MIGRAÇÃO EM MASSA É PURO CAPITAL POLÍTICO

Photo Cover: GETTY

MIGRAÇÃO EM MASSA É PURO CAPITAL POLÍTICO

Por Tião Cazeiro

Por que o Projeto de Lei 2516/2015 que institui uma nova Lei de Migração no Brasil está sendo veementemente criticado nas redes sociais?

A resposta é clara, por não considerar principalmente o antagonismo Islâmico.

Este antagonismo a que me refiro foi publicamente denunciado pelo Presidente do Egito Abdel Fattah al-Sisi, um Muçulmano fervoroso que no entanto abraçou os Cristãos Coptas no Natal de 2015 numa Igreja Copta pela primeira vez na história do Egito.

O próprio General al-Sisi neste vídeo confirma que o Islã está antagonizando o mundo todo.

Infelizmente e apesar dos esforços de al-Sisi teremos que conviver com a realidade: Al Azhar Rejeita Reforma do “Discurso Religioso”

“Como pode o homem de bom senso” negligenciar a violência no Alcorão?

A situação atual diverge do padrão normal de migração. Uma decisão desastrada neste momento levará o Brasil a uma guerra civil. Vide Europa. Principalmente quando o Ministro da Justiça Alexandre de Moraes diz publicamente que não há limite para o número de migrantes.

Migração em massa para o Brasil em meio a uma crise profunda, com milhões de brasileiros desempregados, com Venezuelanos dormindo nas ruas e calçadas na região norte de Roraima, criminalidade altíssima, conflitos armados com traficantes, corrupção etc. me leva a pensar que esse governo está envolvido numa intensa pressão internacional.

George Soros disse que a União Européia deveria aceita no mínimo um milhão de refugiados anualmente.

Os excertos a seguir foram retirados de um artigo do Express:

“George Soros,  ativista dos direitos humanos, e notável adepto da União Europeia, apelou para que a UE aceite mais refugiados e que cubra os custos de alojamento e os cuidados com relação a saúde e a educação, para cada refugiado durante os primeiros dois anos.

O empresário bilionário foi acusado na semana passada pelo primeiro-ministro da Hungria de encorajar deliberadamente a crise migratória.

O Primeiro-ministro Húngaro, Viktor Orban, afirmou que ativistas como Soros são em parte culpados pela crise atual. (ênfase adicionada)

Ele disse: “Essa invasão é conduzida, por um lado, por contrabandistas de pessoas, e por outro lado por aqueles ativistas que se alimentam de tudo aquilo que enfraquece o Estado-nação”.

Agora entenda o motivo que levou o Primeiro-ministro Húngaro Viktor Orbán a fechar as fronteiras da Hungria:

Raymond Ibrahim diz que o crime de Orbán é querer defender a sua nação contra os Muçulmanos e preservar a sua identidade Cristã. De acordo com o primeiro Ministro da Hungria:

Aqueles que chegam foram criados em outra religião, e representam uma cultura radicalmente diferente. A maioria deles não é Cristã, e sim Muçulmana. Essa é uma pergunta importante, porque a Europa e a identidade Europeia estão enraizadas no Cristianismo…

O primeiro ministro passou a citar a história — e não de forma politicamente correta, para condenar Cristãos, e acobertar Muçulmanos, mas de acordo com a realidade:

Tenho que dizer que quando se trata de viver junto com comunidades Muçulmanas, nós somos os únicos que possuem experiência porque tivemos a possibilidade de passar por essa experiência durante 150 anos.

Orbán se refere à conquista Muçulmana, e a ocupação da Hungria de 1541 a 1699. Naquela época, a jihad Islâmica, o terrorismo, e a perseguição aos Cristãos foram incontroláveis, implacáveis.

Agora, eis aqui um dado importante:

“Soros tem um histórico de doações de elevadas somas de dinheiro para áreas carentes ao redor do mundo, mas isso só ocorreu uma vez através da ONU. “Na Bósnia, nós fizemos uma doação ao Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados). Mas aquela foi realmente uma exceção.” “Nós interferimos em assuntos internos dos Estados, mas baseados em ajudar pessoas dentro do país.” “Na verdade, temos sido bastante efetivos em levar democratização, mudança democrática de regime, na Eslováquia, na Croácia e na Iugoslávia, mas isso ajudando a mobilização da sociedade civil nesses países.” MundoRI – Editorial – George Soros: o desafio de Bush (ênfase adicionada)

“Neste artigo, a famosa ativista Pamela Geller revela documentos que vazaram na rede social comprovando que George Soros chama a crise migratória de “Nova Norma” dizendo que isso abre oportunidades globais, para a influencia global da sua fundação. Isso a grande a mídia jamais dirá a você, não é mesmo?  Leaked Soros Memo Calls Refugee Crisis ‘New Normal,’ Says It ‘Opens Opportunities’ for Foundation’s Global Influence – The Geller Report

Portanto, impor uma migração em massa no momento atual, não somente é uma tremenda irresponsabilidade como também capital político. Partidos de esquerda aliados do Islã e globalistas como Soros, que não medem consequências quando se trata de atingir a meta de uma ideologia utópica muito parecida com a do Islã, podem estar por trás disso tudo, o que não me surpreenderia.

O Primeiro Ministro de Israel Benjamin Netanyahu tem razão quando diz:

“Nós já vimos isso antes: Há uma raça superior; Agora há uma fé superior”

 


 

 

Anúncios