Arquivo da tag: Robert Spencer

Austrália: Muçulmanos Criticam Severamente Imam Como “Falso Muçulmano” Por Opor-Se À Sharia E Obedecer À Lei Australiana

Fonte/Source: Australia: Muslims slam imam as “fake Muslim” for opposing Sharia and obeying Australian law


Austrália: Muçulmanos Criticam Severamente Imam Como “Falso Muçulmano” Por Opor-Se À Sharia E Obedecer À Lei Australiana
Por Robert Spencer

2 de Abril de 2017

Eis aqui mais uma parcela da nossa série periódica: por que não vemos mais genuínos reformadores Muçulmanos.

“Eu sou considerado falso porque morreria pela Austrália”’: Imam bate de frente com extremistas que afirmam que ele é uma fraude por seguir a lei Australiana sobre a Sharia e não querer um estado Muçulmano“, de Kate Darvall, Daily Mail Austrália, 1 de abril de 2017. (Agradecimentos à Religião da Paz):

Um líder Muçulmano criticou os extremistas que afirmam que ele é uma fraude por seguir a lei Australiana em vez da Sharia, e não querer formar um estado Muçulmano independente.

Imam Shaikh Mohammad Tawhidi, que falou abertamente contra o ISIS e extremistas, confrontou os membros da comunidade Islâmica num vídeo compartilhado online na Sexta-feira.

Imam Tawhidi disse que foi rotulado de ‘falso’ Sheik porque priorizou a lei Australiana ao invés da Sharia.

“Eu sou considerado um falso porque morreria pela Austrália. Eu sou considerado um falso, porque vivo pela constituição Australiana”, disse ele.

“Eu sou considerado um falso porque glorifico a bandeira Australiana.

“Eu sou considerado um falso porque rejeito a lei Sharia e vivo pela lei Australiana.”

No vídeo de quatro minutos de duração, o Imam Tawhidi enumerou várias razões pelas quais tinha sido chamado de “falso” por membros da comunidade Muçulmana da Austrália.

“Eles me chamaram de falso Imam ou Sheik Muçulmano só porque expus suas intenções de criar um califado dentro da Austrália”, disse ele.

“Eu sou considerado um falso porque condeno o terrorismo. Consideram-me um falso porque me oponho e exponho o extremismo.

Ele se defendeu dizendo que era legítimo e só foi acusado de ser uma fraude porque não servia uma agenda radical Islâmica.

“Para eles, sou muito Australiano”, disse ele.

O líder Muçulmano disse que rejeitou a controversa lei Sharia para viver pela lei Australiana “porque sou um Australiano Muçulmano e não um Muçulmano Australiano”.

“Quero um Islã que seja compatível com o Ocidente”, disse.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Rejuvenescer A Economia Europeia: O Papel Das Finanças Islâmicas

Fonte/Source: Rejuvenating the European Economy: The Role of Islamic Finance | The World Financial Review | Empowering communication globally

 Rejuvenescer A Economia Europeia: O Papel Das Finanças Islâmicas

Por Tião Cazeiro

29 de Março de 2017

Tradução: A Sharia dominará o mundo / Muçulmanos, levantem-se e instaurem a Sharia

A ideia aqui é comentar alguns excertos de um artigo escrito em Março de 2016 por Sohail Jaffer e publicado no The World Financial Review

Não se trata de uma análise financeira, e sim de uma comparação do sistema financeiro Islâmico com o pensamento Islâmico contido nos textos sagrados do Islã.

“É inconcebível”, disse ele, “que o pensamento que guardamos como o mais sagrado deva fazer com que toda a umma [Mundo Islâmico] seja uma fonte de ansiedade, perigo, matança e de destruição para o resto do mundo. Impossível!” —Presidente do Egito Al-Sisi: O “Pensamento” Islâmico está “Antagonizando o Mundo Todo”.

O antagonismo Islãmico global é um fato que ninguém em sã consciência pode negar. Entretanto, nem mesmo o genocídio de Cristãos no Oriente Médio pesa na balança do gerenciamento de controle de riscos das instituições financeiras.

Obs.: [Ênfase adicionada nos excertos]

Rejuvenescer A Economia Europeia: O Papel Das Finanças Islâmicas

O título em si, o qual mantive neste artigo, já demonstra que ao invés de rejuvenescer a Europa, o Islã a está destruindo, e o que estamos vendo hoje em dia é só o começo. Não da vitória do Islã, mas do suicídio Europeu.

Ok, ok, eu sei: “Enquanto houver um louco, um poeta e um amante haverá sonho, amor e fantasia. E enquanto houver sonho, amor e fantasia, haverá esperança.” — Shakespeare.

Comentando a queda acentuada dos preços das ações dos bancos Europeus nas primeiras semanas de 2016, que descreveu como uma “preocupação”, o FMI aconselhou que “um setor bancário robusto é necessário para apoiar o investimento e a recuperação econômica”. Em muitos aspectos, idealmente posicionado para reforçar o rejuvenescimento da economia Europeia”. As finanças Islâmicas estão, em muitos aspectos, idealmente posicionadas para reforçar o rejuvenescimento da economia Europeia.

A palavra “dhimmittude” vem de dhimmi, uma palavra Árabe que significa “protegido “. Dhimmittude significa o sistema Islâmico de governança utilizado nas populações conquistadas pelas guerras da Jihad. Em outras palavras, é igual ao sistema utilizado pela máfia. Você paga uma taxa de proteção (jizya) para se manter vivo.

Uma delas [razões] é que as economias Islâmicas no Oriente Médio e no Sudeste Asiático continuam a ser uma importante fonte de liquidez que procura oportunidades de investimento diversificadas para além das suas regiões de origem.”

Veja o Robert Spencer (Jihad Watch) diz a respeito:

Hijrah, ou jihad pela emigração, é, de acordo com a tradição Islâmica, a migração ou viagem de Muhammad e seus seguidores de Meca para Yathrib, mais tarde renomeada por ele como Medina, no ano 622 d.C. Foi depois da Hijra que Muhammad pela primeira vez se tornou não apenas um pregador de ideias religiosas, mas um líder político e militar. Foi isso que ocasionou suas novas “revelações” exortando seus seguidores a cometerem violência contra os incrédulos.

Emigrar pela causa de Alá — ou seja, mudar para uma nova terra para ampliar o Islã, é considerado no Islã como um ato altamente meritório. “E quem emigrar pela causa de Alá encontrará na terra muitos lugares e abundância“, diz o Alcorão:

"Mas quem migrar pela causa de Alá, achará, na terra, amplos e espaçosos refúgios. E quem abandonar seu lar, migrando pela causa de Alá e de Seu Mensageiro, e for surpreendido pela morte, sua recompensa caberá a Alá, porque é Indulgente, Misericordiosíssimo.” — Alcorão (4:100)

O status exaltado de tais emigrantes levou um grupo de jihadistas Britânicos à notoriedade (e a prisão pelo governo), há alguns anos atrás, por comemorarem o ataque de 11 de Setembro se autodenominando Al- Muhajiroun: Os Emigrantes.

Oitocentos mil refugiados Muçulmanos em apenas um ano (2015). Isso transformará a Alemanha e a Europa, para sempre, sobrecarregando as economias de suas nações mais ricas e alterando a paisagem cultural para além do reconhecimento. No entanto, o debate público sério que precisa ser feito sobre esta crise é vaiado pelo nonsense vulgar: o Washington Post na Quarta-feira publicou uma peça inflamatória e irresponsável comparando aqueles preocupados com esse influxo Muçulmano maciço na Europa, com os Nazistas em 1930, prontos para incinerar Judeus aos milhões. A estrela de Hollywood Emma Thompson acusou as autoridades Britânicas de racismo por não terem recebido mais refugiados — como se as autoridades Britânicas ainda não tivessem feito o suficiente para destruir própria a nação.  Robert Spencer in FrontPage: The Hijrah Into Europe

“Talvez mais significativo, para a aplicação a longo prazo das finanças Islâmicas à economia real, é que os princípios de financiamento em conformidade com a Sharia estão muito alinhados com o investimento que a Europa precisa para construir uma recuperação econômica sustentável e inclusiva….. De acordo com um briefing do Banco Mundial, “as finanças Islâmicas são financiadas por ações, apoiadas por ativos, éticas, sustentáveis, ambientalmente e socialmente responsáveis. Promove a partilha de riscos, liga o sector financeiro à economia real e dá ênfase à inclusão financeira e ao bem-estar social.

No excerto acima, a única frase que condiz com a realidade do Oriente Médio é esta: “em conformidade com a Sharia”, o restante, ou seja, “investimento que a Europa precisa”, “liga o setor financeiro à economia real e dá ênfase à inclusão financeira e ao bem-estar social”, etc., qualquer pessoa lúcida é capaz de perceber que existe algo a mais nessa história.

Quero que Londres fique ao lado de Dubai e Kuala Lumpur como uma das grandes capitais das finanças Islâmicas em qualquer lugar do mundo” — David Cameron, Primeiro Ministro, Grã-Bretanha.

Mas os críticos dizem que as ambições Britânicas de atrair investimentos de países, empresas e indivíduos Muçulmanos estão estimulando o estabelecimento gradual de um sistema financeiro paralelo baseado na lei Islâmica da Sharia. O Tesouro também disse que algumas questões com relação ao ‘sukuk’, o bônus Islâmico, podem exigir que o governo restrinja seus negócios com empresas de propriedade Israelense para atrair dinheiro Muçulmano.  — Britain: “A World Capital for Islamic Finance”

Eis aqui realidade:

Alcorão 98:6 “Honestamente falando, aqueles que não creem (na religião Islâmica, no Alcorão e no Profeta Maomé/Muhammad) entre eles o Povo do Livro (Judeus e Cristãos) e demais descrentes, terão que aceitar o Fogo do Inferno. Eles são as piores criaturas”.

“Como as finanças Islâmicas estão ganhando um crescente reconhecimento global por seus altos padrões éticos e de governança, estão posicionadas idealmente para atender às crescentes demandas de oportunidades de investimento socialmente responsável (SRI). No contexto Europeu, não se trata apenas de investimentos que evitem sectores proscritos, como o álcool, as armas, os jogos de azar e o entretenimento para adultos. Muito mais significativo, hoje, é a força da demanda entre mutuários e investidores por estruturas de financiamento que lidam com a ameaça das mudanças climáticas e da degradação ambiental.”

No caso do Brasil, o ‘prefeitinho’ de São Paulo João Doria e o Governador de Goiás Marconi Perillo entre outros, em suas andanças pelos Emirados Árabes, sabem disso, entrentanto o que estamos vendo é: um peso, duas medidas.

Governador Marconi Perillo (PSDB) e o CEO da Caracal Internacional, Hamad Salem Al Ameri — Instalação de uma Indústria de armas dos Emirados Árabes em Goiás

O historiador, filósofo pioneiro e jurista teórico, Ibn Khaldun (1332-1406), observou em seu famoso “Muqaddimah”, a primeira obra de teoria histórica que: “Na comunidade Muçulmana, a guerra santa é um dever religioso por causa do universalismo da missão Muçulmana e (da obrigação de) converter a todos ao Islã ou pela persuasão ou pela força”.

“Muito mais significativo, hoje, é a força da demanda entre mutuários e investidores por estruturas de financiamento que abordam a ameaça das mudanças climáticas e da degradação ambiental.” — “Os bônus Islâmicos, ou os sukuks, já demonstraram suas credenciais como instrumentos de financiamento para iniciativas éticas.”

Se preocupam com as mudanças climáticas e a degradação ambiental. Meu Deus! O sujeito precisa ser um mega débil ou um mau caráter para não reconhecer o genocídio de Cristãos no Oriente Médio. Quantos Muçulmanos “moderados” levantaram a voz contra essa monstruosidade? Alguma passeata ou… ah, lembrei, a Linda Sarsour e a “Marcha da Mulher” contra o Trump” etc. Então tá…

“Em dezembro de 2014, por exemplo, o Mecanismo Internacional de Financiamento para Imunização (IFFIm), para o qual o Banco Mundial atua como gerente de tesouraria, lançou um sukuk (bônus Islâmico) (de US$ 500 milhões, cujos recursos foram utilizados para financiar projetos da Aliança Global para Vacinas e Imunização (GAVI)….

