TRUMP NA CIA: “TEMOS QUE NOS LIVRAR DO ISIS. NÃO TEMOS ESCOLHA… ESSE É UM NÍVEL DE CRUELDADE QUE AINDA NÃO TÍNHAMOS VISTO”

Fonte/Source: Trump at CIA: “We have to get rid of ISIS. We have no choice….This is a level of evil that we haven’t seen”


TRUMP NA CIA: “TEMOS QUE NOS LIVRAR DO ISIS. NÃO TEMOS ESCOLHA… ESSE É UM NÍVEL DE CRUELDADE QUE AINDA NÃO TÍNHAMOS VISTO”

Por Robert Spencer

 21 DE JANEIRO DE 2017

“Temos de nos livrar do ISIS. Não temos escolha. O terrorismo Islâmico radical, e eu disse isso ontem, tem que ser erradicado da face da terra. Isso é o mal. Isso é o mal…. Esse é um nível de crueldade que ainda não tínhamos visto. E você vai fazê-lo com muita garra e vai fazer um trabalho fenomenal, e vamos dar um fim a isso. Está na hora. Está na hora de acabarmos com isso.”

Sobre o que o Trump disse ontem, eu já tinha dito o seguinte, não é possível erradicar o “terrorismo radical Islâmico” (que na verdade é ortodoxo e mainstream no Islã), enquanto houverem pessoas que acreditam que o Alcorão é a palavra perfeita e eterna de Alá. Sempre haverá alguns fiéis com a ideia de que podem agradar a Alá matando e sendo mortos por ele (Alcorão 9: 111). No entanto, a declaração de Trump, embora hiperbólica, é uma indicação bem-vinda de sua aparente determinação em falar honestamente sobre a natureza e magnitude da ameaça da jihad, para combatê-la e revertê-la…

Além disso, chamá-lo de “mal”, após oito anos de equívocos e ofuscação moral, é tão refrescante quanto Ronald Reagan chamando a União Soviética de “império do mal”, em meio a um período semelhante de equívoco e covardia. É bem-vindo ter esse tipo de clareza moral na Casa Branca. O Presidente Trump claramente espera imitar Reagan ao destruir o Estado Islâmico assim como as ações de Reagan levaram ao colapso da União Soviética. Esse colapso não acabou com o comunismo, que está vivo e bem no Partido Democrata e nos campi universitários dos EUA, mas deu-lhe um golpe significativo. Se o Trump terminar com o Estado Islâmico, não vai acabar com o jihad Islâmica, mas vai dar um golpe significativo. Depois de tantos anos ignorando, permitindo, explicando e se culpando por causa da jihad, os Estados Unidos estão finalmente de volta aos trilhos.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios