Arquivo da tag: França

Mesquita Principal De Paris: Macron Ganha Sinal De Que Muçulmanos “Podem Viver Em Harmonia E Respeitar Os Valores Franceses”

Fonte: Paris main mosque: Macron win sign that Muslims “can live in harmony and respect of French values”


Mesquita Principal De Paris: Macron Ganha Sinal De Que Muçulmanos “Podem Viver Em Harmonia E Respeitar Os Valores Franceses”

POR ROBERT SPENCER

7 de MAIO de 2017

A Grande Mesquita de Paris disse: “É um claro sinal de esperança para os Muçulmanos Franceses que podem viver em harmonia e respeitar os valores Franceses”.

Será que a eleição de Macron é um sinal de esperança para os Muçulmanos na França, de modo que podem viver em harmonia e respeitar os valores Franceses? Então, se Le Pen tivesse vencido, teria sido um sinal de que os Muçulmanos na França não poderiam viver em harmonia e respeitar os valores Franceses? Parece que ao dizer isto, a Grande Mesquita de Paris está presumindo que os Muçulmanos na França podem ou não viver em harmonia e respeitar os valores Franceses dependendo da liderança não-Muçulmana na França.

A Grande Mesquita de Paris tenta, por conseguinte, dar a impressão de que cabe aos não-Muçulmanos, se os Muçulmanos na França aceitarão ou não os valores Franceses. A Grande Mesquita de Paris está avançando a narrativa da “Islamofobia” de que o terrorismo da jihad Islâmica, e a opressão da Sharia, são inteiramente uma reação às monstruosidades dos governos e indivíduos não-Muçulmanos. Esta afirmação é uma declaração dissimulada para que os Muçulmanos na França sejam vítimas — uma declaração estarrecedora, feita à luz da crescente atividade jihadista na França.

Na verdade, a vitória de Macron é um sinal de que a maioria dos não-Muçulmanos na França tem esperança de que possam viver em harmonia e respeitar os valores Muçulmanos. Boa sorte com isso.

“Mesquita principal de Paris diz que a eleição de Macron dá esperança aos Muçulmanos Franceses”, Reuters, 7 de maio de 2017:

A principal mesquita de Paris disse neste Domingo que a eleição do centrista Emmanuel Macron como o próximo Presidente da França sobre a líder de extrema direita Marine Le Pen foi um sinal de reconciliação entre as religiões Francesas.

“É um claro sinal de esperança para os Muçulmanos Franceses que podem viver em harmonia e respeitar os valores Franceses”, disse em comunicado a Grande Mesquita de Paris.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Anúncios

FRANÇA: ATAQUES ANTICRISTÃOS CRESCEM 245 POR CENTO

Fonte/Source: France: Anti-Christian attacks rise 245 percent — Robert Spencer – Jihad Watch

FRANÇA: ATAQUES ANTICRISTÃOS  CRESCEM 245 POR CENTO

 

Por CHRISTINE WILLIAMS

8 DE FEVEREIRO DE 2017

O elevadíssimo aumento de 245% no número de ataques contra os Cristãos representa um problema genuíno e crescente; A preocupação com a “islamofobia” conseguiu afastar as verdadeiras questões de direitos humanos.

Perceba a peculiaridade do Ministério do Interior Francês ao minimizar a seriedade dos ataques anticristãos, vangloriando-se de como o ministério estava ocupado, implementando ações contra a “islamofobia” e o antissemitismo. O governo também foi rápido ao mencionar que não havia nenhum motivo religioso para esse drástico aumento de ataques anticristãos.

Um ponto-chave aqui, é que o Ministério do Interior Francês e os meios de comunicação social de esquerda, fazem um grande esforço para não admitir ou abordar qualquer possível envolvimento de supremacistas Islâmicos nessa perseguição contra os Cristãos. O governo chegou a negar qualquer motivação religiosa e declarou que dos 949 ataques anticristãos “havia uma possível ‘motivação satânica’ em 14 casos e motivação ‘anarquista’ em 25.” E quanto aos outros casos?

Uma reportagem da CNN em Julho revelou:

“Ao insistir nos ataques às Igrejas, o ISIS tenta eliminar o que chama de “zona cinzenta” para Muçulmanos no Ocidente, provocando uma reação da extrema-direita. Os constantes ataques na França produziram uma onda de raiva anti-muçulmana, alimentada e explorada pelos políticos de extrema-direita.

O jornal La Figaro também tentou achar uma justificativa, afirmando que “é esperado que ataques às Igrejas sejam os mais abundantes porque elas existem em maior número”, e ignorando o fato de que os Cristãos enfrentam ataques brutais em países Muçulmanos como o Egito e Paquistão. Apesar de não existirem em grande número.

Alimento para o pensamento: O artigo abaixo também destaca que “no ano passado em Dülmen, após a chegada de mais de um milhão de imigrantes na Alemanha, a mídia local disse que ‘não passa um dia’ sem ataques à estátuas religiosas Cristãs”.

“França: Ataques Anticristãos Crescem 245 Por Cento”, por Virginia Hale, Breitbart, 7 de fevereiro de 2017:

“Embora os ataques racistas, anti-muçulmanos e antissemitas tenham sofrido uma queda enorme desde 2008, ataques a cultos Cristãos mais do que dobraram nesse período, informou na semana passada o Ministério do Interior da França.

Tendo documentado um número recorde de ataques antissemitas e anti-muçulmanos em 2015, o ano passado em Dülmen, após a chegada de mais de um milhão de migrantes na Alemanha, a mídia local disse que ‘não passa um dia’ sem ataques às estátuas religiosas Cristãs.

Posteriormente, os ataques racistas, antissemitas e anti-muçulmanos caíram acentuadamente em 2016, com o primeiro vendo um declínio de 58,5 por cento e o último uma queda de 57,6 por cento. Esses ataques são definidos como incêndios, violência, degradação e ameaças — comentários, inscrições, cartas insultantes. Neste ano, os ataques aos locais de culto Cristãos aumentaram 17,4% em 2016 em comparação com 2015. Os ataques racistas, por sua vez, caíram 23,7% (608 contra 797).

A queda acentuada de incidentes de natureza islamofóbica ou antissemita foi bem recebida pelo governo Francês, que creditou os números como “fruto do plano de ação do governo”.

“Graças a uma mobilização sem precedentes dos serviços do Estado, já obtivemos resultados muito encorajadores, como evidenciado pelos números de 2016. Isso nos dá muita satisfação”, disse o ministro do Interior, Bruno Le Roux.

Le Figaro relatou que os ataques dirigidos aos Cristãos agora representam 90% dos ataques aos locais de culto.

O jornal aponta que, embora espera-se que os ataques às igrejas sejam os mais abundantes porque elas existem em maior número, os casos em que os locais de culto Cristãos foram maculados viram um enorme aumento entre 2008 e 2016.

O governo diz que a maioria dos 949 ataques às igrejas “não tem motivos religiosos”, mas que há uma possível “motivação satânica” em 14 casos e uma motivação “anarquista” em 25. No entanto, desde 2008 assaltos a locais de culto Cristãos aumentaram 245 por cento.

No ano passado, em Dülmen, após a chegada de mais de um milhão de imigrantes na Alemanha, a mídia local disse que ‘não passa um dia’ sem ataques a estátuas religiosas Cristãs.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

APOIO AOS NACIONALISTAS FRANCESES DE LE PEN EM ASCENSÃO ENTRE LGB

Fonte/Source: Support For Le Pen’s French Nationalists On the Rise Among LGB

Photo Cover Page: Reuters/Gonzalo Fuentes

APOIO AOS NACIONALISTAS FRANCESES DE LE PEN EM ASCENSÃO ENTRE LGB

Por LIAM DEACON

5 de Fevereiro de 2017

Le Pen

Especialistas em LGB [sic] (lésbicas, gays e bissexuais) na política Francesa, disseram que não há mais “tabu” em torno dos homossexuais que expressam opiniões nacionalistas e anti-imigrantistas, já que as pesquisas mostram seu apoio à Frente Nacional crescendo de forma constante.

Uma pesquisa da IFOP descobriu que entre Março de 2011 e Novembro de 2016, o apoio ao partido de Marine Le Pen cresceu mais rápido entre os eleitores LGB do que a população em geral.

A pesquisa, com 15.379 entrevistados, revelou que, em três anos, o apoio à Frente Nacional aumentou em 9%, tanto entre LGBs quanto heterossexuais, com 16,5% entre os eleitores LGBs e 14,5% entre os heterossexuais.

De acordo com uma pesquisa da Cevipof, 32,45 por cento dos casais homossexuais casados votaram pela Frente Nacional no primeiro turno das eleições regionais em Dezembro de 2015.

“As pessoas não se sentem mais conflitadas quando expressam opiniões de direita”, disse Didier Lestrade, autor Franco-Argelino de Why Gays Turned Right, a Buzzfeed. “É o fim de um tabu.”

“O que está acontecendo nos bares, especialmente quando tomam alguns drinks, quando estão entre amigos, é que você pode ouvir que as pessoas não têm mais medo de expressar opiniões que durante muito tempo foram reprimidas na comunidade gay”, Didier explicou.

maxresdefault
Didier Lestrade (Crédito: Youtube)

Agora a Frente Nacional conta com um número significativo de eleitores gays, maior do que qualquer grande partido da França, incluindo os Socialistas, que aprovaram uma lei de casamento gay em 2013.

No entanto, o partido ainda tem muitas políticas socialmente conservadoras, as quais os adversários tentaram enquadrar como anti-gay. Querem revogar as leis do casamento gay e se opor à adoção do mesmo sexo, por exemplo.

No entanto, essas políticas não são prioridades para a Frente Nacional, e outras preocupações, como a homofobia entre comunidades imigrantes e Muçulmanas na França, estão levando os eleitores gays para o partido contra a migração em massa.

“Acredito que os Franceses sentem-se ameaçados; Acredito que sobre os gays também”, disse Sébastian Chenu.

Chenu é fundador de um grupo de Defesa dos Direitos dos Homossexuais ligado ao Partido Republicano de Centro-Direita da França, o qual virou notícia quando se juntou à Frente Nacional em 2014, onde agora chefia o comitê do partido para todo o norte da França.

A igualdade entre casais “não é mais uma questão central”, explicou, uma vez que há uma ameaça real de que a França se torne “menos livre”. E “quando a sociedade se torna menos livre, quando se é gay, há muito a perder” explicou.

Várias pesquisas recentes revelaram que a líder da Frente Nacional, Le Pen, agora é a favorita para vencer o primeiro turno das eleições presidenciais em Abril deste ano. Garantir o voto gay pode ser crucial para o sucesso eleitoral.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Estado Islâmico (ISIS) promete “encher as ruas de Paris com cadáveres”

Photo/Cover: Champs-Elysees at night from Shutterstock

Fonte/Source: Islamic State vows to “fill the streets of Paris with dead bodies”

Estado Islâmico (ISIS) promete “encher as ruas de Paris com cadáveres”

22 de julho de 2015 por Robert Spencer

Islamic-State-13-300x174Eles amam a morte “como você ama a vida.” Eles são os inimigos da vida, da criação e da criatividade, do amor, da arte e da civilização. Tudo o que eles adoram é a morte, a dor e destruição. Eles são a quintessência da força do mal.

“O Estado Islâmico (ISIS )promete encher as ruas de Paris com cadáveres”, por  Vladi Vovcuk e Gilad Shiloach, Vocativ, 22 de julho de 2015 (agradecimentos a Jerk Chicken):

O braço midiático oficial do ISIS na província de Hama na Síria, publicou um vídeo nesta quarta-feira mostrando um militante, falando francês, atirando num prisioneiro do exército Sírio e declarando que o Estado Islâmico (ISIS) “vai encher as ruas de Paris com cadáveres“. Continuar lendo Estado Islâmico (ISIS) promete “encher as ruas de Paris com cadáveres”