Veja: ISIS publica foto da bomba que derrubou jato Russo

FONTE/SOURCE: LOOK: ISIS posts pic of bomb they used to bring down Russian jet | Pamela Geller

Veja: ISIS Publica Foto da Bomba Que Usaram Para Derrubar Jato Russo

Por Pamela Geller

18 de Novembro de 2015

Screen Shot 2015-11-18 at 12.29.06 PM

Uma latinha de refrigerante. E aqui reside o problema. A abordagem do Ocidente sobre o inimigo está simplesmente errada. Descobrir o método que o inimigo usa na guerra ou os dispositivos utilizados para o massacre é inútil. A “guerra ao terror” enfoca os meios (terror) pelos quais se conduz uma guerra. Jihadistas continuarão criando novas e criativas maneiras para nos matar. Temos que os esmagar junto com a ideologia deles, a fim de ganhar a guerra. Mas o Ocidente se rendeu sobre isso e se recusa a criticar ou mesmo falar dos textos Islâmicos e dos ensinamentos que inspiram essa guerra santa há 1.400 anos. Esse silêncio é a aceitação da sharia e nesse objetivo Islâmico específico, os jihadistas venceram.

Você não está indo para derrotar latas de refrigerante.

Nós fizemos isso e foi assim: O Estado Islâmico (ISIS) se vangloria de ter derrubado o avião de passageiros mostrando fotos de uma bomba caseira afirmando que  usaram para matar 224 pessoas.

O ISIS divulgou uma imagem pretendendo mostrar o dispositivo usado para derrubar o avião. A imagem foi publicada na última edição da revista ‘Dabiq´. Ela mostra uma lata de refrigerante ao lado de algo parecido com um detonador improvisado. A revista disse que o ataque foi uma vingança contra a Rússia por seus ataques aéreos. Acredita-se que a bomba estava na cabine do jato, e não no porão de carga.

Por Corey Charlton para o MailOnline, 18 de novembro de 2015.

Uma fotografia pretendendo mostrar uma bomba caseira usada para derrubar o avião Russo no mês passado foi publicada na última edição da revista propaganda do Estado Islâmico (ISIS).

Publicada na revista mensal ‘Dabiq’, a imagem de uma lata de refrigerante e o detonador é legendada: “’EXCLUSIVO — Imagem do IED usada para derrubar o avião Russo”.

Ela surge apenas um dia depois que a Rússia finalmente reconheceu que o avião de passageiros foi derrubado por uma bomba sobre o deserto do Sinai, matando 224 pessoas.

A mais recente edição da revista jihadista também revelou que o ISIS estava planejando atacar um avião pertencente a um membro da coalizão de bombardeio liderada pelos Estados Unidos — antes de mudar o foco para a Rússia.

Depois de terem descoberto uma maneira de comprometer a segurança do Aeroporto Internacional de Sharm el Sheikh e resolver derrubar um avião pertencente a uma nação da coalizão Ocidental liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico, — antes de mudar o foco para a Rússia.

isis bomb
A foto acima é a imagem publicada na revista do ISIS com o intuito de mostrar o equipamento utilizado para derrubar o jato.
palne crash
A segunda imagem foi publicada na revista do ISIS com o intuito de mostrar os passaportes das vítimas do ataque. Similar a imagem da bomba, ela também é legendada como ‘Exclusivo’.

russian plane

“Depois de terem descoberto uma maneira de comprometer a segurança do Aeroporto Internacional de Sharm el-Sheikh e resolverem derrubar um avião pertencente a uma nação da coalizão Ocidental liderada pelos EUA contra o Estado Islâmico, o alvo foi mudado para um avião russo.”

“Uma bomba foi clandestinamente instalada no avião que levou à morte 219 Russos e cinco outros cruzados (A Verdade Sobre as Cruzadas ) um mês após a decisão impensada da Rússia”.

“Isso serviu para mostrar aos Russos e a quem quer que sejam seus aliados que não terão segurança em terra e nem no espaço aéreo dos Muçulmanos, que a sua matança diária de dezenas de Shams através de seus ataques aéreos só vai trazê-los calamidades, e que, assim como matam , serão mortos, com a permissão de Alá.”

Os autores de revista também fizeram alusão aos assassinatos em Paris na sexta-feira, declarando que os ataques “abalou o mundo e lembrou as nações do kufr (infiel ou não-Muçulmano) que o Estado Islâmico continuará a se manter firme em face de suas transgressões”.

dabiq paris

A mais recente edição da revista jihadista (foto) apresenta uma imagem dos ataques a Paris na primeira página intitulada ‘Só Terror’

Acrescentou que o ISIS iria “retaliar com fogo e sangue em vingança pela honra do Profeta (Muhammad/Maomé) e pelas multidões de mortos e feridos nos ataques aéreos dos cruzados nas terras dos Muçulmanos“.

Similar às declarações sobre a explosão do jato Russo alegou que tinha sido realizado em resposta à participação da França em ataques aéreos na Síria e no Iraque.

Justificou: “[A França] também não compreendeu que o seu escárnio sobre o Mensageiro (Profeta Muhammad) não seria deixado sem vingança.”

“Assim, o Estado Islâmico (ISIS) despachou seus bravos cavaleiros para a guerra nas terras dos cruzados perversos, deixando Paris e seus moradores chocados e intimidados. Os oito cavaleiros colocaram Paris de joelhos, depois de anos de presunção Francesa em face do Islã. “

Enquanto isso,  foi revelado hoje que a bomba que derrubou o jato Russo foi colocada na cabine principal da aeronave e não no compartimento de carga, conforme relatado anteriormente, disse ainda hoje o Kommersant, citando uma fonte não identificada.

O jornal, citando uma fonte próxima à investigação do acidente, disse que o epicentro da explosão parecia ter sido na parte traseira da cabine perto da cauda do avião.

“De acordo com uma versão preliminar, a bomba pode ter sido colocada sob o banco do passageiro, ao lado da janela. A sua operação levou à destruição da estrutura e a despressurização da cabine, o que teve um carácter explosivo.”

Ontem Vladimir Putin finalmente reconheceu que o jato foi explodido por uma bomba contendo 1,5 kg de fabricação caseira, resultando na perda de 224 vidas.

Todas as 224 pessoas a bordo morreram no acidente. O Presidente Vladimir Putin, prometeu caçar os responsáveis ​​e intensificou os ataques aéreos contra militantes na Síria.

O Airbus A321 desapareceu 23 minutos depois de deixar o aeroporto de Sharm el-Sheikh em rota para São Petersburgo em 31 de Outubro.

Alexander Bortnikov, chefe da agência de segurança FSB disse o presidente Russo, Vladimir Putin: “Podemos dizer de forma inequívoca que foi um ato de terror”.


Tradução Sebastian Cazeiro.

Anúncios