Choque: A Grande Lição da Jihad em Paris

Photo/Cover: REUTERS/Christian Hartmann

Fonte/Source: Shock: The Grand Lesson of the Paris Jihad | Raymond Ibrahim

Choque: A Grande Lição da Jihad em Paris

Por Raymond Ibrahim

14 de Novembro de 2015

Qual é a grande lição que levaremos do ataque terrorista/jihadista em Paris na sexta-feira que deixou 129 mortos e centenas de feridos?

Será que é o resultado do influxo de migrantes para a Europa —incluindo os militantes do Estado Islâmico (ISIS)?

Quando é que essas cenas, cada vez mais comuns, não mais “chocarão” as pessoas?

Seria mais um reflexo da inabalável Regra dos Números, que sustenta que, onde e quando os Muçulmanos crescem em números —e é uma minoria que se expande cada vez mais na França — os mesmos atos de violência “anti-infiel”, endêmicos no mundo Islâmico, crescem com eles?

A todos aqueles que estão desinformados, o que foi dito acima são certamente lições associadas ao ataque de Paris. Mas não é a grande lição.

A grande lição é que ataques desse tipo devem e continuarão a se multiplicar em severidade. Por quê? Por que as nações Ocidentais, seus líderes e as cabeças falantes da mídia continuam chocados e consternados. Como escreveu Judith Berman para o Gatestone Institute:

Um dos aspectos mais surpreendentes dos ataques terroristas em Paris na sexta-feira à noite foi como os membros do establishment político pareciam estar “profundamente chocados”.

Angela Merkel, David Cameron e o Papa expressaram suas condolências — e “choque profundo” — diante do bem coordenado ataque terrorista a várias partes da cidade, em seis locais diferentes de Paris…

Até os “jogadores da NBA expressaram choque, solidariedade sobre a tragédia em Paris.”

O que é verdadeiramente chocante é que muitos ainda estão chocados. Quando alguém fica chocado, está basicamente dizendo que não faz ideia de como um evento específico, nesse caso o ataque em Paris, veio a acontecer.

Por sua vez, significa que todos os fatores que levaram a tais ataques terroristas — desde a já enorme presença Muçulmana, ainda mais inchada com mais migrantes Muçulmanos, até a incapacidade de falar honestamente sobre a supremacia do Islã e seus ensinamentos violentos — continuarão ininterruptamente.

E isso significa que muito mais ataques desse tipo ou piores irão continuar. Conte com isso.


Tradução: Sebastian Cazeiro

Anúncios