Obama na Mesquita de Baltimore cita Muhammad de discurso que endossa o califado e decapitação

Fonte/Source: Obama at Baltimore mosque quoted Muhammad from speech endorsing caliphate and beheading

Obama na Mesquita de Baltimore cita Muhammad de discurso que endossa o califado e decapitação

Por Robert Spencer

09 de Fevereiro de 2016

Disse Obama:

Aquele que quiser entrar no paraíso, ensinou o Profeta Muhammad: ‘deixe-o tratar as pessoas do jeito que ele gostaria de ser tratado”.

Esse dito vem deste hadith:

Foi narrado sob a autoridade de ‘Abd al-Rahman b. Abd Rabbo al-Caaba, que disse:

Entrei na mesquita quando ‘Abdullah b. ‘Amr b. al-`As estava sentado à sombra da Ka’ba e as pessoas reunidas em torno dele. Dirigi-me a elas e sentei-me próximo. (Agora)  disse: eu acompanhei o Mensageiro Alá (ﷺ) em uma viagem. Paramos em um lugar. Alguns de nós começamos a montar nossas tendas, outros começaram a competir uns com os outros no tiro, e outros começaram a pastar seus animais, quando um locutor do Mensageiro de Alá (ﷺ) anunciou que as pessoas deveriam se reunir para a oração, que nos reunissem em torno do Mensageiro de Alá (ﷺ). Disse: Foi o dever de cada Profeta anterior a mim guiar seus seguidores para o qual sabia que era bom para eles e adverti-los contra o que ele sabia que era ruim para eles; mas esta Umma de vocês tem seus dias de paz e (segurança) em início de sua carreira, e em sua última fase de existência será atingida com provações e coisas desagradáveis ​​para você. (Nesta fase da Umma), haverá grandes provações, uma após a outra, cada uma fazendo a anterior diminuir em insignificância. Quando forem atingidos por provações, o crente dirá: Isto vai trazer a minha destruição. Quando (a provação) terminar, serão atingidos com outra provação, e o crente dirá: Isso certamente vai ser o meu fim. Quem quiser ser libertar do fogo e entrar no jardim deverá morrer com fé em Alá e no Último Dia, e deve tratar as pessoas como deseja ser tratado por elas. Aquele que jura fidelidade a um califa deve dar-lhe a promessa da mão e da sinceridade do seu coração (i. E. Submeter-se a ele, tanto externamente, bem como internamente). Deverá obedecê-lo com o melhor de sua capacidade. Se outro homem se apresentar (como um pretendente ao Califado), disputando sua autoridade, eles (os muçulmanos) deverão decapitar o último. O narrador disse: Eu fui para perto dele ( ‘Abdullah b.’ Amr b al-‘As.) E disse: Você pode dizer sob juramento que você ouviu do Mensageiro de Deus (ﷺ)? Ele apontou com as mãos para os seus ouvidos e seu coração e disse: Meus ouvidos ouviram e minha mente reteve. Eu disse a ele: Esse seu primo, Mu’awiya, nos ordenou que consumíssemos injustamente nossa riqueza entre nós e matássemos uns aos outros, enquanto ALá diz: “Ó fiéis, não consumam a sua riqueza entre vós injustamente, a menos que seja um negócio de comum acordo, e não matem a si mesmos. Em verdade, Al é misericordioso com você” (IV. 29). O narrador disse que (ouvindo isso) Abdullah b. ‘Amr b. al-As manteve o silêncio por um tempo e depois disse: obedeça-o na medida em que ele é obediente a Alá; e desobedeça-o em questões envolvendo desobediência a Deus. (Livro Sahih Muslim 20, n. 4546)

Imediatamente após a passagem citada por Obama, vem uma exortação para obedecer o califa e decapitar pretendentes rivais. Incorporado ao mesmo texto que Obama estava usando, vemos endossos de ideias que Obama provavelmente rejeitaria como não tendo nada a ver com o autêntico Islã. É extremamente improvável, é claro, que Obama tenha visto essa passagem, mas o uso (i.e., seus redatores de discursos ‘) dessa citação segue o mesmo padrão quando exorta o verso do Alcorão 05:32: cita seletivamente (embora nenhum Muçulmano o esteja acusando de “cherry-picking”! — ou seja, aquele que só escolhe as melhores partes...), ignorando passagens inconvenientemente violentas que estão ao lado da passagem citada.

Não estaria isso afirmando de forma extrema que Barack Obama, ao sustentar que o Islã ensina a paz, não possa encontrar algumas passagens que são inequivocamente pacíficas, e em vez disso tem busca suas passagens pacíficas em meio a exortações à violência?

Não nos diz algo sobre o Islã como um todo — algo que Obama e o establishment político e a mídia Ocidental nunca irão nos dizer?

Obama at Islamic Society of Baltimore, Allah

Discurso do Obama na última quarta-feira na Sociedade Islâmica de Baltimore:

Então, vamos começar com este fato: Por mais de mil anos, as pessoas têm sido atraídas pela mensagem de paz do Islã. E a própria palavra, Islamismo, vem de salam — paz. A saudação padrão é as-salamu alaikum — que a paz esteja com você. E como tantas religiões, o Islã está enraizado em um compromisso de compaixão, misericórdia, justiça e caridade. Quem quiser entrar no paraíso, o Profeta Muhammad ensinou: “deixe-o tratar as pessoas do jeito que ele gostaria de ser tratado.” (Aplausos). Para os Cristãos, como eu, estou assumindo que parece familiar. (Risos.)


Tradução: Sebastian Cazeiro

Anúncios

2 opiniões sobre “Obama na Mesquita de Baltimore cita Muhammad de discurso que endossa o califado e decapitação”

  1. Obama deveria ser desmascarado. Esse cristão é tão verdadeiro quanto uma nota de três reais. Mas até o Papa é falso!

    Curtir

  2. OU É UM GRANDE IGNORANTE, OU UM HIPOCRITA, OU PIOR AINDA, UM MENTIROSO QUE PRATICA TAKYA E PORTANTO UM GRANDE FILHO DA P. QUE DEVERIA SER DESMASCARADO.

    Curtir

Os comentários estão desativados.