Hizbollah, intermediário do Irã, executa “praticamente sem oposição operação de tráfico de drogas” na América do Sul

Fonte / Source:  Iran proxy Hizballah running “virtually unopposed drug trafficking operation” in South America

Hizbollah, intermediário do Irã, executa “praticamente sem oposição operação de tráfico de drogas” na América do Sul

Pot ROBERT SPENCER

23 DE DEZEMBRO DE 2016

A República Islâmica do Irã está envolvida numa guerra abrangente e multifacetada contra os Estados Unidos, como detalhei em meu livro The Complete Infidel’s Guide to Iran. O tráfico de drogas é apenas um de seus muitos aspectos e ajuda a financiar os outros.

Alguns pensam ingenuamente que um grupo que se autodenomina “o Partido de Alá” não se envolveria em um negócio sujo como o tráfico de drogas. Mas as drogas são para os infiéis. “Muhammad é o apóstolo de Alá. Aqueles que o seguem são misericordiosos uns com os outros, impiedosos para os incrédulos “(Alcorão 48:29).

“House Report: Hezbollah trafica drogas ‘Praticamente sem oposição’ na América Latina”, de Edwin Mora, Breitbart, 21 de dezembro de 2016:

Hezbollah, o narco-jihadista intermediário do Irã, controla uma “operação de tráfico de drogas praticamente sem oposição” na América do Sul, com ligações com o grupo terrorista Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC), relata a força-tarefa bipartidária do Task Force to Investigate Terrorismo Financing (Força-Tarefa para Investigar o Financiamento do Terrorismo).

O Hezbollah também está envolvido em lavagem de dinheiro e fornece sua experiência na prática ilícita para outros grupos de narcotraficantes na América Latina, incluindo Los Zetas no México.

“As ações financeiras múltiplas do Departamento do Tesouro dos EUA nos últimos anos destacaram a capacidade do Hezbollah, um grupo terrorista com conhecimentos financeiros sofisticados, de explorar o sistema financeiro internacional, transferir e armazenar ativos ilícitos”, observa a força-tarefa do House Financial Services Committee para Investigar o Financiamento do Terrorismo em seu relatório.

“Em 2011, o cidadão Libanês-Colombiano Ayman Joumaa foi indiciado nos Estados Unidos por tráfico de cocaína com ligações com o grupo Mexicano Los Zetas e lavagem de milhões de dólares em produtos de drogas em toda a América Latina, África Ocidental e Europa — Uma parte dos quais teria sido reservada como lucro para o Hezbollah

Joseph Humire, especialista na presença do Irã no Hemisfério Ocidental e diretor executivo do Centro para uma Sociedade Livre e Segura (SFS), disse ao Breitbart News em Setembro que várias organizações criminosas transnacionais Latino-Americanas (TCOs), incluindo os cartéis de drogas Mexicano, estão pagando ao Hezbollah um “imposto” para transferir pessoas, narcóticos, armas e outros contrabandos dentro e fora das Américas.

Embora ainda não esteja claro exatamente quanto dinheiro o Hezbollah gera em suas atividades ilegais na América Latina, o tenente-general Kenneth Tovo, ex-vice-comandante do Comando Sul dos EUA (SOUTHCOM), estimou em março de 2015 que o tráfico de drogas ilegais na região gera pelo menos “dezenas de milhões” para o Hezbollah.

A força tarefa do Congresso informa:

Com sede no Líbano, o grupo terrorista Xiita Muçulmano Hezbollah tem sido vinculado a organizações Sul-Americanas de tráfico de drogas que operam a partir da região da tríplice fronteira [Paraguai, Argentina, Brasil]. Essa parceria criminosa gerou milhões de dólares em receita para o grupo financiar suas operações no Oriente Médio. Além disso, há uma preocupação crescente de que grupos terroristas possam usar organizações criminosas Latino-Americanas para se infiltrarem nos Estados Unidos.

O relatório aponta que as forças de segurança dos Estados Unidos associaram as operações de tráfico de drogas do Hezbollah com as FARC,  grupo designado como terrorista pelos Estados Unidos, o qual é identificado como um dos grupos Latino-Americanos que controlam a maior parte do cultivo e produção ilícita de cocaína em todo o mundo.

Citando Michael Braun, ex-chefe de operações da DEA (Drug Enforcement Administration), a força-tarefa bipartidária relata que o Hezbollah está executando uma “operação de tráfico de drogas praticamente sem oposição… na América do Sul”.

Em Junho, Braun disse ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara que o Hezbollah está gerando milhões de dólares através de um “esquema de lavagem de dinheiro de cocaína” na América Latina que “fornece uma fonte interminável de financiamento” para suas operações terroristas.

Também em junho, o Departamento de Estado dos EUA informou que a Venezuela, que se recusou a cooperar com os esforços antiterroristas dos Estados Unidos na América Latina por quase uma década, fornece um “ambiente permissivo” dentro de suas fronteiras, promovendo apoio ideológico e financeiro ao Hezbollah.

A força-tarefa observa que um grupo de países Sul-Americanos liderados pela Venezuela está por trás das operações de redes criminosas que estão criando alianças com grupos terroristas como o Hezbollah.

O especialista em segurança nacional Douglas Farah, presidente da IBI Consultants LLC e pesquisador sênior do National Defense University Center, disse aos legisladores em maio de 2015 que a “convergência do terrorismo, do crime transnacional e da corrupção [é] uma ameaça estratégica significativa para os Estados Unidos.”

Afirmou que um bloco de países Sul-Americanos, liderados pela Venezuela, estão operando redes criminosas organizadas transnacionais e criando alianças em todo o mundo com organizações terroristas, incluindo o Hezbollah e as FARC, acrescentando que muitas vezes usam o produto do tráfico de drogas como fonte de receita.

O “bloco de países, liderado pela Venezuela, agora opera em conjunto como um projeto político, com um objetivo subjacente de prejudicar os Estados Unidos e como uma empresa criminosa conjunta”, testemunhou Farah.

De acordo com a House task force, o nexo entre grupos criminosos e organizações terroristas na América Latina está crescendo.

O grupo de trabalho reconhece que as operações do Hezbollah no Hemisfério Ocidental se estendem aos Estados Unidos, observando que “o Hezbollah [financiou] suas atividades em parte usando companhias escabrosas na Carolina do Norte para contrabandear cigarros para financiar o terrorismo”.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios