CONTRABANDO DE MIGRANTES PARA A EUROPA, AGORA UMA IMPORTANTE FONTE DE FINANCIAMENTO PARA O ESTADO ISLÂMICO (ISIS)

Fonte/Source: Smuggling Migrants to Europe Now a Major Funding Source for Islamic State – Breitbart

Photo/Cover Page: REUTERS/Antonio Parrinello

CONTRABANDO DE MIGRANTES PARA A EUROPA, AGORA UMA IMPORTANTE FONTE DE FINANCIAMENTO PARA O ESTADO ISLÂMICO (ISIS)

Por VIRGINIA HALE

1 de Fevereiro de 2017

Grupos terroristas Islâmicos, incluindo o Estado Islâmico (ISIS), estão conseguindo manter grande parte de suas receitas via contrabando de migrantes para a Europa, disse o chefe de inteligência da Itália.

As informações recolhidas pelas agências de inteligência mostram que na África, gangues criminosas que trabalham traficando migrantes para a Europa, desenvolveram “parcerias” com organizações terroristas no Oriente Médio, incluindo o Estado Islâmico (ISIS), disse Alessandro Pansa à Stampa na Terça-feira.

“O ISIS está enfrentando sérios contratempos. Suas maiores fontes de renda — contrabando de produtos petrolíferos e antiguidades, estão secando. Entendemos que os terroristas estão recorrendo ao tráfico humano como uma nova fonte de receita”, disse Pansa ao jornal.

Pansa, o Diretor-geral do Departamento de Segurança da Informação, revelou as descobertas da agência de inteligência sobre a África, e os “riscos e oportunidades” da imigração, numa palestra em Nápoles.

Descrevendo o envolvimento de grupos terroristas Islâmicos no tráfico de seres humanos, como um grande desafio para a Itália, o chefe de segurança disse que é vital que a Itália trabalhe com os governos da África para “atacar as raízes do fenômeno migratório”.

A Reuters informou na Segunda-feira que o governo Italiano criou um fundo para ajudar as nações Africanas a fecharem suas fronteiras externas e conter o fluxo de migrantes que atravessam o Mediterrâneo em direção à Europa.

Pansa recusou-se a dar uma opinião sobre as ações tomadas pelo presidente Donald J. Trump para ajudar a proteger os EUA contra ataques terroristas — suspendendo a imigração e a emissão de vistos para cidadãos de sete países.

No entanto, de acordo com o chefe de segurança, as agências de inteligência Italianas não foram surpreendidas pelo novo presidente, por ter levado adiante as políticas migratórias prometidas na campanha, e acrescentou: “Nós já esperávamos isso”.

Quase 400 mil imigrantes chegaram à Europa por via marítima em 2016, e mais de 5.000 morreram ao tentar a viagem, estimam as agências de ajuda humanitária.

Em 2015, o então Primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, instou a União Europeia (UE) a enviar os barcos de volta à África, dizendo: “Se quiser proteger vidas, mantenha os barcos parados.”

“A grande coisa sobre a Operação Fronteiras Soberanas é que, ao parar os barcos, paramos com as mortes”, acrescentou.

No entanto, a porta-voz da Comissão Europeia Natasha Bertaud disse que o modelo Australiano “jamais será um modelo” para a UE, pois violaria obrigações internacionais.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios