FRANÇA: ATAQUES ANTICRISTÃOS CRESCEM 245 POR CENTO

Fonte/Source: France: Anti-Christian attacks rise 245 percent — Robert Spencer – Jihad Watch

FRANÇA: ATAQUES ANTICRISTÃOS  CRESCEM 245 POR CENTO

 

Por CHRISTINE WILLIAMS

8 DE FEVEREIRO DE 2017

O elevadíssimo aumento de 245% no número de ataques contra os Cristãos representa um problema genuíno e crescente; A preocupação com a “islamofobia” conseguiu afastar as verdadeiras questões de direitos humanos.

Perceba a peculiaridade do Ministério do Interior Francês ao minimizar a seriedade dos ataques anticristãos, vangloriando-se de como o ministério estava ocupado, implementando ações contra a “islamofobia” e o antissemitismo. O governo também foi rápido ao mencionar que não havia nenhum motivo religioso para esse drástico aumento de ataques anticristãos.

Um ponto-chave aqui, é que o Ministério do Interior Francês e os meios de comunicação social de esquerda, fazem um grande esforço para não admitir ou abordar qualquer possível envolvimento de supremacistas Islâmicos nessa perseguição contra os Cristãos. O governo chegou a negar qualquer motivação religiosa e declarou que dos 949 ataques anticristãos “havia uma possível ‘motivação satânica’ em 14 casos e motivação ‘anarquista’ em 25.” E quanto aos outros casos?

Uma reportagem da CNN em Julho revelou:

“Ao insistir nos ataques às Igrejas, o ISIS tenta eliminar o que chama de “zona cinzenta” para Muçulmanos no Ocidente, provocando uma reação da extrema-direita. Os constantes ataques na França produziram uma onda de raiva anti-muçulmana, alimentada e explorada pelos políticos de extrema-direita.

O jornal La Figaro também tentou achar uma justificativa, afirmando que “é esperado que ataques às Igrejas sejam os mais abundantes porque elas existem em maior número”, e ignorando o fato de que os Cristãos enfrentam ataques brutais em países Muçulmanos como o Egito e Paquistão. Apesar de não existirem em grande número.

Alimento para o pensamento: O artigo abaixo também destaca que “no ano passado em Dülmen, após a chegada de mais de um milhão de imigrantes na Alemanha, a mídia local disse que ‘não passa um dia’ sem ataques à estátuas religiosas Cristãs”.

“França: Ataques Anticristãos Crescem 245 Por Cento”, por Virginia Hale, Breitbart, 7 de fevereiro de 2017:

“Embora os ataques racistas, anti-muçulmanos e antissemitas tenham sofrido uma queda enorme desde 2008, ataques a cultos Cristãos mais do que dobraram nesse período, informou na semana passada o Ministério do Interior da França.

Tendo documentado um número recorde de ataques antissemitas e anti-muçulmanos em 2015, o ano passado em Dülmen, após a chegada de mais de um milhão de migrantes na Alemanha, a mídia local disse que ‘não passa um dia’ sem ataques às estátuas religiosas Cristãs.

Posteriormente, os ataques racistas, antissemitas e anti-muçulmanos caíram acentuadamente em 2016, com o primeiro vendo um declínio de 58,5 por cento e o último uma queda de 57,6 por cento. Esses ataques são definidos como incêndios, violência, degradação e ameaças — comentários, inscrições, cartas insultantes. Neste ano, os ataques aos locais de culto Cristãos aumentaram 17,4% em 2016 em comparação com 2015. Os ataques racistas, por sua vez, caíram 23,7% (608 contra 797).

A queda acentuada de incidentes de natureza islamofóbica ou antissemita foi bem recebida pelo governo Francês, que creditou os números como “fruto do plano de ação do governo”.

“Graças a uma mobilização sem precedentes dos serviços do Estado, já obtivemos resultados muito encorajadores, como evidenciado pelos números de 2016. Isso nos dá muita satisfação”, disse o ministro do Interior, Bruno Le Roux.

Le Figaro relatou que os ataques dirigidos aos Cristãos agora representam 90% dos ataques aos locais de culto.

O jornal aponta que, embora espera-se que os ataques às igrejas sejam os mais abundantes porque elas existem em maior número, os casos em que os locais de culto Cristãos foram maculados viram um enorme aumento entre 2008 e 2016.

O governo diz que a maioria dos 949 ataques às igrejas “não tem motivos religiosos”, mas que há uma possível “motivação satânica” em 14 casos e uma motivação “anarquista” em 25. No entanto, desde 2008 assaltos a locais de culto Cristãos aumentaram 245 por cento.

No ano passado, em Dülmen, após a chegada de mais de um milhão de imigrantes na Alemanha, a mídia local disse que ‘não passa um dia’ sem ataques a estátuas religiosas Cristãs.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios