Arquivo da categoria: Tião Cazeiro

ESTUPRO NO BRASIL

Capa: Orientalist Painting by Eugene Ansen Hofmann

Estupro no Brasil

 Por Tião Cazeiro

Publicado em 29 de Dezembro de 2015 — Reeditado em 13 de Abril de 2017

O artigo “Por Que os Estupradores Muçulmanos Preferem as Loiras: A História” escrito por Raymond Ibrahim, traduzido por mim, e publicado neste blog no dia 3 de Agosto de 2015, continua entre os artigos mais lidos . Por quê?

Muslim sheikhs examines a slave-girl for purchase
Por Que os Estupradores Muçulmanos Preferem as Loiras: A História — Raymond Ibrahim

Image result for rape gangs rotherham

Gangue de Estupro em Rotherham: Escândalo de Abuso Sexual — 1.400 Crianças Atingidas


A polícia Britânica escondeu a informação para não ser acusada de racismo. Porém, o Islã não é uma raça.

Veja o que Pamela Geller disse:

O Reino Unido acabou. Sem dúvida.
Alguma coisa foi feita? Não.
Eles pararam com a imigração de nações jihadistas? Não.
Levantaram a proibição [de entrar em Londres] a Robert Spencer e a mim? Não.
É tudo parte do mesmo esquema. Submissão e rendição à mais cruel e brutal ideologia sobre a face da terra.

A violação e o tráfico de meninas infiéis por Muçulmanos no Reino Unido não é diferente da violação e o tráfico de meninas Yazidis no Iraque ou a violação e o tráfico de meninas Cristãs pelo Boko Haram na Nigéria.

A escravidão sexual, a violação e o tráfico estão todos de acordo com a lei Islâmica (Sharia).

 Reino Unido – Gangues Muçulmanas De Sexo: “Pode Chegar A Um ‘Milhão’ De [Não-Muçulmanas] Crianças Vítimas De Abusos Sexuais” – Geller Report

Alcorão 3:59 
"Ó Profeta, dize as tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos fiéis que (quando saírem) 
se cubram com as suas mantas; 
isso é mais conveniente, 
para que distingam das demais e não sejam molestadas; 
sabei que Alá é Indulgente, Misericordiosíssimo."

Por isso Muhammad (Maomé) ordenou no Alcorão o uso do hijab, para que a mulher não seja molestada pelos próprios Muçulmanos. Leia este artigo: O Hijab e a Sharia (leitura imperdível!).

Se isso acontece hoje em dia em países como a Inglaterra, a Suécia (que lidera o ranking de estupros na Europa) entre outros, o que pode estar acontecendo no Brasil?

O Islã é o mesmo há quase 1.400 anos. 
Esperar um resultado diferente no Brasil é insanidade.

Existe gangue de estupro Muçulmana no Brasil? Ou existe, mas ninguém tem coragem de denunciar, como aconteceu na Inglaterra. Até porque é um padrão Muçulmano, como estamos vendo nos artigos apresentados e escritos por gente séria, como o Raymond Ibrahim, Robert Spencer, Pamela Geller, Brigitte Gabriel, Dr. Bill Warner, David Wood entre muitos outros.

Pintura antiga. Muçulmano marcando meninas escravas a ferro quente.

Dois excertos do artigo:  Turcos Glorificam História de Massacre e Estupro de Cristãos

Na contemporaneidade, é o mesmo que dizer “Estamos orgulhosos de nossos irmãos Muçulmanos Sunitas do Estado Islâmico (ISIS) que estão atualmente abatendo, decapitando, escravizando e estuprando as pessoas simplesmente porque são Cristãos ‘infiéis’”.

Tal orgulho, das atrocidades Islâmicas, chega até o topo na Turquia, ao presidente Erdogan, que afirma que a conquista jihadista de Constantinopla foi um verdadeiro “período iluminado”.

O comandante do Exército, General Villas Bôas ressalta que 100 mulheres são estupradas por dia no Brasil.

Veja também os dados oficiais das secretarias estaduais da Segurança coletados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.  O Fórum acredita que possam ter ocorrido entre 136 mil e 476 mil casos de estupro no Brasil no ano passado. Nº oficial de estupros cai, mas Brasil ainda tem 1 caso a cada 11 minutos.

Não podeira deixar de mencionar aqui o artigo do brilhante jornalista Felipe Moura Brasil em relação ao IPEA. — A verdadeira cultura do estupro | VEJA.com


Considere:

De acordo com um novo estudo da Pew Research Center, a Índia terá 1.3 bilhões de Hindus e 311 milhões de Muçulmanos em 2050. Isto fará da Índia o “maior” país Muçulmano. Hoje, a índia tem a terceira maior população Muçulmana do mundo, com 177 milhões.

Muçulmanos têm a maior taxa de fertilidade, com média de 3.02 filhos por mulher. Isso levará a comunidade Muçulmana a uma taxa de crescimento de 76% em 35 anos, a frente dos Hindus, 33% e Cristãos,18%.

Inglaterra: Homens Muçulmanos estão fazendo ’20 filhos cada’ por causa da poligamia.


Agora, ouvi comentários sobre a atuação das novelas no imaginário popular etc. Entretanto, tenho dúvidas se isso justifica o gigantesco número de estupros no Brasil. A minha consciência e história de vida não registrou esse dado de estupro por Brasileiros nesse volume.

Existe algo a mais envolvido nesse ambiente demoníaco de estupro no Brasil. Em algum momento isso será revelado, como aconteceu em Rotherham, Inglaterra. O medo de revelar está por trás disso tudo.

Será que essas novelas tem todo esse poder? Estamos falando de quase 500 mil estupros/ano. Até mesmo a ‘cultura da violência‘ pode ser vista por outra perspectiva.

Vetores como a ‘Marxislamização‘ durante décadas no Brasil, por exemplo, só pode dar nisso.

De uma coisa eu tenho certeza, misturar ‘supremacia Islãmica’ com ‘Antonio Gramsci’ dá uma bomba maior que a MOAB.

De qualquer maneira, sem provas não há acusação, apenas uma argumentação baseada em commom sense… para que haja uma investigação urgente.

E por último:

13 de Abril de 2017 — Por Robert Spencer/Jihad Watch

Reino Unido: Gangue De Estupro Muçulmana No Tribunal Com Mais De 170 Acusações De Exploração Sexual De 18 Crianças

UK: Muslim rape gang in court over 170 charges of sexual exploitation of 18 children


 


 

Anúncios

O BRASIL E OS EMIRADOS ÁRABES

Fonte: Aprovado acordo de cooperação em Defesa entre o Brasil e os Emirados Árabes Unidos


O BRASIL E OS EMIRADOS ÁRABES

Por Tião Cazeiro

24 de Abril de 2017


Publiquei recentemente neste blog um artigo do Raymond Ibrahim intitulado “Uma ‘Fobia’ De 1.389 Anos De Idade?”  que  observa o seguinte:

“Existe uma correlação direta entre a ignorância Ocidental da história e a ignorância Ocidental das doutrinas “problemáticas” do Islã. É essa conexão que permite aos apologistas do Islã escaparem com tantas distorções e mentiras definitivas destinadas a proteger o Islã.”

Em Novembro de 2016, o governador Marconi Perillo oficializou os entendimentos para que uma fábrica de armamentos e munições dos Emirados Árabes, exclusivas para as forças de segurança pública do Brasil e com atenção voltada para o mercado da América Latina, fosse instalada em Goiás.

No dia 19 de Abril de 2017, foi aprovado um acordo de cooperação em Defesa entre o Brasil e os Emirados Árabes Unidos na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDN), da Câmara dos Deputados, que acatou o parecer do deputado Miguel Haddad (PSDB-SP).

“Segundo Miguel Haddad, “adentrar o Oriente Médio, através dos Emirados Árabes Unidos, representa incremento substantivo nessa diversificação, o que nos traz mais segurança para o desenvolvimento de futuros projetos de interesse dos dois países e, potencialmente, de outros daquela região”.

Portanto, resolvi questionar os brasileiros envolvidos nesse projeto, — e o faço com todo respeito, sem que isso deixe margem para o medo, pois se este fosse o caso eu não teria traduzido e publicado mais de 250 artigos dos mais respeitados experts em Islã do mundo.

Eis aqui algumas perguntas:

• O que vocês sabem sobre o Islã?
• O que os levou a não considerar os 175 milhões de Cristãos entre outras religões etc.?

Gostaria de deixar claro que não estou particularizando a religião em si, e sim as 175 milhões de pessoas que irão ser massacradas pelo antagonismo Islâmico, o Islã Político. Falo de pessoas, mulheres, crianças, pais de família etc. que serão punidas/massacradas pela sua fé. As igrejas do Egito, por exemplo, que foram e continuam sendo bombardeadas pela intolerânica Islâmica.

A Arábia Saudita é um problema para o mundo. — Arábia Saudita: O Grande Hipócrita do Mundo

Em vários artigos, sempre menciono o impressionante discurso do Presidente do Egito al Sisi, um Muçulmano fervoroso, diante das maiores autoridades do Islã e em Al Azhar:

“É inconcebível”, disse ele, “que o pensamento que guardamos como o mais sagrado deva fazer com que toda a umma [Mundo Islâmico] seja uma fonte de ansiedade, perigo, matança e de destruição para o resto do mundo. Impossível!”

“Esse pensamento (que é responsável por produzir “ansiedade, perigo, massacre e destruição” ao redor do mundo) — Eu não estou dizendo “religião”, mas “pensamento” — que corpus de textos e ideias que temos sacralizado ao longo dos séculos, a tal ponto que se afastar deles tornou-se quase impossível, está antagonizando o mundo inteiro. Isso está antagonizando o mundo inteiro!”

Ele também apelou publicamente à instituição Al Azhar para reconsiderar o uso dos livros auxiliares, num esforço para mudar a imagem internacional do Islã, de guerra e inimizade, para algo mais tolerante.

Agora, a mais alta autoridade Muçulmana do Egito deixou claro que Al Azhar nunca teve nenhuma intenção de mudar nada, que o “discurso religioso” articulado na era Medieval — o de hostilidade e violência para com o outro, em uma palavra, jihad — é o único “discurso” que os Muçulmanos podem/devem aceitar.

Al-Azhar, a principal instituição do Islã Sunita, recusa-se a declarar que o Estado Islâmico (ISIS) comete apostasia — Al-Azhar, the foremost institution in Sunni Islam, refuses to declare the Islamic State apostate

Tendo dito, gostaria de finalizar este artigo raciocinando sobre a frase do Miguel Haddad:

“Adentrar o Oriente Médio, através dos Emirados Árabes Unidos, representa incremento substantivo nessa diversificação, o que nos traz mais segurança para o desenvolvimento de futuros projetos de interesse dos dois países…”

‘Adentrar o Oriente Médio’ deve induzir realmente muita fantasia na mente do criativo Miguel Haddad, o que me faz lembrar alguns excertos e versos do Alcorão. É importante neste raciocício, ter em mente o Exército de Muhammad (Maomé), o “homem perfeito” aos olhos dos Muçulmanos. E não é à toa que estão antagonizando o mundo todo. O genocídio de Cristãos no Oriente Médio é a prova disso. Leia também: A INVASÃO ISLÂMICA DA ÍNDIA: O MAIOR GENOCÍDIO DA HISTÓRIA

Será que estes excertos e versos irão contribuir com a sociedade Brasileira através desse acordo de cooperação em Defesa entre o Brasil e os Emirados Árabes Unidos?

“Sira, p. 463-4: Em seguida, renderam {a tribo de Quraiza}, e o Apóstolo os aprisionou em Medina, na região de d. al-Harith, uma mulher de Bani al-Najar. Depois disso, o Apóstolo foi até o mercado de Medina, onde cavou trincheiras. E assim os enviou e decapitou suas cabeças nas trincheiras, que foram trazidas para fora diante dele, em lotes. Entre eles estavam o inimigo de Alá, Huyayy bin Akhtab e Kab bin Asad, chefe deles. Havia 600 ou 700 ao todo, embora alguns registrem de 800 a 900. Como eles estavam sendo levados para fora em lotes, para o Apóstolo, perguntaram a Kab o que pensou que seria feito com eles. Kab respondeu: “Você não percebe? Não vê que a soma nunca para e aqueles que são levados jamais retornam? Por Alá isso é a morte!” E continuou até o Apóstolo ter dado um fim a todos eles.” — Islã 101 — A Guerra do Islã Contra o Mundo

Alcorão 5:33
“O castigo, para aqueles que lutam contra Deus
e contra o Seu Mensageiro Muhammad
e semeiam a corrupção na terra,
é que sejam mortos, ou crucificados,
ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos,
ou banidos…”

Alcorão 8:12
“Vou lançar o terror
nos corações dos incrédulos.
Portanto cortarei suas cabeças
e cortarei todos os dedos deles.”

O historiador, filósofo pioneiro e jurista teórico, Ibn Khaldun (1332-1406),
 observou em seu famoso “Muqaddimah”,
 a primeira obra de teoria histórica que:
 “Na comunidade Muçulmana,
 a guerra santa é um dever religioso
 por causa do
 universalismo da missão Muçulmana
 e (da obrigação de) converter a todos ao Islã
 ou pela persuasão ou pela força".

Alcorão 98:6
“Honestamente falando, aqueles que não creem
na religião Islâmica, no Alcorão
e no Profeta Muhammad/Maomé)
entre eles o
Povo do Livro (Judeus e Cristãos)
e demais infiéis,
terão que aceitar o
Fogo do Inferno.
Eles são as piores criaturas”.

Esses versos estão disponíveis online, podem ser acessados em sites Islâmicos (Alcorão), e são ensinados nas mesquitas instaladas no Brasil.

E agora? Vão me chamar de racista, Islamofóbico, xenófogo etc… Isso é público, não estou inventando nada.

Que futuro estão buscando para o país?  Uma “República Islâmica do Brasil“, com partidos comunistas controlando o poder, — e quem sabe dividindo as Huris no paraíso?

Ops! já ia me esquecendo de mencionar o prefeitinho de São Paulo e suas andanças pelos Emirados Árabes…. e a Lei de Migração do Aloysio Nunes… e o Papa Francisco, e a CNBB… Xiitas no Brasil…

Ideias têm consequências e no caso do Brasil, tenho a nítida impressão que o mundo vai se envolver.

Se isso não for uma invasão…

Grato pela atenção! Espero ter contribuído de alguma forma.


LEI ROUANET E AS ‘1001 INVENÇÕES…’

Fonte: Distribuição de 115 mil cartilhas muçulmanas pode captar 7 milhões via Lei Rouanet


LEI ROUANET E AS ‘1001 INVENÇÕES…’

Por Tião Cazeiro

21 de Abril de 2017

Em 26 de Julho de 2015, a ativista Pamela Geller escreveu este artigo, o qual traduzi e publiquei neste blog:

Pamela Geller: “1001 Mitos Muçulmanos e Revisões Históricas”

Eis aqui alguns excertos:

Durante um discurso na Universidade de Regensburg na Bavária em 2006, o Papa Benedito XVI citou um diálogo do século XIV entre o Imperador Bizantino Manuel II Paleólogo e um erudito Muçulmano Persa:

Me mostra exatamente o que Muhammad (Maomé) trouxe de novo, e lá você encontrará apenas coisas más e desumanas, como sua ordem de difundir pela espada a fé que pregava”.

O quarto lugar na lista da CNN Top 10 maiores invenções Muçulmanas: “No ano 859, uma jovem princesa chamada Fatima al-Firhi, fundou a primeira universidade a expedir concessão de grau em Fez, Marrocos.” A primeira universidade? Diga isto aos Judeus, um povo de 6.000 anos de idade, que tem a educação como um pilar de sua cultura. E mais, a universidade de Nalanda na Índia remonta ao século V.

Em seguida vem a álgebra, e essa reivindicação bem como as outras é um total absurdo. O Muçulmano, Abu Já’far ibn Muhammad Musa, é frequentemente descrito como o criador da álgebra. Mas Abu Já’far viveu entre 780 e 850 DC; a álgebra teve início na antiga Babilônia, Egito, e Atenas, 2.500 anos antes de Abu Já’far nascer.

Hoje pela manhã, o meu amigo Ernane Oliveira me enviou o link do blog Terça Livre sobre um artigo do Instituto Liberal que diz o seguinte:

A farra com o dinheiro dos pagadores de impostos feita pelo Ministério da Cultura (MinC) continua. O MinC ofereceu, ainda sob o governo Dilma Rousseff, parecer favorável para a captação via Lei Rouanet de R$ 7.095.007,39 para a organização da exposição “1001 Invenções: descobrindo o duradouro legado da civilização Muçulmana”, idealizada pelo “1001 Inventions Ltda”, de Londres (Reino Unido), a ser realizada no “Catavento Cultural e Educacional”, em São Paulo, no período de 29/08/2017 a 03/12/2017. Resta apenas que a Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (CNIC) aprove o parecer em sua 245a reunião, a qual deve acontecer nos próximos dias 7 a 9 de junho, em Brasília. [Ênfase adicionada]

Veja, a Pamela Geller é uma ativista respeitadíssima nos EUA. Foi eleita a “Mulher do Ano em 2015” e trabalha com Robert Spencer/ Jihad Watch. Ambos jamais acusariam uma instituição sem qualquer prova concreta, o qual envolveria processos judiciais de alta voltagem.

Eis aqui o que a Pamela Geller disse:

A CNN, na quarta-feira passada, publicou um “artigo” viciosamente mentiroso persistindo no mito das “invenções Muçulmanas” — mais uma vez.

Nada de novo. Já havia escrito sobre isso em 2012. A CNN está lançando um novo livro baseado nas 1001 Invenções Muçulmanas, um museu itinerante em exibição que vem percorrendo todo o Ocidente com grande sucesso e aclamado por gente como o Príncipe Charles. Isso tem induzido centenas de milhares de crianças a uma visão otimista e romantizada sobre o Islã, a qual os torna menos capazes de apreciar as realizações da sua própria cultura, e mais complacentes com a Islamização no Ocidente.

Portanto, a exibição “1001 Invenções: descobrindo o duradouro legado da civilização muçulmana”, precisa ser investigada para que as pessoas não sejam iludidas, principalmente devido a faixa etária, objetivo maior da exibição.

Além da exposição, que deve durar três meses, o projeto também prevê a entrega de 115 mil cartilhas para os estudantes de 7 a 17 anos que visitarem a exposição.

A princípio, a informação que tenho é que este projeto foi aprovado ao custo de R$ 7.825.451,58 — US$ 2.485.606,88 (taxa de hoje).

Portanto, espero que leiam os artigos mencionados acima e se possível direcione este artigo…

Que a verdade prevaleça.

Grato!


 

No Caminho Das Folhas

 

No Caminho Das Folhas

Por Tião Cazeiro

Resultado de imagem para coelhinho da pascoa
Coelhinho da Páscoa, o que trazes?   —   Crédito da foto: http://buff.ly/2pFNabD

Fui batizado e crismado na igreja Católica. Entretanto, desde criança, tive contato com outras religiões como a Umbanda, a qual sigo há muito tempo, embora lá no fundo eu sinto que não tenho religião, (mas a grande música), porque gosto de todas, excluindo as que antagonizam todas as outras.

Minha falecida mãe frequentou a Mahikari durante décadas até o fim da vida, e no entanto visitava e gostava da Umbanda, do Budismo etc. Adoro o Budismo, já frequentei e tenho muitos amigos Budistas. Gosto da Índia (Hinduísmo), gosto dos amigos Judeus, dos amigos do Candomblé…

Pense o que quiser… Existe um ditado na Umbanda, — não sei se é exclusivo da mesma — que diz o seguinte: “O pensamento é do homem; o sentimento é de Deus”.

Veja o que disse al Sisi, o Presidente do Egito, um Muçulmano fervoroso, no seu famoso discurso em Al Azhar, diante das maiores lideranças do Islã:

Esse pensamento (que é responsável por produzir “ansiedade, perigo, massacre e destruição” ao redor do mundo) — Eu não estou dizendo “religião”, mas “pensamento” — que corpus de textos e ideias que temos sacralizado ao longo dos séculos, a tal ponto que se afastar deles tornou-se quase impossível, está antagonizando o mundo inteiro. Isso está antagonizando o mundo inteiro!

Hoje, Domingo de Páscoa, diante de tanta tragédia no Egito etc. e outras que virão, em nome do Islã, acordei com a seguinte imagem…

Lembrei de uma amiga especial, de ascendência Pomerana, que adora e me mostrou a tradição das folhas na Páscoa, ou seja, colocam folhas no chão, — para quando as crianças acordarem — formando um caminho, ou trilha pela casa até chegar aos ovinhos escondidos, deixados pelo coelhinho da Páscoa…

Resultado de imagem para people celebrating easter

Rever essa imagem deixa os olhos embaçados, pois trata-se de um sentimento especial, um sentimento precioso, muitíssimo delicado, que praticamente se perdeu por conta do pensamento antagônico em ascensão, sem luz, nefasto, destruidor, atrelado à violência, a supremacia Islâmica e a ignorância espiritual.

Um exemplo de escuridão espiritual é o senador Aloysio Nunes e sua lei de Migração, a qual tem grande chance de ser aprovada, e nesse caso será uma tragédia.

Como bem diz Leandro Ruschel, “eu gostaria de saber quanto esses Senadores estão recebendo para acabar com o Brasil, para destruir com o conceito de Brasil como uma nação?”

Ainda há tempo para tentar impedir, precisamos lutar como nunca, para que isso não aconteça.

Criticar o Cristianismo, a Umbanda, o Budismo, o Judaísmo, o Hinduísmo etc. é natural e saudável porque existe luz nesses caminhos… no caminho das folhas…

Aceitar a natureza antagônica do Islamismo 
através do globalismo é suicídio.

Feliz Páscoa a todos vocês! Vamos seguindo as folhas…

Resultado de imagem para forest beautiful

AVANÇA BRASIL — ATENÇÃO! NOVA LEI DE IMIGRAÇÃO

 AVANÇA BRASIL — ATENÇÃO! NOVA LEI DE IMIGRAÇÃO 

Por TIÃO CAZEIRO

7 de Abril de 2017

Publiquei recentemente um artigo dando total apoio ao ativista Luiz Philippe de Orleans e Bragança nestas questões…

Além da rejeição ao voto em lista fechada, e do estatuto  de desarmamento temos um problema grave de cidadania no horizonte. A lei de imigração. Pensava que tinhamos tempo para propor mudanças na lei do Aloysio Nunes do PSDB mas não temos. Ela não é mais alterável. Já foi aprovada e é inaceitável. Cabe um recurso final para tentar bloqueá-la. Conto com sua compreensão e apoio para rejeitar essa lei. Falei dela hoje do nosso caminhão na Paulista.” —Luiz Philippe de Orleans e Bragança – Facebook


Assisti há pouco ao vídeo do ativista, e portanto venho mais uma vez reiterar o meu total apoio.

Estou muito feliz por ver que o esforço dele neste vídeo atingiu em cheio um número grande —e que só tende a crescer — de Brasileiros, contra esse projeto globalista, autoritário.

Este é um momento crítico e não podemos falhar.

Precisamos rejeitar essa lei! Vamos juntos… Compartilhe!

AVANÇA BRASIL — ATENÇÃO! NOVA LEI DE IMIGRAÇÃO 

 

Partidários Do Estado Islâmico (ISIS) Comemoram O Ataque De São Petersburgo

Fonte/Source: Ten Dead After Explosion in Saint Petersburg Metro Station


Partidários Do Estado Islâmico (ISIS) Comemoram O Ataque De São Petersburgo

Por Tião Cazeiro

3 de Abril de 2017

Mais um ataque terrorista Islâmico, e muitos outros virão… é a triste realidade.

“Acredita-se que nove foram mortos e mais de 30 feridos depois de uma explosão no metrô de São Petersburgo nesta tarde de Segunda-feira.” Breibart News

E as famílias? Quanta dor por trás disso tudo… quantos não estão neste momento completamente arrasados, em estado de choque… e outros entre a vida e a morte numa UTI; por conta da selvageria de uma ideologia que está antagonizando o mundo todo. Os partidários do Estado Islâmico (ISIS) culpam a Rússia etc., mas…   Estado Islâmico (ISIS) em Dez Versos do Alcorão

Alcorão 9:73 
Oh Profeta! Lute arduamente contra os incrédulos 
e os hipócritas; seja inflexível para com eles; 
e que a morada deles seja o inferno, 
e o mal o destino deles.
Alcorão 5:33 
“O castigo, para aqueles que lutam 
contra Alá e contra o Seu Mensageiro 
e semeiam a corrupção na terra, 
é que sejam mortos, ou crucificados, 
ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, 
ou banidos...”

Enquanto as autoridades e a "grande mídia" discutem 
"a natureza do atentado" 
o Estado Islâmico(ISIS) comemora e manda recado.

Vocativ cita alguns partidários do Estado Islâmico (ISIS) que comemoram o bombardeio de St. Petersburg nas mídias sociais:

Pedimos a Alá para abençoar a operação pelos leões do califado, pedimos a Alá para matar os cruzados“, disse um partidário ISIS no fórum do grupo terrorista al-Minbar online. Outros comemoraram dizendo que as bombas desta Segunda-feira foram feitas para “o metrô ir pro inferno com os adoradores da Cruz” e afirmou que os ataques — que ainda estão sob investigação pelas autoridades Russas — foram uma vingança ao apoio da Rússia à luta do presidente Sírio Bashar al-Assad contra o Estado Islâmico (ISIS) e outros grupos rebeldes na guerra civil da Síria. Os ataques aéreos Russos e os bombardeios na Síria mataram centenas de pessoas e reduziram áreas inteiras a escombros.” — Breibart News

O Presidente Russo Putin chega para colocar flores na estação do Instituto Tecnológico do metrô de São Petersburgo
Alcorão 98:6 
“Honestamente falando, aqueles que não creem 
(na religião Islâmica, no Alcorão 
e no Profeta Maomé) 
entre eles o Povo do Livro (Judeus e Cristãos) e demais descrentes, 
terão que aceitar o Fogo do Inferno. 
Eles são as piores criaturas”.

Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis


Rejuvenescer A Economia Europeia: O Papel Das Finanças Islâmicas

Fonte/Source: Rejuvenating the European Economy: The Role of Islamic Finance | The World Financial Review | Empowering communication globally

 Rejuvenescer A Economia Europeia: O Papel Das Finanças Islâmicas

Por Tião Cazeiro

29 de Março de 2017

Tradução: A Sharia dominará o mundo / Muçulmanos, levantem-se e instaurem a Sharia

A ideia aqui é comentar alguns excertos de um artigo escrito em Março de 2016 por Sohail Jaffer e publicado no The World Financial Review

Não se trata de uma análise financeira, e sim de uma comparação do sistema financeiro Islâmico com o pensamento Islâmico contido nos textos sagrados do Islã.

“É inconcebível”, disse ele, “que o pensamento que guardamos como o mais sagrado deva fazer com que toda a umma [Mundo Islâmico] seja uma fonte de ansiedade, perigo, matança e de destruição para o resto do mundo. Impossível!” —Presidente do Egito Al-Sisi: O “Pensamento” Islâmico está “Antagonizando o Mundo Todo”.

O antagonismo Islãmico global é um fato que ninguém em sã consciência pode negar. Entretanto, nem mesmo o genocídio de Cristãos no Oriente Médio pesa na balança do gerenciamento de controle de riscos das instituições financeiras.

Obs.: [Ênfase adicionada nos excertos]

Rejuvenescer A Economia Europeia: O Papel Das Finanças Islâmicas

O título em si, o qual mantive neste artigo, já demonstra que ao invés de rejuvenescer a Europa, o Islã a está destruindo, e o que estamos vendo hoje em dia é só o começo. Não da vitória do Islã, mas do suicídio Europeu.

Ok, ok, eu sei: “Enquanto houver um louco, um poeta e um amante haverá sonho, amor e fantasia. E enquanto houver sonho, amor e fantasia, haverá esperança.” — Shakespeare.

Comentando a queda acentuada dos preços das ações dos bancos Europeus nas primeiras semanas de 2016, que descreveu como uma “preocupação”, o FMI aconselhou que “um setor bancário robusto é necessário para apoiar o investimento e a recuperação econômica”. Em muitos aspectos, idealmente posicionado para reforçar o rejuvenescimento da economia Europeia”. As finanças Islâmicas estão, em muitos aspectos, idealmente posicionadas para reforçar o rejuvenescimento da economia Europeia.

A palavra “dhimmittude” vem de dhimmi, uma palavra Árabe que significa “protegido “. Dhimmittude significa o sistema Islâmico de governança utilizado nas populações conquistadas pelas guerras da Jihad. Em outras palavras, é igual ao sistema utilizado pela máfia. Você paga uma taxa de proteção (jizya) para se manter vivo.

Uma delas [razões] é que as economias Islâmicas no Oriente Médio e no Sudeste Asiático continuam a ser uma importante fonte de liquidez que procura oportunidades de investimento diversificadas para além das suas regiões de origem.”

Veja o Robert Spencer (Jihad Watch) diz a respeito:

Hijrah, ou jihad pela emigração, é, de acordo com a tradição Islâmica, a migração ou viagem de Muhammad e seus seguidores de Meca para Yathrib, mais tarde renomeada por ele como Medina, no ano 622 d.C. Foi depois da Hijra que Muhammad pela primeira vez se tornou não apenas um pregador de ideias religiosas, mas um líder político e militar. Foi isso que ocasionou suas novas “revelações” exortando seus seguidores a cometerem violência contra os incrédulos.

Emigrar pela causa de Alá — ou seja, mudar para uma nova terra para ampliar o Islã, é considerado no Islã como um ato altamente meritório. “E quem emigrar pela causa de Alá encontrará na terra muitos lugares e abundância“, diz o Alcorão:

"Mas quem migrar pela causa de Alá, achará, na terra, amplos e espaçosos refúgios. E quem abandonar seu lar, migrando pela causa de Alá e de Seu Mensageiro, e for surpreendido pela morte, sua recompensa caberá a Alá, porque é Indulgente, Misericordiosíssimo.” — Alcorão (4:100)

O status exaltado de tais emigrantes levou um grupo de jihadistas Britânicos à notoriedade (e a prisão pelo governo), há alguns anos atrás, por comemorarem o ataque de 11 de Setembro se autodenominando Al- Muhajiroun: Os Emigrantes.

Oitocentos mil refugiados Muçulmanos em apenas um ano (2015). Isso transformará a Alemanha e a Europa, para sempre, sobrecarregando as economias de suas nações mais ricas e alterando a paisagem cultural para além do reconhecimento. No entanto, o debate público sério que precisa ser feito sobre esta crise é vaiado pelo nonsense vulgar: o Washington Post na Quarta-feira publicou uma peça inflamatória e irresponsável comparando aqueles preocupados com esse influxo Muçulmano maciço na Europa, com os Nazistas em 1930, prontos para incinerar Judeus aos milhões. A estrela de Hollywood Emma Thompson acusou as autoridades Britânicas de racismo por não terem recebido mais refugiados — como se as autoridades Britânicas ainda não tivessem feito o suficiente para destruir própria a nação.  Robert Spencer in FrontPage: The Hijrah Into Europe

“Talvez mais significativo, para a aplicação a longo prazo das finanças Islâmicas à economia real, é que os princípios de financiamento em conformidade com a Sharia estão muito alinhados com o investimento que a Europa precisa para construir uma recuperação econômica sustentável e inclusiva….. De acordo com um briefing do Banco Mundial, “as finanças Islâmicas são financiadas por ações, apoiadas por ativos, éticas, sustentáveis, ambientalmente e socialmente responsáveis. Promove a partilha de riscos, liga o sector financeiro à economia real e dá ênfase à inclusão financeira e ao bem-estar social.

No excerto acima, a única frase que condiz com a realidade do Oriente Médio é esta: “em conformidade com a Sharia”, o restante, ou seja, “investimento que a Europa precisa”, “liga o setor financeiro à economia real e dá ênfase à inclusão financeira e ao bem-estar social”, etc., qualquer pessoa lúcida é capaz de perceber que existe algo a mais nessa história.

Quero que Londres fique ao lado de Dubai e Kuala Lumpur como uma das grandes capitais das finanças Islâmicas em qualquer lugar do mundo” — David Cameron, Primeiro Ministro, Grã-Bretanha.

Mas os críticos dizem que as ambições Britânicas de atrair investimentos de países, empresas e indivíduos Muçulmanos estão estimulando o estabelecimento gradual de um sistema financeiro paralelo baseado na lei Islâmica da Sharia. O Tesouro também disse que algumas questões com relação ao ‘sukuk’, o bônus Islâmico, podem exigir que o governo restrinja seus negócios com empresas de propriedade Israelense para atrair dinheiro Muçulmano.  — Britain: “A World Capital for Islamic Finance”

Eis aqui realidade:

Alcorão 98:6 “Honestamente falando, aqueles que não creem (na religião Islâmica, no Alcorão e no Profeta Maomé/Muhammad) entre eles o Povo do Livro (Judeus e Cristãos) e demais descrentes, terão que aceitar o Fogo do Inferno. Eles são as piores criaturas”.

“Como as finanças Islâmicas estão ganhando um crescente reconhecimento global por seus altos padrões éticos e de governança, estão posicionadas idealmente para atender às crescentes demandas de oportunidades de investimento socialmente responsável (SRI). No contexto Europeu, não se trata apenas de investimentos que evitem sectores proscritos, como o álcool, as armas, os jogos de azar e o entretenimento para adultos. Muito mais significativo, hoje, é a força da demanda entre mutuários e investidores por estruturas de financiamento que lidam com a ameaça das mudanças climáticas e da degradação ambiental.”

No caso do Brasil, o ‘prefeitinho’ de São Paulo João Doria e o Governador de Goiás Marconi Perillo entre outros, em suas andanças pelos Emirados Árabes, sabem disso, entrentanto o que estamos vendo é: um peso, duas medidas.

Governador Marconi Perillo (PSDB) e o CEO da Caracal Internacional, Hamad Salem Al Ameri — Instalação de uma Indústria de armas dos Emirados Árabes em Goiás

O historiador, filósofo pioneiro e jurista teórico, Ibn Khaldun (1332-1406), observou em seu famoso “Muqaddimah”, a primeira obra de teoria histórica que: “Na comunidade Muçulmana, a guerra santa é um dever religioso por causa do universalismo da missão Muçulmana e (da obrigação de) converter a todos ao Islã ou pela persuasão ou pela força”.

“Muito mais significativo, hoje, é a força da demanda entre mutuários e investidores por estruturas de financiamento que abordam a ameaça das mudanças climáticas e da degradação ambiental.” — “Os bônus Islâmicos, ou os sukuks, já demonstraram suas credenciais como instrumentos de financiamento para iniciativas éticas.”

Se preocupam com as mudanças climáticas e a degradação ambiental. Meu Deus! O sujeito precisa ser um mega débil ou um mau caráter para não reconhecer o genocídio de Cristãos no Oriente Médio. Quantos Muçulmanos “moderados” levantaram a voz contra essa monstruosidade? Alguma passeata ou… ah, lembrei, a Linda Sarsour e a “Marcha da Mulher” contra o Trump” etc. Então tá…

“Em dezembro de 2014, por exemplo, o Mecanismo Internacional de Financiamento para Imunização (IFFIm), para o qual o Banco Mundial atua como gerente de tesouraria, lançou um sukuk (bônus Islâmico) (de US$ 500 milhões, cujos recursos foram utilizados para financiar projetos da Aliança Global para Vacinas e Imunização (GAVI)….

“Estamos dando a nossas crianças inocentes substâncias proibidas e substâncias químicas nocivas que destroem seus sistemas imunológicos naturais, causando doenças, sofrimento e morte. Todos os médicos e pais Muçulmanos devem estar cientes dos ingredientes da vacina e da eficácia falhada das vacinas. O dano é claramente maior do que o benefício. Chegou a hora de defender a verdade.” —Muslims and vaccines

“A Standard & Poor’s, que estima que os ativos Islâmicos globais valiam cerca de US$ 2,1 trilhões no final de 2015, acredita que os instrumentos financeiros em conformidade com a Sharia podem desempenhar um papel no cumprimento de alguns Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SDGs) A sua agenda de 2030 para o desenvolvimento sustentável define metas centradas nos cinco pilares das pessoas, do planeta, da prosperidade, da paz e da parceria.”  — “Olhando para as Nações Unidas SDGs e os princípios de finanças Islâmicas, consideramos que existem algumas semelhanças”.

As Nações Unidas, cá entre nós, e não conta pra ninguém, “santifica o mal” e “declarou guerra contra a civilização Judaico-Cristã” — Mídia Sem Máscara — A ONU declara guerra contra a civilização Judaico-Cristã

“Os dois primeiros SDGs têm como objetivo acabar com a pobreza em todas as formas, travar a fome, alcançar a segurança e alimentar o mundo.”  As formas Islâmicas de empréstimos concessionais como Qard Hassan (empréstimos de bem-estar), Zakat (um imposto sobre a riqueza usado para fins sociais) (Uma doação a instituições de caridade) poderiam ser utilizados em apoio a essas SDGs, embora possam ser mais aplicáveis às economias subdesenvolvidas do que à Europa.”  — “O potencial de financiamento da infra-estrutura em conformidade com a Sharia

Percebam que a linguagem usada pela Sharia nas finanças é a mesma usada no Alcorão etc. Como disse um Muçulmano em Londres numa entrevista: “Islã e Sharia são a mesma coisa.”

Aqueles que por ventura estão achando que eu exagero, expondo versos do Alcorão neste artigo, saibam que eu estou correto, pois é assim mesmo que eles pensam. E aqueles que negarem é porque estão aplicando a Taqiyya em você. Sabe o que isso significa?

Alcorão 3:28: “Que os fiéis não tomem por confidentes os incrédulos, em detrimento de outros fiéis. Aqueles que assim procedem, de maneira alguma terão o auxílio de Alá, salvo se for para vos precaverdes e vos resguardardes. Alá vos exorta a d´Ele vos lembrardes, porque para Ele será o retorno.”

Em outras palavras, você pode e deve mentir se for para alavancar o caminho ou a causa de Alá. O Irã se utiliza desse procedimento praticamente como norma. Veja como negociaram o acordo nuclear… e o “engraçado” é que ambos, Obama e Irã, usaram, usam e abusam da Taqiyya.

“Os sunitas afirmam que os xiitas negam adorar o (Imam) Ali porque estão envolvidos em falsidades (deception) deliberadas e religiosamente sancionadas: Taqiyya. (Imam Ali é considerado um Deus)

“Taqiyya é a nossa religião e a religião de nossos pais; aquele que não tem taqiyya, não tem religião ” — The Complete Infidel’s Guide to Iran por Robert Spencer, Diretor da Jihad Watch

A Sharia impõe, não se adapta, ela manda, exige e quer dominar o mundo. Não se engane sobre isso. Um exemplo da arrogância é o que aconteceu com o jornal satírico Charlie Hebdo. Os terroristas Islâmicos invadiram o território Frances para matá-los. A França não tem nenhuma lei que proíba você de desenhar um profeta no deserto. Resultado, a Sharia invadiu a França e deu no que deu.

A criação de gado em conformidade com a Sharia do Brasil é em si uma imposição da Sharia em território nacional. Significa de que a Sharia está atuando no Brasil, dando as ordens, acima da constituição Brasileira. Não é uma lei qualquer de um país, é a lei Islâmica, a Sharia, impondo as vontades do Islã, o “povo das necessidades especiais”, vide o Hijab em documentos oficiais como o passaporte Brasileiro etc. Isto é a Sharia.

O Barack Obama, — conhecido também como “Obozo” — não disse que “O futuro não pertence àqueles que difamam o profeta do Islã.”?

Outro exemplo — Reino Unido: Os Tribunais da Sharia operam além do alcance da lei Britânica e oprimem as mulheres — UK: Sharia courts operating beyond reach of British law and oppressing women

“É aceito que o financiamento em conformidade com a Sharia é totalmente compatível com os princípios das parcerias público-privadas (PPP) e elementos de mecanismos de financiamento tais como joint-ventures (Musharaka), estruturas de participação nos lucros (Mudharaba), financiamento com custo adicional (Murabaha) E leasing (Ijara) poderiam ser aplicados ao investimento em infra-estruturas sociais europeias.

Como diz uma amigo meu, “só coisinha boa”…  mas só para Muçulmanos, para quando converterem “a todos ao Islã ou pela persuasão ou pela força“.

Alcorão 5:33 
“O castigo, para aqueles que lutam 
contra Alá e contra o Seu Mensageiro 
e semeiam a corrupção na terra, 
é que sejam mortos, ou crucificados, 
ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, 
ou banidos...”

Na hipótese de um conflito armado no Brasil contra a jihad, não me surpreenderei se a empresa bélica em Goiás fornecer armamentos aos jihadistas. A regra dos números fala por si só, porque nenhum Muçulmano se atreverá a trair Alá e o seu Mensageiro Muhammad.

É por último, é óbvio, Sohail Jaffer é Partner e Chefe de Desenvolvimento de Negócios Internacionais para a “private label” bancassurance com o grupo FWU com sede em Dubai. 


 

 

DEEM-ME TRÊS BOAS RAZÕES PARA NÃO APOIAR

DEEM-ME TRÊS BOAS RAZÕES PARA NÃO APOIAR

Por Tião Cazeiro

28 de Março de 2017

Deem-me três boas razões para não apoiar o Luiz Philippe de Orleans e Bragança nestas questões…

Além da rejeição ao voto em lista fechada, e do estatuto  de desarmamento temos um problema grave de cidadania no horizonte. A lei de imigração. Pensava que tinhamos tempo para propor mudanças na lei do Aloysio Nunes do PSDB mas não temos. Ela não é mais alterável. Já foi aprovada e é inaceitável. Cabe um recurso final para tentar bloqueá-la. Conto com sua compreensão e apoio para rejeitar essa lei. Falei dela hoje do nosso caminhão na Paulista.” — Luiz Philippe de Orleans e Bragança – Facebook

Eis alguns excertos de dois artigos que publiquei neste blog sobre o assunto em questão:

“Está bem claro para mim que a Europa perdeu a paciência  e uma Revolução Politica se aproxima em 2017. A Europa vai sentir o calor das ruas e isso não é novidade nenhuma, nem exige conhecimento extraterrestre para ver a realidade, ou seja, que uma guerra civil se aproxima.”

“A extrema esquerda que está destruindo a sociedade Ocidental com Islamização, multiculturalismo, fronteiras abertas, migração em massa, politicamente correto e a destruição do estado-nação estão agora expostos ao perigo que infligiram a todos nós.”  — Fascismo: Quando o poder do Estado é usado para esmagar os direitos do povo.

“Por que o Projeto de Lei 2516/2015 que institui uma nova Lei de Migração no Brasil está sendo veementemente criticado nas redes sociais? A resposta é clara, por não considerar principalmente o antagonismo Islâmico.”

“Este antagonismo a que me refiro foi publicamente denunciado pelo Presidente do Egito Abdel Fattah al-Sisi, um Muçulmano fervoroso que no entanto abraçou os Cristãos Coptas no Natal de 2015 numa Igreja Copta pela primeira vez na história do Egito.”

” O próprio General al-Sisi neste vídeo confirma que o Islã está antagonizando o mundo todo.” —  MIGRAÇÃO EM MASSA É PURO CAPITAL POLÍTICO

E por último, não deixem de ler este  artigo escrito por  Raymond Ibrahim — Genocídio Islâmico de Cristãos: Passado e Presente


Asia Bibi e as Montanhas do Paquistão

Foto/Capa: Montanhas do Paquistão

Asia Bibi e as Montanhas do Paquistão

Por Tião Cazeiro

25 de Março de 2017

Asia BibiNovembro de 2010:

“Asia Bibi, uma mulher Cristã e Paquistanesa de 45 anos, mãe de cinco filhos, foi condenada à morte por blasfêmia em 7 de Novembro passado. Um tribunal de Punjab decidiu que a mulher, uma trabalhadora agrícola, ofendeu o profeta Maomé/Muhammad. Mas, na realidade, Asia Bibi foi insultada primeiro como “impura” (por não ser Muçulmana), e em seguida forçada a defender sua fé Cristã diante da pressão de outros trabalhadores Muçulmanos. O marido de uma delas, o imam local, decidiu fazer acusações e denunciar a mulher, que foi primeiramente espancada, depois aprisionada e, finalmente, após um ano, condenada à morte.”

Janeiro de 2014:

“Asia Bibi está na prisão aguardando a execução por falsas acusações por blasfêmia. Só Deus pode libertá-la porque os Cristãos do Ocidente não se atrevem a falar em seu nome: “Falar sobre extremistas, militantes Islâmicos e as atrocidades que perpetraram globalmente pode prejudicar as conquistas positivas que nós, Católicos, alcançamos em nosso diálogo inter-religioso com Muçulmanos devotos.” — Robert McManus, Bispo Católico de Worcester, Massachusetts, 8 de Fevereiro de 2013.”

