Pamela Geller: “1001 Mitos Muçulmanos e Revisões Históricas”

Fonte/Source: Pamela Geller, Breitbart News: “1001 Muslim Myths and Historical Revisions” | Pamela Geller


Por Pamela Geller

26 de Julho de 2015

Durante um discurso na Universidade de Regensburg na Bavaria em 2006, o Papa Benedito XVI citou um dialogo do século XIV entre o imperador bizantino Manuel II Paleólogo e um erudito Muçulmano Persa:

“Me mostra exatamente o que Muhammad (Maomé) trouxe de novo, e lá você encontrará apenas coisas más e desumanas, como sua ordem de difundir pela espada a fé que pregava”.

Sim, isso resume de forma mais precisa a contribuição(s) Islâmica para a Humanidade.

“1001 Mitos Muçulmanos e Revisões Históricas” por Pamela Geller, Breitbart News, 26 de Julho de 2015:

A CNN, na quarta-feira passada, publicou um “artigo” viciosamente mentiroso persistindo no mito das “invenções Muçulmanas” — mais uma vez.

Nada de novo. Já havia escrito sobre isso em 2012. A CNN está lançando um novo livro baseado nas 1001 Invenções Muçulmanas, um museu itinerante em exibição que vem percorrendo todo o Ocidente com grande sucesso e aclamado por gente como o Príncipe Charles. Isso tem induzido centenas de milhares de crianças a uma visão otimista e romantizada sobre o Islã, a qual os torna menos capazes de apreciar as realizações da sua própria cultura, e mais complacentes com a Islamização no Ocidente.

Resultado de imagem para pamela geller cnn 1001 inventions

E agora, vemos um revisionismo histórico adquirindo vida nova, enquanto a história é apagada e mitos Muçulmanos fabricados são apresentados como fato.  As “1001 Invenções Muçulmanas” são quase infalivelmente desonestas. Apregoam a cirurgia como uma das 10 maiores invenções Muçulmana, mas na realidade a cirurgia começou no período Neolítico e foi amplamente praticada na Grécia antiga. Da mesma forma, o cafeeiro foi descoberto na Etiópia Cristã.

O próximo item na lista da CNN é o voo: “Abbas ibn Firnas foi a primeira pessoa a fazer uma tentativa real de construir uma máquina voadora e voar.” Abbas ibn Firnas foi um homem que se lançou num par de asas artificiais e tentou voar, mas apenas acabou machucando a sua coluna vertebral. Isso o torna o pai da máquina voadora?

O quarto lugar na lista da CNN Top 10 maiores invenções Muçulmanas: “No ano 859, uma jovem princesa chamada Fatima al-Firhi, fundou a primeira universidade a expedir concessão de grau em Fez, Marrocos.” A primeira universidade? Diga isto aos Judeus, um povo de 6.000 anos de idade, que tem a educação como um pilar de sua cultura. E mais, a universidade de Nalanda na Índia remonta ao século V.

Em seguida vem a álgebra, e essa reivindicação, bem como as outras, é um total absurdo. Um Muçulmano, Abu Já’far ibn Muhammad Musa, é frequentemente descrito como o criador da álgebra. Mas Abu Já’far viveu entre 780 e 850 DC; a álgebra teve início na antiga Babilônia, Egito, e Atenas, 2.500 anos antes de Abu Já’far nascer.

Em seguida temos a ótica, que também começou muito antes do Islã, no antigo Egito e Mesopotâmia, onde as lentes foram desenvolvidas por artesãos que trabalharam a partir das teorias de filósofos Gregos.

A CNN ainda tem a audácia de reivindicar a música como uma invenção Muçulmana, apesar do fato de que a lei Islâmica proíbe música. Só podem estar brincando? Onde estão os Muçulmanos Bachs, Beethovens e Gershwins? E a música Judaica, que remonta a mais de 5.000 anos? Muhammad (Maomé) nem sequer era uma centelha nos olhos de seu pai.

A CNN também reivindica a escova de dente ao Islã, dizendo que Muhammad, a quem eles se referem, naturalmente como “o profeta”, “popularizou o uso da primeira escova de dente em torno do ano 600. Usando um galho da árvore Meswak, limpou os dentes e refrescou o hálito.”

Muhammad foi o primeiro homem a usar um objeto para limpar os dentes? Não me faça rir. Na realidade, a escova de cerdas surgiu em 1498, na China. E a manivela, o próximo item na lista da CNN (que foi na realidade foi criada por um excêntrico), remonta a Espanha, no século V AC. O hospital, o último item da lista da CNN, remonta a Roma antiga.

Com o advento praticamente diário de atentados terroristas jihadistas, prisões e ataques, a máquina esquerda /Islâmica está em quinta marcha. A adolescente Vogue, BBC, Huffington Post, New York Times, Newsweek e todos os principais meios de comunicação estão produzindo mentiras, mitos e narrativas da supremacia Islâmica para lutar contra a realidade. Dane-se a verdade, em frente e a toda velocidade.

É interminável, essa Sharia lavadora de história. É por isso que não ensinam a verdadeira história Islâmica para as nossas crianças em escolas públicas: as guerras jihadistas, a aniquilação cultural, e a escravização ou o porquê que centenas de milhares de vítimas das guerras Islâmicas desapareceram dos cursos de história mundial.

Muitas das invenções em que os Muçulmanos levam o crédito são invenções de pessoas, países e terras, as quais os Muçulmanos subjugaram. O espólio de suas conquistas não foi apenas ouro tangível, mulheres e dinheiro, mas também o roubo intelectual.

O primeiro tratado médico escrito na língua Árabe foi escrito por um padre Cristão e posteriormente traduzido para o Árabe por um médico Judeu em 683. O primeiro hospital foi fundado em Bagdá durante o califado de Abbasid  — não por um Muçulmano, e sim por um Cristão Nestoriano. A pioneira escola de medicina foi fundada em Gundeshapor na Pérsia — por Cristãos Assírios. O fundo da questão: as invenções e descobertas atribuídas ao mundo Muçulmano, na verdade, foram roubadas dos povos subjugados.

A CNN, em espalhando essa bobagem, demonstra que está mais uma vez muito mais interessada na ficção politicamente correta do que notícias. “As 1001 Invenções Muçulmanas” não refletem a história, mas propaganda — lugar comum na grande mídia nos dias de hoje.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios