16 NAÇÕES EUROPEIAS UNEM-SE PARA DEFENDER AS FRONTEIRAS DO CONTINENTE, DIZEM QUE A UE FALHOU

Fonte/Source: Austria Spearheads Balkan Frontier Defence Project, Says EU Has Failed

16 NAÇÕES EUROPEIAS UNEM-SE PARA DEFENDER AS FRONTEIRAS DO CONTINENTE, DIZEM QUE A UE FALHOU

Por DONNA RACHEL EDMUNDS

8 Fevereiro de 2017

TOPSHOT-SERBIA-EU-MIGRANTS-HEALTH-WEATHER

A Áustria está unindo forças com 15 outros países da Europa Oriental para conter o fluxo de migrantes em direção ao norte, porque acreditam que a União Europeia (UE) falhou no dever de proteger as fronteiras da região.

Sob a bandeira do Projeto de Defesa da Fronteira dos Balcãs, os países garantirão que suas forças policiais e militares estejam em constante contato para assegurar a proteção, vigiando as fronteiras nacionais ao norte da Grécia, repelindo imigrantes ilegais dessas áreas.

O Ministro Austríaco da Defesa, Hans-Peter Doskozil (SPÖ), disse a Die Welt: “Não acreditamos que as fronteiras externas da UE estejam adequadamente protegidas até agora pela UE. É por isso que a Áustria, juntamente com 15 outros países ao longo da rota dos Balcãs e dos Estados de Visegrád, estão planejando uma estreita cooperação no âmbito de um novo projeto de defesa fronteiriça dos Balcãs.

“Se houver um influxo maciço de migrantes, os estados envolvidos na iniciativa de proteção das fronteiras serão capazes de agir rapidamente. Em caso de crise, trabalharemos um plano comum, utilizando contatos claramente definidos e um intercâmbio regular de informações entre os chefes das polícias e militares dos países envolvidos”.

Para fortalecer a capacidade de resposta da Áustria, o Ministro também está trabalhando uma mudança na lei que permitiria ao país enviar tropas para o exterior. Atualmente, as tropas Austríacas só podem ser enviadas para missões humanitárias, mas disse que o governo gostaria de ampliar seu escopo.

“A Áustria está disposta a oferecer ajuda aos países dentro e fora da UE, não só por razões humanitárias, mas também pela proteção das suas fronteiras, se esses países nos pedirem e tivermos capacidade suficiente”, afirmou.

Os movimentos estão sendo feitos, disse Doskozil, porque a quantidade de contrabando ilegal que ocorre nos Balcãs e o número de migrantes continuam “significativos”. Atualmente, entre 500 e 1000 imigrantes chegam à Áustria todas as semanas, mas a situação pode deteriorar-se rapidamente a qualquer momento graças à natureza frágil do acordo da UE com a Turquia.

“Temos de nos preparar intensamente neste momento para a reabertura das comportas (nota: influxo de migrantes) pelo governo [Turco] em Ankara, coisa que o presidente Erdogan já ameaçou várias vezes fazê-lo”, disse Doskozil, acrescentando: “Erdogan não é um parceiro confiável da UE.

E continuou criticando o número atual de migrantes ilegais na UE como “muito alto”, alertando que muito ainda precisa ser feito para reduzirmos esse número.

“Reverter os centros, penas mais elevadas aos requerentes de asilo que violam as regras e cortes maciços no dinheiro dos imigrantes ilegais, todos seriam meios adequados”, sugeriu, apelando à convocação de uma “cúpula de repatriamento da UE” para discutir uma ação coordenada por toda Europa.

“As iniciativas anteriores, como fortalecer o papel da Frontex na repatriação, estão longe de serem suficientes”, afirmou. “Seria melhor ter um oficial de repatriação Europeu de alta categoria e nome, que pudesse assumir essa importante questão”.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios