Marcelo Freixo e a Inversão dos Fatos

Foto/Capa e Fonte: Marcelo Freixo lidera avanço do Islamismo sobre o Rio de Janeiro – Juntos pelo Brasil

Marcelo Freixo e a Inversão dos Fatos

Por Tião Cazeiro

11 de Março de 2017

De acordo com Marcelo Freixo, do PSOL, “tão importante quanto o trabalho de conscientização e amparo é a criação de uma Delegacia Especializada em Crimes de Ódio, o que englobaria atos de hostilidade variados de diversos tipos de preconceitos. O Rio de Janeiro tem demanda suficiente para isto”. [Ênfase adicionada].

FBI relatou que o número de incidentes nos EUA, por exemplo, é muito menor do que a esquerda e seus satélites da inimídia gostariam de ouvir. E mais, que o número de ataques a Judeus foi mais do que o dobro nos EUA, fato que a mídia não relata, nem a esquerda se pronuncia a respeito. O número de falsos ataques a Muçulmanos tem sido cada vez mais frequente. Eis aqui alguns casos de falsos ataques nos EUA (vitimização).

Veja o que Robert Spencer/Jihad Watch diz a respeito:

Em todo caso, este tão aclamado aumento de 67% em crimes de ódio anti-Muçulmanos nos leva ao total de 257. Todo crime de ódio autêntico é repreensível e os autores devem ser processados, mas 257 crimes de ódio em um ano num país de 318 milhões não demonstra realmente uma onda de “crime de ódio Islamofóbico”, um mito da mídia. Os crimes de ódio anti-Muçulmanos são menos de um em um milhão. Essa é uma boa demonstração da decência dos Americanos — mas isso não interessa aos meios de comunicação do establishment.”

Agressão, por exemplo, é impor o hijab em documentos oficiais como a CNH. Um movimento claro da imposição da Sharia no Brasil. Veja o que acontece com as Muçulmanas que rejeitam o hijab. Leia: Opressão Chique: Nike Oferece “Pro Hijab” Atlético Para Muçulmanas http://buff.ly/2nnivhU

Marcelo Freixo — PSOL

Agressão é o projeto de autoria do deputado Miguel Correia, do PT, com apoio de deputados de outros partidos como o PSOL entre outros, para inserir o ensino Islâmico nas Escolas Brasileiras entre outras manobras recentes.

O resultado dessa aberração é a repressão, a inversão dos fatos, como estamos vendo em Marcelo Freixo, um político com a ideia “genial” de criar uma Delegacia Especializada para proteger Muçulmanos, logo no Rio de Janeiro.

Eis a pergunta: Especializada em quê? Em reprimir a narrativa de auto defesa do povo Brasileiro? Em controlar a liberdade de expressão e o pensamento crítico?

A liberdade de expressão e de pensamento crítico são cerceadas, ou melhor, profundamente agredidas em todas as vezes que alguém é chamado de Islamofóbico. Islamofobia é uma palavra inventada para que você não critique o Islã. Não criticar o Islã é se render a essa ideologia nefasta, o Islã Político, que humilha os infiéis, os Kafirs. Por acaso a Delegacia Especializada irá cuidar deste específico? Ou só os “Islamofóbicos” serão enquadrados?

Lênin: “Xingue-os do que você é, acuse-os do que você faz.” — Lênin deve ter se inspirado no Islã quando bolou esta frase.

A Arábia Saudita, por exemplo, o país mais hipócrita do mundo,

“...reiterou o seu apelo à comunidade internacional para criminalizar qualquer ato que difame as crenças e os símbolos da fé religiosa, bem como todos os tipos de discriminação baseados em religião.”

Entretanto, a realidade apresenta outras cores,

Nenhuma construção religiosa não-Muçulmana é permitida; a mais alta autoridade Islâmica decretou que “é necessário destruir todas as Igrejas da região.” Sempre que existe alguma suspeita de Cristãos se reunindo numa casa de culto ou como um funcionário Saudita certa vez reclamou, “conspirando para celebrar o Natal” – eles são presos e punidos.”

