Orbán: UE precisa mudar após ´Cristãos assassinados no Natal` no ´Coração da Europa`

Fonte / Source: Orbán: EU Must Change After ‘Christians Murdered at Christmas’ in ‘Heart of Europe’ – Breitbart

Photo Cover: ATTILA KISBENEDEK/AFP/Getty Images


Orbán: UE precisa mudar após ´Cristãos assassinados no Natal` no ´Coração da Europa`

Por VIRGINIA HALE

25 Dezembro 2016

Os imigrantes ilegais precisam ser deportados e as fronteiras Europeias fechadas, depois desse ataque “sem precedente” em Berlim, disse o Primeiro-Ministro Húngaro, Viktor Orbán.

“Isso não tem precedente, no coração da Europa, Cristãos foram assassinados no Natal”, disse Orbán numa entrevista publicada no sábado, falando sobre o ataque terrorista em Berlim, no qual um imigrante Tunisiano acelerou um caminhão contra uma multidão de pessoas em uma feira de Natal na Segunda-feira.

“É claro que, no caso da migração, nada pode permanecer do jeito que era antes. Bruxelas precisa mudar, os migrantes que entraram ilegalmente na Europa precisam ser deportados, as fronteiras precisam ser protegidas e o influxo de migrantes tem de ser eliminado”, disse o estadista do Fidesz ao jornal online Veszprém.

Refletindo sobre o ano, Orbán o saudou como um em que a “revolta” democrática ocorreu no Ocidente contra os líderes políticos “que se recusaram a ouvir o povo”.

“A rebelião efetivamente ocorreu nas duas democracias modelo do mundo”, disse Orbán, observando que: “Há um ano, ninguém teria acreditado que o Reino Unido se retiraria da União Europeia (UE), ou que os Americanos rejeitariam o clã Clinton.

“Isso continuará em 2017, que será o ano da revolta em prol da democracia Europeia”, previu o líder Húngaro, ecoando suas declarações da semana passada.

A Hungria entre outros países da Europa Central “tiveram a oportunidade de aprender com os erros da Europa Ocidental”, afirmou Orbán, e prometeu defender o seu país dos “perigosos, irresponsáveis” ditadores de Bruxelas incluindo a “imigração em massa”.

“A Hungria é uma ilha estável no turbulento mundo Ocidental porque as pessoas daqui foram consultadas sobre suas opiniões e defendemos o país contra a imigração ilegal”.

O Primeiro-Ministro disse que as tentativas da Europa Ocidental de integrar os migrantes não-Europeus “têm sido obviamente um fracasso”, apesar de terem sido iniciadas a décadas pela política de importação de estrangeiros em massa.

O resultado, lamentou, é que “em muitas cidades da Europa Ocidental os povos não têm mais paz de espírito, os crimes contra as mulheres multiplicam-se rapidamente e a ameaça do terror cresce vertiginosamente.

“Isso abala a confiança e a autoestima do mundo Ocidental. A desaceleração econômica, a criminalidade, o terrorismo, a migração, a indecisão, o discurso insincero, tudo soma  e os líderes Ocidentais não darão as respostas”.

Isso terá sérias consequências “, alertou Orbán.

Muito longe da retórica dos líderes da Europa Ocidental, a mensagem de Natal do Primeiro-Ministro foi patriótica. Refletiu sobre os incríveis sucessos econômicos de seu governo no ano passado e, destacando metas para 2017, o líder Húngaro disse: “A tarefa mais difícil é despertar o orgulho do povo, porque eles próprios são responsáveis ​​pelos sucessos que conseguimos.”


Tradução: Tião Cazeiro – Muhammad e os Sufis

Anúncios