to be with them”

the_beatles-300x174

Reino Unido – Ministério Público: Estado Islâmico é como os Beatles, “os meninos querem ser como eles e as meninas querem estar com eles”

6 de abril de 2015 por Robert Spencer (Jihad Watch)

Agora, espera aí um minuto. O Estado Islâmico é apenas uma pequena minoria de extremistas que nada tem a ver com o Islã, certo? E todos os muçulmanos –  todos eles – os odeiam e os desprezam, certo? John Kerry disse isso, então deve ser verdade! “O ISIS é como os Beatles e os jovens Britânicos querem ser como eles, avisa o promotor,” por Tom Whitehead, the Telegraph, 06 de abril de 2015:

Jihadistas do Estado Islâmico (ISIS) estão se tornando como os Beatles e outros ídolos pop com os meninos Britânicos querendo ser iguais a eles e as meninas querendo estar com eles, alertou um promotor sênior.

Nazir Afzal disse que “jihadimania” é pior do que se pensava anteriormente e está atraindo jovens, equivocados pela imagem, à Síria.

E aqueles que não conseguiram viajar se tornaram uma “bomba-relógio” para os serviços de segurança e de polícia daqui, advertiu.

Mais de 600 Britânicos são temidos por terem viajado à Síria, com muitos participando do grupo terrorista ISIS.

Eles incluem garotos e meninas adolescentes que ou se tornam soldados ou “jihadi noivas”.

O declarado carrasco Britânico do ISIS, Mohammed Emwazi, já foi apelidado de “Jihad John”, em referência ao “Beatles” apelido dado a ele e seus companheiros sequestradores Britânicos por seus reféns.

Mas o Sr. Afzal disse que a imagem da música pop é mais difundida e corre o risco de atrair e radicalizar muitos mais jovens Britânicos.

“Os meninos querem ser como eles e as meninas querem estar com eles”, disse em entrevista ao The Guardian.

“Isso é o que se costumava dizer sobre os Beatles e, mais recentemente sobre o One Direction e Justin Bieber. A propaganda que os terroristas injetam é semelhante ao marketing, e muitos dos nossos adolescentes estão caindo pela imagem”.

“Os extremistas os tratam de uma forma semelhantes aos aliciamentos sexuais – eles os manipulam, os afastam de seus amigos e familiares e em seguida os levam.”

Na semana passada, o Sr. Afzal, que recentemente deixou o cargo de chefe do Crown Prosecution Service, no noroeste, advertiu os professores por não estarem fazendo o suficiente para ajudar a impedir que os alunos de se dirijam à Síria.

Ele disse que os funcionários não estavam informando a polícia sobre os alunos. Sabiam quem  queria se juntar aos jihadistas, mas não queriam que eles fossem criminalizados.

Ele também revelou que alguns professores principais estavam preocupados que os alunos pudessem aproveitar as férias da Páscoa para irem ao país devastado pela guerra.

Em sua mais recente entrevista, advertiu: “Cada um deles, se forem à Síria, vão estar mais radicalizados quando voltarem. E se não forem, se tornarão um problema – uma bomba-relógio”.

Mr Afzal disse que as táticas para combater a radicalização precisam mudar, porque os jovens não querem “ouvir de homens com barbas longas, eles não querem ouvir de líderes religiosos”.

Ele disse que o ISIS não deve ser retratado numa dimensão religiosa ou política.

“A realidade é que eles não são mais do que narcisistas, cowboys assassinos.”

“Nós precisamos nos levantar e dizer muito, mas muito claramente, em vez de permitir que as crianças sejam atraídas por eles como o equivalente de ídolos pop.”…

 

Anúncios