Poucos países apresentam tanta “intolerância étnica, religiosa e cultural”, como o Reino Árabe, onde qualquer expressão Cristã é um problema de proporção bíblica.

O respeito ao povo Brasileiro deve vir primeiro. Ideias têm consequências.

Agora, no Brasil, quantas Mesquistas existem atualmente e quantos Muçulmanos estão vivendo neste país? Sim, muitos e aumentando numa velocidade estonteante, diria inclusive, turbinadas por milhões… e com a ajuda da esquerda.

Para quem acompanha o cenário internacional, ou tenta, as palavras corajosas de al Sisi, Presidente do Egito, um Muçulmano fervoroso, são importantes e todos deveriam ouvir. Leia: Al-Sisi: O “Pensamento” Islâmico está “Antagonizando o Mundo Todo”. http://buff.ly/2np3RHa

A esquerda cria espaços para uma ideologia hostil e incompatível com o Ocidente, o Islã Político, os quais são proibidos pela mesma, de fazerem amizade com os não-Muçulmanos. De um povo que não assimila a nação que os hospeda de braços abertos, e ainda que impor uma lei totalitária (SHARIA) e que quando atingir um número suficiente de seguidores explodirá pra cima da população — vide Suécia, Alemanha, França, Inglaterra, EUA etc. — com suas “necessidades especiais”, nesse caso o hijab em documentos oficiais Brasileiros, por exemplo, não podemos esperar nada de bom.

Só o mesmo velho padrão de sempre… reflexo dos 1400 anos de história Islâmica contra os infiéis, os Kafirs.

“Que os fiéis não tomem por amigos os incrédulos, em detrimento de outros fiéis. Aqueles que assim procedem, de maneira alguma terão o auxílio de Alá salvo se for para vos precaverdes e vos resguardardes” — Alcorão, Versículo 3:28

Quando se fala em “Islamofobia”, quem realmente é a vítima? Os 90.000 Cristãos assassinados só em 2016 pelo “ultra-fundamentalismo Islâmico” ou os Muçulmanos que acusam os Cristãos entre outros não-Muçulmanos de “Islamofóbicos” porque estão denunciando o Islã Político em blogs entre outras mídias?

Enquanto “as últimas salvas do comunismo” ainda são responsáveis por alguns maus-tratos aos Cristãos, disse Introvigne à Breitbart, o “ultra-fundamentalismo Islâmico” tomou seu lugar como o agente número um de perseguição.” Report: 90,000 Christians Killed for Their Faith in 2016

Em que planeta o Marcelo Freixo (PSOL) vive? Como se atreve a tratar a sociedade do Rio de Janeiro dessa maneira sem observar o genocídio Cristão no Oriente Médio entre outros absurdos? Querem por pra baixo do tapete 1400 anos de massacre Islâmico? Iludir a população? Querem esconder que os Muçulmanos massacraram 60 milhões de Cristãos sem falar do genocídio atual?

Existem pessoas pacíficas no Islã sim, mas a reforma do discurso religioso infelizmente foi rejeitada pela própria universidade Al Azhar — a mais prestigiosa do mundo Islâmico, através do Muçulmano mais prestigiado do mundo, o Sheikh Ahmed al-Tayeb. — Leia: Al Azhar Rejeita Reforma do “Discurso Religioso” http://buff.ly/2mL0InF

Só falta agora o Marcelo Freixo emular Barack Obama e dizer que “O futuro não pertence àqueles que difamam o profeta do Islã.

Digno de nota, na Sharia, a palavra traduzida como ‘difamação’ — ‘slander’ em Inglês— é a palavra Árabe ‘ghiba’, que significa dizer algo sobre alguém que eles não gostam, mesmo que  seja verdade. — Slander in Islamic Law – What You’re Not Allowed to Say or Know – CounterJihad http://buff.ly/2mxaTvK

Pense nisso!


Anúncios