EXCLUSIVO: PARTIDÁRIOS DO ISIS REAGEM COM RAIVA À SUSPENSÃO TEMPORÁRIA DE REFUGIADOS DO TRUMP

Fonte/Source: EXCLUSIVE – Islamic State Supporters React Angrily to Trump’s Temporary Refugee Halt

Photo/Cover/Credit: (AP / Dar Yasin) 

EXCLUSIVO: PARTIDÁRIOS DO ISIS REAGEM COM RAIVA À SUSPENSÃO TEMPORÁRIA DE REFUGIADOS  DO TRUMP

Por Aaron Klein and Ali Waked

30 de Janeiro de 2017

Manifestantes Muçulmanos mantêm uma bandeira do Estado Islâmico enquanto clamam slogans contra a Índia durante um protesto em Srinagar, na Caxemira controlada pela Índia, Sexta-feira, 8 de Abril de 2016. A polícia disparou gás lacrimogêneo para dispersar a população que se reuniu depois das preces da tarde para protestar contra o controle Indiano sobre uma parte da região disputada de Caxemira.

Simpatizantes e militantes do Estado Islâmico (ISIS) reagiram de forma previsível ao bloqueio temporário do Presidente Donald Trump sobre os refugiados, enquanto o governo revigora o falho processo de triagem de segurança.

A Breitbart Jerusalém obteve acesso à correspondência postada em um grupo fechado de bate-papo que utiliza o serviço de mensagens de Telegrama criptografados. O grupo de bate-papo serve como um Twitter interno de tipos como os jihadistas e simpatizantes do ISIS, e tem sido usado no passado para emitir comunicações do ISIS.

“O louco Trump ainda ignora a política, a ciência e a cultura”, escreveu o apoiador do ISIS Abu Maslama para seus associados no aplicativo Telegram. “Esse Cruzado que odeia o Islã impede que os Muçulmanos entrem na América. Esse Nazista fracassado acha que isso vai impedir os mujahedeen de golpear seu país. Ele não entende que seu país vai implodir? Quando isso acontecer, ele entrará em pânico e retrocederá em suas políticas de ódio ao Islã. ”

Maslama não ofereceu nenhuma explicação sobre como os EUA supostamente implodirão implementando procedimentos mais rígidos de rastreamento de segurança destinados a manter os terroristas fora do país. Ele também alegou falsamente que Trump estava impedindo os Muçulmanos de entrar no país. Na verdade, a ordem executiva de Trump suspende vistos por 90 dias para “imigrantes e não-imigrantes” da Síria, Somália, Sudão, Líbia, Iêmen, Irã e Iraque. A ordem suspendeu ainda mais a entrada de todos os refugiados por 120 dias, indefinidamente bloqueou os refugiados Sírios de entrar e baixou o teto para 50.000 de refugiados autorizados a entrar nos EUA durante o ano fiscal de 2017.

Enquanto isso, o usuário do Telegrama Omra Alfarouq, outro apoiador do ISIS, escreveu: “As decisões tomadas por esse tolo (Trump) vão arrastar os Estados Unidos e seus seguidores para uma guerra, uns contra os outros, que será provocada pelos mujahedeen, que aproveitarão a oportunidade para se infiltrar.”

ALFAROUQ OMAR TELEG

Utilizando linguagem racista, Alfarouq continuou: “Os confrontos com os negros que começaram sob o comando do asno Obama se repetirão, mas desta vez de forma muito mais ampla entre os Americanos. E os Muçulmanos vão explorar esses confrontos para atacar no coração do país infiel. Não pense que a vitória virá por conta própria. Ela vai emanar de estupidez deles e seus atos criminosos que atestam seu ódio ao Islã. Alá, em sua sabedoria, fortalecerá os mujahedeen e os conduzirá à vitória. ”

Um partidário da ISIS que publica mensagens sob o nome “ISIS WILL LIVE FOREVER”/”ISIS VIVERÁ PARA SEMPRE” escreveu: O ódio —”Trump e (Vladimir) Putin—, dos Cruzados pelo Islã é notório e suas políticas só provam isso. A guerra contra os Cruzados começou e terminará com sua derrota. Estamos no fim dos tempos, e em que tempo estão — no tempo dos oprimidos mujahedeen sobre a face da terra. A sabedoria de Alá permitirá que os mujahedeen e os oprimidos se levantem e cortem as cabeças dos Cruzados… e de todos aqueles que o apoiam, inclusive aqueles que falsamente afirmam serem Muçulmanos”.

ISIS WILL LEAVE FOREVER (1)

ISIS, Al Qaeda e outros grupos terroristas teriam procurado maneiras de tirar proveito da crise de refugiados no Oriente Médio com o objetivo de infiltrar as nações Ocidentais.

Em Novembro passado, um atropelamento intencional e um massacre por esfaqueamento foram realizados na Universidade Estadual de Ohio pelo refugiado Somaliano Abdul Razak Ali Artan, que teria sido inspirado pelo ISIS.

Em 2013, a ABC News revelou pela primeira vez que dois anos antes, o Departamento de Estado impôs congelamento do processamento de refugiados Iraquianos por seis meses. A interrupção foi resultado da descoberta de dois membros da al-Qaeda, admitidos como refugiados do Iraque, que viviam em Bowling Green, no Kentucky, e que admitiram ter atacado tropas Americanas no Iraque. A rede na época também citou agentes do FBI que admitem: “várias dezenas de suspeitos de bombas terroristas, incluindo alguns que acreditam terem alvejado as tropas Americanas, podem ter sido erradamente autorizados a se mudar para os Estados Unidos como refugiados de guerra”.

Aaron Klein é o chefe do escritório de Breitbart em Jerusalém e repórter investigativo sênior. Ele é autor best-seller do New York Times e apresenta um programa popular de rádio nos fins de semana, “Aaron Klein Investigative Radio“. Siga-o no Twitter @AaronKleinShow. Siga-o no Facebook.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios