LEI ROUANET E AS ‘1001 INVENÇÕES…’

Fonte: Distribuição de 115 mil cartilhas muçulmanas pode captar 7 milhões via Lei Rouanet


LEI ROUANET E AS ‘1001 INVENÇÕES…’

Por Tião Cazeiro

21 de Abril de 2017

Em 26 de Julho de 2015, a ativista Pamela Geller escreveu este artigo, o qual traduzi e publiquei neste blog:

Pamela Geller: “1001 Mitos Muçulmanos e Revisões Históricas”

Eis aqui alguns excertos:

Durante um discurso na Universidade de Regensburg na Bavária em 2006, o Papa Benedito XVI citou um diálogo do século XIV entre o Imperador Bizantino Manuel II Paleólogo e um erudito Muçulmano Persa:

Me mostra exatamente o que Muhammad (Maomé) trouxe de novo, e lá você encontrará apenas coisas más e desumanas, como sua ordem de difundir pela espada a fé que pregava”.

O quarto lugar na lista da CNN Top 10 maiores invenções Muçulmanas: “No ano 859, uma jovem princesa chamada Fatima al-Firhi, fundou a primeira universidade a expedir concessão de grau em Fez, Marrocos.” A primeira universidade? Diga isto aos Judeus, um povo de 6.000 anos de idade, que tem a educação como um pilar de sua cultura. E mais, a universidade de Nalanda na Índia remonta ao século V.

Em seguida vem a álgebra, e essa reivindicação bem como as outras é um total absurdo. O Muçulmano, Abu Já’far ibn Muhammad Musa, é frequentemente descrito como o criador da álgebra. Mas Abu Já’far viveu entre 780 e 850 DC; a álgebra teve início na antiga Babilônia, Egito, e Atenas, 2.500 anos antes de Abu Já’far nascer.

Hoje pela manhã, o meu amigo Ernane Oliveira me enviou o link do blog Terça Livre sobre um artigo do Instituto Liberal que diz o seguinte:

A farra com o dinheiro dos pagadores de impostos feita pelo Ministério da Cultura (MinC) continua. O MinC ofereceu, ainda sob o governo Dilma Rousseff, parecer favorável para a captação via Lei Rouanet de R$ 7.095.007,39 para a organização da exposição “1001 Invenções: descobrindo o duradouro legado da civilização Muçulmana”, idealizada pelo “1001 Inventions Ltda”, de Londres (Reino Unido), a ser realizada no “Catavento Cultural e Educacional”, em São Paulo, no período de 29/08/2017 a 03/12/2017. Resta apenas que a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) aprove o parecer em sua 245a reunião, a qual deve acontecer nos próximos dias 7 a 9 de junho, em Brasília. [Ênfase adicionada]

Veja, a Pamela Geller é uma ativista respeitadíssima nos EUA. Foi eleita a “Mulher do Ano em 2015” e trabalha com Robert Spencer/ Jihad Watch. Ambos jamais acusariam uma instituição sem qualquer prova concreta, o qual envolveria processos judiciais de alta voltagem.

Eis aqui o que a Pamela Geller disse:

A CNN, na quarta-feira passada, publicou um “artigo” viciosamente mentiroso persistindo no mito das “invenções Muçulmanas” — mais uma vez.

Nada de novo. Já havia escrito sobre isso em 2012. A CNN está lançando um novo livro baseado nas 1001 Invenções Muçulmanas, um museu itinerante em exibição que vem percorrendo todo o Ocidente com grande sucesso e aclamado por gente como o Príncipe Charles. Isso tem induzido centenas de milhares de crianças a uma visão otimista e romantizada sobre o Islã, a qual os torna menos capazes de apreciar as realizações da sua própria cultura, e mais complacentes com a Islamização no Ocidente.

Portanto, a exibição “1001 Invenções: descobrindo o duradouro legado da civilização muçulmana”, precisa ser investigada para que as pessoas não sejam iludidas, principalmente devido a faixa etária, objetivo maior da exibição.

Além da exposição, que deve durar três meses, o projeto também prevê a entrega de 115 mil cartilhas para os estudantes de 7 a 17 anos que visitarem a exposição.

A princípio, a informação que tenho é que este projeto foi aprovado ao custo de R$ 7.825.451,58 — US$ 2.485.606,88 (taxa de hoje).

Portanto, espero que leiam os artigos mencionados acima e se possível direcione este artigo…

Que a verdade prevaleça.

Grato!


 

Anúncios