NYC CONCEDE US$10 MILHÕES A LINDA SARSOUR, UMA MULHER HOSTIL QUE APOIA A JIHAD PALESTINA

Fonte/Source: NYC giving $10 million to Linda Sarsour, hate-filled supporter of Palestinian jihad

Nota do blog: Resolvi traduzir este artigo “antigo” do Robert Spencer para mostrar quem na realidade é Linda Sarsour, a Muçulmana  que organizou a Marcha das Mulheres contra o Presidente Donald Trump com apoio de mais de 50 parceiros de George Soros.

NYC CONCEDE US$10 MILHÕES A LINDA SARSOUR, UMA MULHER HOSTIL QUE APOIA A JIHAD PALESTINA

POR ROBERT SPENCER

 3 de Abril de 2016

“A Associação Árabe-Americana de Nova York, uma organização sem fins lucrativos com sede em Brooklyn e administrada por Linda Sarsour, foi selecionada como um dos 14 grupos que irão receber do Fundo da Prefeitura para Avançar Nova York, US$10 milhões em cinco anos…” Linda Sarsour adora se mostrar como uma alienígena, lutando contra ‘O Homem’ em solidariedade a todos os outros ‘Povos Oprimidos’, mas na realidade ela é a própria figura quintessencial do establishment, ainda mais agora que a linha dura da Esquerda e os Socialistas estão firmemente instalados nos corredores do poder… Sua postura de vítima cínica e falsa, e a remoção efetiva de obstáculos para avançar a violência terrorista são fatos comuns hoje em dia. Os verdadeiros alienígenas e as vozes dos oprimidos que estão lutando contra os autoritários que fazem tudo o que podem para silenciá-los e difamá-los são os inimigos da jihad.

Sarsour é uma administradora energética do mito da “Islamofobia”, e já afirmou histericamente que “crianças Muçulmanas” estão sendo “executadas” nos Estados Unidos. Serviu de instrumento para prevalecer sobre de Blasio (Prefeito de Nova York) a fim de terminar com a vigilância legal e necessária nas comunidades Muçulmanas de Nova York. Ela também é uma visitante frequente da Casa Branca de Obama, e alegou que o jihadista que tinha uma bomba na cueca foi um agente da CIA — parte do que ela alega ser uma guerra dos EUA contra o Islã.

Sarsour é também uma exploradora hábil do “ódio” difamatório contra os inimigos do terror jihadista e da supremacia Islâmica, e nunca se desculpou por usar o homicídio de honra Islâmico de Shaima Alawadi para espalhar mentiras sobre a prevalência de crimes de ódio contra os Muçulmanos na América. Ela também é uma partidária entusiasta da jihad “Palestina” contra Israel. Dado o apoio geral à jihad entre os esquerdistas e o viés de esquerda do regime de Blasio em Nova York, não é surpreendente que seus empreendimentos cheios de ódio sejam financiados pelos contribuintes. O que é um escândalo: um sinal sombrio dos tempos.

linda-sarsour

“NYC CONCEDE 500 MIL DÓLARES PARA ATIVISTA NO CENTRO DA GUERRA PALESTINA-ISRAEL NO TWITTER” POR RICH CALDER, NEW YORK POST,  2 DE ABRIL DE 2016:

A Primeira-Dama da cidade de Nova York, Chirlane McCray, está entregando mais de US $ 500 mil a uma ativista Árabe-Americana que foi criticada por denunciar os críticos no Twitter como “trolls Sionistas”.

A Associação Árabe-Americana de Nova York, uma organização sem fins lucrativos com sede em Brooklyn administrada por Linda Sarsour, foi selecionada como um dos 14 grupos para receber do Fundo do Prefeitura para Avançar Nova York, US$10 milhões ao longo de cinco anos para integrar serviços de saúde mental aos Programas da sua comunidade. McCray supervisiona o fundo.

Sarsour, uma aliada e cabo eleitoral do Prefeito de Blasio, entrou em guerra no Twitter em Outubro passado com o Conselheiro do Queens, Rory Lancman, que é Judeu, quando ela postou uma foto de um menino Palestino segurando pedras na frente dos soldados Israelenses, rotulando-o de “A definição de coragem.”

Depois que Lancman respondeu: “Não, a definição de barbarismo”, Sarsour tuitou, “Os trolls Sionistas estão prontos para jogar. Me provoca. Você nunca vai conseguir me silenciar” …


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios