FACEBOOK INTRODUZ PLANO PARA DECIDIR QUAIS NOTÍCIAS SÃO “FALSAS”

Fonte/Source: Facebook Rolls Out Plan To Decide What News Is “FAKE” – The Geller Report


FACEBOOK INTRODUZ PLANO PARA DECIDIR QUAIS NOTÍCIAS SÃO “FALSAS”

Por Pamela Geller

31 de Janeiro de 2017

Ponha a música Nazista pra tocar…

Joseph Goebbels foi o curador quintessencial de notícias. Bom trabalho, Mark Zuckerberg.

Os capangas de George Soros, através de sua empresa, Media Matters, que difama os anti think tanks, estão se associando ao Facebook para escolherem o que é real e o que é falsa notícia. Portanto, agora existe um protocolo em vigor pairando sobre nossa cabeça, exatamente onde o indivíduo pode compartilhar nossos pensamentos, ideias e artigos.

“Por exemplo, se os posts das páginas são frequentemente escondidos por pessoas que os leem, isso é um sinal de que podem não ser autênticos”, diz o post do Facebook, que é criado por dois cientistas e um gerente de engenharia. Mas, de acordo com duas pesquisas independentes, conduzidas por organizações de pesquisa sem fins lucrativos, os Democratas são muito mais propensos do que os Republicanos a bloquearem ou deixarem de seguirem pessoas nas mídias sociais sobre desacordos políticos. E se essas mesmas pessoas estão dispostas a bloquearem ou deixarem de seguir as pessoas que discordam, então elas provavelmente vão fazer o mesmo com as notícias que discordam, independentemente da autenticidade do conteúdo.

Isso é uma espada de dois gumes. Leitores, você estão no Facebook. Ocultem as notícias de Esquerda, denunciem, marquem — todas elas. New York Times, LA Times, Boston Globe, Huffington Post, Media Matters – façam isso. Façam isso com todos eles.


FACEBOOK INTRODUZ PLANO PARA DECIDIR QUAIS NOTÍCIAS SÃO “FASAS”

Eric Lieberman, Daily Caller, 31 de Janeiro de 2017

 FACEBOOK PLANEJA ROTULAR AUTOMATICAMENTE NOTÍCIAS COMO “ENGANOSAS” E “SENSACIONALISTAS”, ALTERANDO A FORMA DE COMO O FEED DE NOTÍCIAS FUNCIONA.

FACEBOOK ANUNCIOU EM SEU BLOG OFICIAL QUE “HOJE ESTAMOS ANUNCIANDO DUAS ATUALIZAÇÕES PARA MELHORAR A CLASSIFICAÇÃO DAS NOTÍCIAS NO SEU FEED”.

As duas atualizações incluem “incorporar novos sinais para melhor identificação e classificação de conteúdo autêntico” e “uma nova maneira de prever e classificar em tempo real, quando os posts podem ser mais relevantes para você”.

A empresa de mídia social irá essencialmente adicionar mais marcadores para cada post, analisando fatores como a fonte da página. O algoritmo que o Facebook usa para triagem de conteúdo nos Feeds de notícias dos usuários será responsável por esses rótulos e posterior ajuste.

“Um dos nossos valores aplicado no Feed de notícias é a comunicação autêntica”, e a mensagem do Facebook continua. “Ouvimos da nossa comunidade que histórias autênticas são as que mais ressoam — aquelas que as pessoas consideram genuínas e não enganosas, sensacionais ou spam”.

Identificar automaticamente um post como legítimo ou fraudulento pode ser uma tarefa difícil para o Facebook, uma vez que a subjetividade parece ser responsável até mesmo pelos processos aparentemente científicos.

“se os posts das páginas são frequentemente escondidos por pessoas que os leem, isso é um sinal de que podem não ser autênticos”, diz o post do Facebook, criado por dois cientistas e um gerente de engenharia.

Mas, de acordo com duas pesquisas independentes, conduzidas por organizações de pesquisa sem fins lucrativos, os Democratas são muito mais propensos do que os Republicanos a bloquearem ou deixarem de seguir as pessoas nas mídias sociais por desacordo político. E se essas mesmas pessoas estão dispostas a bloquearem ou deixarem de seguir as pessoas que discordam, então elas provavelmente farão o mesmo com as notícias que discordam, independentemente da autenticidade do conteúdo.

Facebook tem outros fatores que estão inseridos e classificando os Feed de notícias, os quais têm menos a ver com a credibilidade, e mais a ver com interesses e engajamentos “tal como, se um amigo acaba de comentar sobre isso” ou “se o seu time de futebol favorito ganhou a partida”.

A empresa de mídia social conclui que isso não antecipa páginas considerando “quaisquer mudanças significativas em sua distribuição no Feed de notícias” e que todos devem retomar o negócio como de costume.

Facebook vem tentando ativamente eliminar as notícias enganosas de sua plataforma e promover conteúdo mais genuíno. O conglomerado tecnológico contratou a ex-âncora da CNN e o crítico do presidente Donald Trump, Campbell Brown, no início do mês para liderar sua equipe de parcerias de notícias.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios