Estudantes da Columbia University apoiam a mutilação genital feminina

Excertos por Pamela Geller 

 

03 de Janeiro de 2017

Estes excertos mostram muito bem o grau de submissão, inconsciente, com relação a imposição da Sharia nos Estados Unidos da América e no mundo.

As universidades estão bombardeando a cabeça das alunos. O Islã está intenso e a esquerda dando todo apoio.

Criticar ou não criticar, eis a questão. Se apoiar a mutilação genital feminina será criticado. Se não apoiar será criticado também. Só resta ficar em cima do muro e dizer que aceita os costumes alheios.

Aos poucos, vão aceitando este absurdo que nada mais é do que tirar o prazer sexual da mulher. O Islã odeia a mulher. O mundo todo fala disso, não estou inventando nada. Está escrito no Alcorão.

A mulher é um inimigo perpétuo do Islã

islam-women eles nos detestam

Tradução do texto da foto: “Sim: Eles nos odeiam. Isso precisa ser dito”

Vamos aos excertos de Pamela Geller:

“O grupo de defesa dos direitos humanos, a American Freedom Defense Initiative (AFDI), revelou hoje uma pesquisa alarmante divulgada em vídeo,  — filmado na Universidade de Columbia, uma escola da Ivy League e um dos principais centros de ensino superior da nação, — que a maioria dos estudantes estão dispostos a tolerar a mutilação genital feminina.

“A presidente da AFDI, Pamela Geller, observou: “Os alunos foram questionados se a Planned Parenthood deveria financiar e apoiar a mutilação genital feminina (MGF). A MGF envolve a remoção parcial ou total do clitóris causando lesões nos órgãos genitais femininos por razões não médicas. Ela não tem benefícios para a saúde de meninas e mulheres, e remove toda a possibilidade de prazer sexual. É o pior tipo de misoginia. Os procedimentos podem causar sangramento severo e problemas de urinar, e mais tarde cistos, infecções, bem como complicações no parto e aumento do risco de mortes de recém-nascidos.”
"Hipócritas e enganadores afirmam que a mutilação genital feminina é um fenômeno cultural e não religioso, a MGF é um fenômeno ISLÂMICO e só é encontrado no interior, ou em áreas adjacentes, das comunidades Muçulmanas.
Mais de 200 milhões de meninas e mulheres vivas hoje foram cortadas em 30 países na África, Oriente Médio e Ásia, onde a MGF está concentrada."
 Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis
Anúncios