“Asia Bibi e outros Cristãos Paquistaneses acusados de blasfêmia não têm amigos, nem protetores, nem porta-vozes.”

Outubro de 2016:

“Paquistão: 150 clérigos Muçulmanos exigem a morte de Asia Bibi, a mulher Cristã acusada de blasfêmia.”

“Um decreto religioso advertiu o governo do Paquistão que se Asia Bibi for enviada ao exterior, por meio de qualquer conspiração, a administração sofrerá consequências.”

“Isso é, naturalmente, uma ameaça de violência se não conseguirem o sangue dessa pobre mulher. Se tivéssemos uma administração sã, o caso de Asia Bibi teria sido conduzido energeticamente pelo Departamento de Estado e transformado numa questão diplomática até que fosse libertada para um país onde pudesse viver livremente. Ela está enfrentando a morte por supostamente insultar o Islã e Maomé. Os Estados Unidos deveriam defender a liberdade de expressão. Mas esta é, naturalmente, a era de Obama e Hillary Clinton.”

Janeiro de 2017:

 “Cinco mulheres cujos direitos a “Marcha das Mulheres” deixou para trás — No Sábado, uma coalizão de atrizes, estrelas do pop e Michael Moore se reuniram em cidades de todo o país para protestar contra a transferência pacífica do poder entre os presidentes Barack Obama e Donald Trump, uma tradição Americana secular.”

“Os discursos — de um elenco de personagens com origens tão diversas como Ashley Judd, Scarlett Johansson e Madonna — advertiram que a América estava no precipício de uma “nova era de tirania” e só a “revolução” poderia salvá-la. Os “chapéus vagina“, armados com a linguagem “depreciativa” como um veículo de “empoderamento”, advertiram o eleitorado Americano que a época em que a esquerda Americana respeitava a infra-estrutura eleitoral Republicana da nação tinha terminado.”

“O conteúdo dos discursos em tais manifestações parecia desviar-se de seu propósito nominal. Organizadores alegadamente convocaram a marcha para defender os direitos humanos das mulheres oprimidas. Deveria ter sido uma oportunidade única de levantar os abusos de direitos humanos que muitas vezes ficam afastados da conversa internacional porque afetam mulheres: a mutilação genital feminina, estupro por refugiados e pessoas deslocadas internamente (IDP) a escravidão sexual, para começar.”

Asia Bibi — “Ao serem confrontadas, suas colegas de trabalho alegam que Bibi havia perguntado a elas: “O que Muhammad fez por você?” Bibi nega ter dito isso, mas sua palavra num tribunal Islâmico Paquistanês pesa menos do que a de seus acusadores.”

Berta Soler — “líder do movimento dissidente Damas de Branco em Cuba.”

“Em quase todos os domingos desde a “Primavera Negra” de 2003, Soler e seus compatriotas — esposas, filhas, irmãs e mães de prisioneiros políticos Cubanos — foram presos por carregar imagens de seus entes queridos injustamente presos à igreja e tentar assistir uma Missa Católica em Havana. Elas foram espancados, arrastados pelos tornozelos, puxadas pelos cabelos, ridicularizadas, pichadas e abandonadas à força longe de suas casas sem ter como voltar, sob o regime de Raúl Castro. Elas procuram a liberdade dos prisioneiros de consciência e uma restauração do respeito pelos direitos humanos básicos em Cuba, e rejeitam abertamente o comunismo.

Park Yeonmi — “Park escapou da Coréia do Norte aos 13 anos de idade, passando pela China, onde os guardas muitas vezes se aproveitavam das mulheres que tentavam fugir do estado comunista repressivo exigiam favores sexuais. Um guarda realmente tentou violar Park, mas finalmente cedeu depois que sua mãe se ofereceu no lugar dela. Ela foi estuprada duas vezes naquela noite. “A primeira vez, eu ouvi apenas os sons. A segunda vez estava na minha frente. Eu disse a mim mesmo que eu não vi isso. Foi assim que consegui continuar vivendo.”

Kayla Mueller — “Kayla Mueller sofreu meses de brutalidade como escrava sexual favorita de Abu Bakr al-Baghdadi, o fundador do Estado Islâmico (ISIS). O grupo jihadista anunciou que ela foi morta em um ataque aéreo aos 26 anos em 2015; o governo dos EUA confirmou sua morte, mas não como ela morreu.”

“Enquanto escravizada, Mueller se recusou a se converter ao Islã, desafiando seus captores jihadistas quando tentaram afirmar o contrário, e se tornou uma irmã protetora mais velha para as meninas Yazidis que haviam sido capturadas e escravizadas. Ela se recusou a escapar com um grupo de meninas, argumentando que, como um Americana, ela iria chamar muita a atenção para as outras meninas.”

Mayar Mohamed Mousa — “Mousa morreu aos 17 anos no Egito enquanto sofria um procedimento ilegal de mutilação genital feminina (MGF). “Os resultados iniciais de uma autópsia realizada sobre a menina citam coagulação do sangue como a possível causa de morte”, informou a CNN em Junho de 2016. Complicações durante a mutilação — que muitas vezes inclui a remoção completa do clitóris e corte de partes dos lábios — são comuns, mas os pais continuaram submetendo suas meninas ao procedimento para privá-las de desejo sexual, mantendo-as “puras”.

“Somos uma população cujos homens sofrem de fraqueza sexual, o que é evidente porque o Egito está entre os maiores consumidores de estimulantes sexuais que só os fracos consomem”, disse o legislador Egípcio Elhamy Agina em Setembro. “Se pararmos com a MGF, precisaremos de homens fortes e não temos homens desse tipo”.”

“Mais de 200 milhões de meninas e mulheres vivas hoje foram cortadas em 30 países na África, Oriente Médio e Ásia”, de acordo com a OMS.”

Fevereiro de 2017:

“Autoridades Paquistanesas prenderam um pai Cristão de 70 anos e sua família, incluindo seus três filhos entre 8 e 14 anos, por um suposto ato de blasfêmia, relata a British Pakistani Christian Association (BPCA).”

“”Um homem de 70 anos e seu filho foram torturados para confessar, mas novamente defenderam resolutamente sua inocência”, continuou ele. “Agora este homem idoso Mukhtar Masih morrerá provavelmente na prisão ou enforcado por um crime que não cometeu.”

“Houve também vários Cristãos acusados por blasfêmia em todo o país. Alguns Muçulmanos pediram a execução desses Cristãos.”

“”No Paquistão, os tribunais são conhecidos por sua manipulação das leis que são usadas como uma ferramenta para discriminar as minorias”, informou o Pakistan Christian Post em Outubro.”

Paquistão

Enquanto o sol ilumina as montanhas…

  • O órgão regulador da mídia Alemã instruiu a imprensa para censurar etnicidade e religião em reportagem. Merkel não quer que o povo Alemão e o mundo saibam quão desastrosas foram suas políticas. Ela não quer que as pessoas saibam quantos crimes são cometidos por migrantes Muçulmanos. Manter o povo ignorante é a sua única chance de permanecer no poder.

Diante de tanta insanidade só resta admirar as montanhas do Paquistão…


TAMIMI: “Somos Muçulmanos Na Europa, E Não Muçulmanos Europeus”

Fonte/Source: Tamimi: “We are Muslims in Europe, not European Muslims”

TAMIMI: “Somos Muçulmanos Na Europa, E Não Muçulmanos Europeus”

Por Tião Cazeiro

24 de Março de 2017

Robert Spencer escreveu um artigo em Agosto de 2006 dizendo o seguinte:

“Me pergunto se os dhimmis das populações não-Muçulmanas da Eurábia entendem a diferença. Tamimi, o qual a duplicidade foi desmascarada, também reiterou seu apoio ao martírio suicida jihadista.”

Dr. Azzam Tamimi, um radical Muçulmano estacionado na Inglaterra, pareceu apoiar o atentado suicida de ontem, quando afirmou que morrer por suas crenças era “justo”. Tamimi disse, — diante de uma multidão de 8.000 pessoas na convenção ExpoIslamia em Manchester, — que defender seus princípios é o “maior ato de martírio”.

Tamimi, de 51 anos, afirmou que a guerra ao terrorismo era uma guerra contra o Islã. “Somos Muçulmanos na Europa, não Muçulmanos Europeus“, acrescentou. A multidão irrompeu em urros e aplausos quando disse que Israel havia sido derrotado pelo Hezbollah. ” [Ênfase adicionada]

Enquanto isso…

O ‘prefeitinho’ Muçulmano de Londres, Sadiq Khan, cria força tarefa para prender todos aqueles que “irritam” os Muçulmanos online. Muçulmanos são obcecados em calar qualquer crítica ao Islã, o que na verdade é uma das táticas para impor a Sharia em novas terras…

O site do Conservativehome lista outras preocupações (com relação ao prefeitinho), incluindo:

  • Em carta ao The Guardian na sequência dos atentados terroristas de 7/7 em Londres, culpa o governo Britânico pelo terrorismo;
  • Sua defesa legal de Zacarias Moussaoui, um terrorista do 11 de Setembro que confessou ser membro da Al Qaeda;
  • Seu capítulo num livro, intitulado “Ações contra a Polícia”, aconselhando sobre como fazer acusações contra a polícia por “racismo”. A mesma força policial que o Sr. Khan como prefeito de Londres iria exercer autoridade;
  • Sua defesa do extremista Islâmico Azzam Tamimi. Quando o Dr. Tamimi disse à multidão que a publicação de caricaturas do Profeta Muhammed “faria o mundo tremer” e previu “Fogo … em todo o mundo se não pararem”, Sr. Khan, que compartilhou uma plataforma com Tamimi descartou as ameaças como “linguagem florida”;
  • Sua plataforma compartilhada com Suliman Gani, um Imã do sul de Londres, que exigiu subserviência feminina aos homens, e pediu a fundação de um Estado Islâmico.

Completando o raciocício…

“O terrorista Islâmico que atacou Westminster na Quarta-feira era um Muçulmano convertido que possivelmente foi radicalizado na prisão; tinha vivido em várias áreas do Reino Unido, e era conhecido por atividade Islâmica radical.

khalid Masood, 52, passou algum tempo em Birmingham, East London e em Luton, antes de assassinar quatro pessoas no centro de Londres. Depois de morto a tiros, o Estado Islâmico (ISIS) o descreveu como um de seus “soldados”. — Westminster Killer was Muslim Convert, Lived in Several Extremism Hotspots

O padrão utilizado pelo terrorista é o mesmo que estamos vendo ao redor do mundo, ou seja, atropelamento, faca, locais públicos de alta visibilidade etc.

Entretanto, o colunista da BBC Simons Jenkins, criticou o posicionamento da mídia neste vídeo, infelizmente não legendado em Português.

“A BBC fez uma escolha, deram preferência ao terrorista”. O colunista Simon Jenkins critica a cobertura dada ao ataque pela mídia.

A cada dia que passa a BBC deixa claro um firme compromisso com a subserviência e a desinformação.

Nesse vídeo, o colunista Simon Jenkins afirma que dar proeminência aos terroristas ajuda e complica ainda mais a situação, e que o incidente deveria ser tratado com um crime e não como terrorismo. Compara o incidente com os atentados do IRA, PLO etc.; diz que Masood “era um doido, que enlouqueceu e pegou uma faca” etc., um caso como outros que acontecem em Londres e em outros lugares….

Sério? Simon Jenkins realmente vive num outro planeta.  Sem ofensa, mas por trás desse raciocínio, se puxarmos a linha, encontraremos camadas e camadas de comprometimento político, os quais estão propositalmente deixando a população Britânica completamente indefesa, o que acarretará em mais mortes, em mais terrorismo ao longo dos anos.

Jenkins assume a postura de que é melhor não irritar para não aumentar…  e isto é covardia, isto é desinformação, isto é não querer enchergar a realidade, ou seja, a jihad global. Estamos em guerra e a jihad não vai parar, irritando ou não, com ou sem medo.

Duas “detenções significativas” feitas durante a noite associadas aos assassinatos da jihad em Londres

24 de Março de 2017 —  Por Robert Spencer — Two “significant arrests” made overnight in association with London jihad murders

“O nome de nascimento do perpetrador do atentado terrorista de Quarta-feira no centro de Londres é Adrian Russell Ajao, disse o mais antigo policial Britânico de contraterrorismo.

Nove pessoas permanecem sob custódia e uma mulher foi libertada sob fiança”.  Este parece ter sido um enredo de grande escala. E mais em andamento.

Uma mulher de 39 anos foi presa em um endereço na noite de Quinta-feira em East London, sob suspeita de preparação de atos terroristas, disse a polícia. Uma mulher, que não foi nomeada, está sob custódia da Polícia e da Evidência Criminal (PACE).

Seis pessoas  — duas mulheres e quatro homens, com idades variando de 21 a 28 — foram presas em dois endereços em Birmingham, uma cidade no centro da Inglaterra. Os seis também foram mantidos sob suspeita de preparação de atos terroristas.

Outro homem, 58, também foi preso sexta-feira pela manhã em outro endereço em Birmingham, e realizado sob a mesma acusação ….”

Óbvio que a polícia não está inventando esses dados, portanto não se trata aqui de “um doido, que enlouqueceu e pegou uma faca etc.” como quer acreditar o colunista Simon Junkins. Estamos vendo os ingredientes de um ataque orquestrado.

E mais…

Repórter da NBC teme que o ataque jihadista em Londres venha “pôr vento nas velas” do “movimento de direita”.

23 de Março de 2017 — Por Robert Spencer

“Os meios de comunicação do establishment não estão preocupados com os ataques terroristas jihadistas no Ocidente. O establishment não está preocupado com as pessoas mortas nos massacres da jihad. Os meios de comunicação do establishment só querem que você não pense mal do Islã e para não começar a apoiar os “movimentos de direita” que ameaçam a hegemonia das elites políticas.” — NBC reporter fears London jihad attack will “put wind in the sails” of the “right-wing movement”

Conclusão…

“De acordo com a Primeira Ministra Theresa May, o terrorista de Westminster Khalid Masood era uma “figura periférica”, e aparentemente há muitos outros Muçulmanos na Grã-Bretanha que são ainda mais violentos e perturbados do que Khalid Masood, e por isso não havia nenhuma questão de mantê-lo sob vigilância.

Esse é o plano do Estado Islâmico (ISIS) para subjugar a aplicação da lei, com muitos ataques e complôs até que o sistema inteiro entre em colapso. Parece que este plano está funcionando bem no Reino Unido.” — Robert Spencer.

Khalid Masood converteu-se ao Islamismo, e portanto, do ponto de vista de Tamimi, deixou de ser um cidadão Britânico.

Somos Muçulmanos na Europa, não Muçulmanos Europeus

Dito pelo Dr. Azzam Tamimi diante de 8.000 pessoas na convenção ExpoIslamia em Manchester, com direito a urros e aplausos frenéticos.

Portanto, Masood era um Muçulmano no Reino Unido e não um Muçulmano Britânico, de acordo com Tamimi.

Criticar a mídia pela enorme cobertura que deu a um suposto — crime comum perpetrado por um cidadão Britânico — demonstra o quanto, uma parte da mídia, desinforma.

Ideias têm consequencias.