GEERT WILDERS

GEERT WILDERS

Por Tião Cazeiro

15 de Março de 2017

O G1-Mundo da Globo.com publicou um artigo intitulado “Líder da Ultradireita da Holanda chama Maomé de “senhor da guerra”‘ e “pedófilo”; por Agencia EFE.

Um título no mínimo curioso. Perceba o jogo de palavras, ‘Ultradireita’ com a primeira letra maiúscula e ‘senhor da guerra e pedófilo’ com a primeira letra minúscula. Dois pesos e duas medidas.

Ultradireita, extrema direita, Hitler, radical etc. Vemos isso o tempo todo na ‘grande mídia’ a respeitos de vários políticos que não se alinham com a esquerda. E o pior, não condiz com a realidade. Dizer que Geert Wilders é “Ultradireita” porque critica o Islã é sacanagem pura. Entretanto, não dizem que ele é um homem inteligente, muito corajoso, que diz a verdade e está tentando ajudar o seu país. Um homem honesto consigo mesmo e realista. Um homem que não rejeita os Muçulmanos e sim o Islã, o Islã Político.

Geert Wilders está sendo tratado pelo G1 (Agencia EFE) da mesma forma que Donald Trump foi por alguns colunistas Brasileiros quando o compararam a Hitler. Resultado, Trump ganhou as eleições e está fazendo um grande trabalho, completamente distante do Obozo e sua gangue. E a mídia ficou pra trás como fábrica de “fakenews” assistindo apavorada a audiência despencar dia após dia.

Supondo que Geert Wilders tenha realmente dito isso, ou seja, “senhor da guerra e pedófilo”, vamos ver se ele tem ou não razão:

O livro “Sobre o Islã” escrito pelo jornalista e sociólogo Ali kamel — Diretor Geral de Jornalismo e Esportes da TV Globo e colunista do jornal O Globo diz o seguinte:

Aliás, esse livro conta com o polêmico jornalista Reinaldo Azevedo na contracapa, dando uma ‘forcinha’ ao colega com o seguinte texto:

Ali Kamel é um jornalista ousado, dos mais competentes que conheço, dono de um texto primoroso e de um desassombro intelectual invulgar

Muito bem, mas vamos ver o que o “desassombro intelectual invulgar” apresenta em seu livro:

Um muçulmano não tem nenhuma nacionalidade senão a sua crença” —Pagina 183

Corretíssimo! E confirma o que Tamimi, um Muçulmano “radical” estacionado na Inglaterra disse: “Somos Muçulmanos na Europa e não Muçulmanos Europeus”. Assim, logicamente, podemos dizer que: “Não existem Muçulmanos Brasileiros e sim Muçulmanos no Brasil”. Correto?

Parece bobagem, coisa de bêbado, mas implica na não assimilação ou convivência Muçulmana com a sociedade Brasileira. A imposição ou a troca da Constituição Brasileira pela lei Sharia é um objetivo real e —não se engane — faz parte da agenda Islâmica no Brasil, o qual a esquerda e alguns veículos de comunicação estão empenhados em abrir caminho para que isso aconteça. Isso já é conhecido, não é uma informação extraterrestre.

Outro trecho desse livro que me surpreende muito é o fato do “desassombro intelectual invulgar” ter mencionado na página 88 que:

Maomé se casara com Ayishah quando ela ainda tinha seis anos de idade, mas o casamento, claro, só se consumou quando ela atingiu a maturidade.” [Ênfase adicionada].

Pois este é um dos pontos ou talvez o principal, que constrange sérios scholars ao redor do mundo e que até hoje gera polêmica de alta voltagem e desconfiança sobre profeta do Islã.

Muhammad na verdade casou-se com Aisha (ou Ayishah) quando ela era uma menina de 6 anos e consumou o casamento quando ela completou 9 anos de idade.  Há quem diga que antes. Isso é pedofilia? Questão de contexto, coisa da época? Uma menina de 9 anos com um homem de 50 e poucos? Isso não abala a reputação de um profeta? E por que o autor omitiu a verdade, inclusive com um afirmativo e sonoro “claro”? Têm tanta certeza assim? Isso constrange o autor? Ou não sabia? Maturidade aos 9 anos de idade?

É fato também de que o crescimento vertiginoso do Islã no mundo é devido as altíssimas taxas de natalidade e por isso é permitido o casamento infantil; poligamia; estupros em massa, o qual é dito pelos próprios como “isso faz parte da nossa cultura“.

Portanto, o que dizer de Geert Wilders, o “Ultradireita” que chamou Muhammad de ‘senhor da guerra’ e ‘pedófilo’ quando vemos que um diretor da Globo omite a idade de Aisha, um fato escrito nos ahadith e relatado pelo famosíssimo Muçulmano Bukhari (Tabari), quando a própria menina Aisha diz assim: “O Mensageiro de Deus (sic) casou comigo quando eu tinha sete anos; Meu casamento foi consumado quando eu tinha nove anos.” (P.170).

Nota: A maioria falam em 6 entretanto a menina Aisha diz que foi aos 7 anos. Outra coisa, isto não é desrespeito a tradição Islâmica, é a própria história do Islã e discutido mundialmente por todos os scholars além de estar escrito nos ahadith, os quais podem ser lidos por todos os interessados.

Com relação ao ‘senhor da guerra’, o próprio Muhammd disse: “Eu fui feito vitorioso pelo terror.” — Muhammad/Maomé — (Bukhari, 52:220)

Veja também…

“Sira, p. 463-4: Em seguida, renderam {a tribo de Quraiza}, e o Apóstolo (Muhammad) limitou-os em Medina, no bairro de d. al-Harith, uma mulher de Bani al-Najjar. Depois disso o Apóstolo saiu para o mercado de Medina e cavou trincheiras nele. Então ele os enviou e decapitou as suas cabeças nas trincheiras que foram trazidas para fora diante dele em lotes. Entre eles estava o inimigo de Alá Huyayy bin Akhtab e Kab bin Asad, chefe deles. Havia 600 ou 700 ao todo, embora alguns registram de 800 a 900. Como eles estavam sendo levados para fora em lotes para o Apóstolo (Muhammad) perguntaram a Kab o que ele pensou que seria feito com eles. Ele respondeu “Você não percebe? Não vê que a soma nunca para e aqueles que são levados jamais retornam? Por Alá isso é a morte!” E continuou até que o Apóstolo (Muhammad) fizesse um sinal a eles. — Islã 101 — A Guerra do Islã Contra o Mundo

Muhammad é visto sim como o ‘senhor da guerra’. Isto é dito por todos os estudiosos. Basta assistir a este maravilhoso trabalho elaborado pelo Dr. Bill Warner, Diretor e Fundador do Political Islam onde mostra as batalhas inspiradas em Muhammad, o senhor da guerra,  que quase liquidou com a civilização Clássica. Assista, você vai se surpreender.

Vídeo legendado em Português e traduzido pelo excelente blog Lei Islâmica em Ação

E por último, eis aqui mais um texto interessante do livro Sobre o Islã do jornalista Ali Kamel:

Num mundo como o de hoje, cada vez mais gente deseja agir como Jehoshua e Tarfon, Abraão e Jó e Muhammad (Maomé). E eu tenho para mim que, quanto mais gente assim o fizer, mais harmonia haverá. Isso de modo algum afasta o mundo da religião“. Página 171.

Estou impressionado com o “desassombro intelectual invulgar” de Ali Kamel. O polêmico Jornalista Reynaldo Azevedo devia estar iluminadíssimo quando escreveu para a contracapa do livro.

Estou impressionado também com o que fazem com os leitores, com a desinformação por conta de uma agenda Islâmica para o Brasil. É uma vergonha tratar um político, um homem de bem, que está ameaçado de morte, com fatwas entre outras coisas bárbaras sobre seus ombros, que vive escoltado, que teve que dormir em quartéis com sua esposa para não ser estraçalhado por selvagens que não sabem o que é liberdade de expressão e de pensamento crítico.

Geert Wilders é um homem corajoso e o Brasil deveria ouvir o que ele tem a dizer.


Anúncios

2 opiniões sobre “GEERT WILDERS”

  1. Penso que o meu Brasil vai passar por um tempo obscuro em que o povo por ser bem tolerante vai sofrer horrores em nome do politicamente correto sobe as bençãos dos nossos políticos preocupados em defenderem os seus interesses…

    Curtir

Os comentários estão desativados.