“Estamos dando a nossas crianças inocentes substâncias proibidas e substâncias químicas nocivas que destroem seus sistemas imunológicos naturais, causando doenças, sofrimento e morte. Todos os médicos e pais Muçulmanos devem estar cientes dos ingredientes da vacina e da eficácia falhada das vacinas. O dano é claramente maior do que o benefício. Chegou a hora de defender a verdade.” —Muslims and vaccines

“A Standard & Poor’s, que estima que os ativos Islâmicos globais valiam cerca de US$ 2,1 trilhões no final de 2015, acredita que os instrumentos financeiros em conformidade com a Sharia podem desempenhar um papel no cumprimento de alguns Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SDGs) A sua agenda de 2030 para o desenvolvimento sustentável define metas centradas nos cinco pilares das pessoas, do planeta, da prosperidade, da paz e da parceria.”  — “Olhando para as Nações Unidas SDGs e os princípios de finanças Islâmicas, consideramos que existem algumas semelhanças”.

As Nações Unidas, cá entre nós, e não conta pra ninguém, “santifica o mal” e “declarou guerra contra a civilização Judaico-Cristã” — Mídia Sem Máscara — A ONU declara guerra contra a civilização Judaico-Cristã

“Os dois primeiros SDGs têm como objetivo acabar com a pobreza em todas as formas, travar a fome, alcançar a segurança e alimentar o mundo.”  As formas Islâmicas de empréstimos concessionais como Qard Hassan (empréstimos de bem-estar), Zakat (um imposto sobre a riqueza usado para fins sociais) (Uma doação a instituições de caridade) poderiam ser utilizados em apoio a essas SDGs, embora possam ser mais aplicáveis às economias subdesenvolvidas do que à Europa.”  — “O potencial de financiamento da infra-estrutura em conformidade com a Sharia

Percebam que a linguagem usada pela Sharia nas finanças é a mesma usada no Alcorão etc. Como disse um Muçulmano em Londres numa entrevista: “Islã e Sharia são a mesma coisa.”

Aqueles que por ventura estão achando que eu exagero, expondo versos do Alcorão neste artigo, saibam que eu estou correto, pois é assim mesmo que eles pensam. E aqueles que negarem é porque estão aplicando a Taqiyya em você. Sabe o que isso significa?

Alcorão 3:28: “Que os fiéis não tomem por confidentes os incrédulos, em detrimento de outros fiéis. Aqueles que assim procedem, de maneira alguma terão o auxílio de Alá, salvo se for para vos precaverdes e vos resguardardes. Alá vos exorta a d´Ele vos lembrardes, porque para Ele será o retorno.”

Em outras palavras, você pode e deve mentir se for para alavancar o caminho ou a causa de Alá. O Irã se utiliza desse procedimento praticamente como norma. Veja como negociaram o acordo nuclear… e o “engraçado” é que ambos, Obama e Irã, usaram, usam e abusam da Taqiyya.

“Os sunitas afirmam que os xiitas negam adorar o (Imam) Ali porque estão envolvidos em falsidades (deception) deliberadas e religiosamente sancionadas: Taqiyya. (Imam Ali é considerado um Deus)

“Taqiyya é a nossa religião e a religião de nossos pais; aquele que não tem taqiyya, não tem religião ” — The Complete Infidel’s Guide to Iran por Robert Spencer, Diretor da Jihad Watch

A Sharia impõe, não se adapta, ela manda, exige e quer dominar o mundo. Não se engane sobre isso. Um exemplo da arrogância é o que aconteceu com o jornal satírico Charlie Hebdo. Os terroristas Islâmicos invadiram o território Frances para matá-los. A França não tem nenhuma lei que proíba você de desenhar um profeta no deserto. Resultado, a Sharia invadiu a França e deu no que deu.

A criação de gado em conformidade com a Sharia do Brasil é em si uma imposição da Sharia em território nacional. Significa de que a Sharia está atuando no Brasil, dando as ordens, acima da constituição Brasileira. Não é uma lei qualquer de um país, é a lei Islâmica, a Sharia, impondo as vontades do Islã, o “povo das necessidades especiais”, vide o Hijab em documentos oficiais como o passaporte Brasileiro etc. Isto é a Sharia.

O Barack Obama, — conhecido também como “Obozo” — não disse que “O futuro não pertence àqueles que difamam o profeta do Islã.”?

Outro exemplo — Reino Unido: Os Tribunais da Sharia operam além do alcance da lei Britânica e oprimem as mulheres — UK: Sharia courts operating beyond reach of British law and oppressing women

“É aceito que o financiamento em conformidade com a Sharia é totalmente compatível com os princípios das parcerias público-privadas (PPP) e elementos de mecanismos de financiamento tais como joint-ventures (Musharaka), estruturas de participação nos lucros (Mudharaba), financiamento com custo adicional (Murabaha) E leasing (Ijara) poderiam ser aplicados ao investimento em infra-estruturas sociais europeias.

Como diz uma amigo meu, “só coisinha boa”…  mas só para Muçulmanos, para quando converterem “a todos ao Islã ou pela persuasão ou pela força“.

Alcorão 5:33 
“O castigo, para aqueles que lutam 
contra Alá e contra o Seu Mensageiro 
e semeiam a corrupção na terra, 
é que sejam mortos, ou crucificados, 
ou lhes seja decepada a mão e o pé opostos, 
ou banidos...”

Na hipótese de um conflito armado no Brasil contra a jihad, não me surpreenderei se a empresa bélica em Goiás fornecer armamentos aos jihadistas. A regra dos números fala por si só, porque nenhum Muçulmano se atreverá a trair Alá e o seu Mensageiro Muhammad.

É por último, é óbvio, Sohail Jaffer é Partner e Chefe de Desenvolvimento de Negócios Internacionais para a “private label” bancassurance com o grupo FWU com sede em Dubai. 


 

 

TAMIMI: “Somos Muçulmanos Na Europa, E Não Muçulmanos Europeus”

Fonte/Source: Tamimi: “We are Muslims in Europe, not European Muslims”

TAMIMI: “Somos Muçulmanos Na Europa, E Não Muçulmanos Europeus”

Por Tião Cazeiro

24 de Março de 2017

Robert Spencer escreveu um artigo em Agosto de 2006 dizendo o seguinte:

“Me pergunto se os dhimmis das populações não-Muçulmanas da Eurábia entendem a diferença. Tamimi, o qual a duplicidade foi desmascarada, também reiterou seu apoio ao martírio suicida jihadista.”

Dr. Azzam Tamimi, um radical Muçulmano estacionado na Inglaterra, pareceu apoiar o atentado suicida de ontem, quando afirmou que morrer por suas crenças era “justo”. Tamimi disse, — diante de uma multidão de 8.000 pessoas na convenção ExpoIslamia em Manchester, — que defender seus princípios é o “maior ato de martírio”.

Tamimi, de 51 anos, afirmou que a guerra ao terrorismo era uma guerra contra o Islã. “Somos Muçulmanos na Europa, não Muçulmanos Europeus“, acrescentou. A multidão irrompeu em urros e aplausos quando disse que Israel havia sido derrotado pelo Hezbollah. ” [Ênfase adicionada]

Enquanto isso…

O ‘prefeitinho’ Muçulmano de Londres, Sadiq Khan, cria força tarefa para prender todos aqueles que “irritam” os Muçulmanos online. Muçulmanos são obcecados em calar qualquer crítica ao Islã, o que na verdade é uma das táticas para impor a Sharia em novas terras…

O site do Conservativehome lista outras preocupações (com relação ao prefeitinho), incluindo:

  • Em carta ao The Guardian na sequência dos atentados terroristas de 7/7 em Londres, culpa o governo Britânico pelo terrorismo;
  • Sua defesa legal de Zacarias Moussaoui, um terrorista do 11 de Setembro que confessou ser membro da Al Qaeda;
  • Seu capítulo num livro, intitulado “Ações contra a Polícia”, aconselhando sobre como fazer acusações contra a polícia por “racismo”. A mesma força policial que o Sr. Khan como prefeito de Londres iria exercer autoridade;
  • Sua defesa do extremista Islâmico Azzam Tamimi. Quando o Dr. Tamimi disse à multidão que a publicação de caricaturas do Profeta Muhammed “faria o mundo tremer” e previu “Fogo … em todo o mundo se não pararem”, Sr. Khan, que compartilhou uma plataforma com Tamimi descartou as ameaças como “linguagem florida”;
  • Sua plataforma compartilhada com Suliman Gani, um Imã do sul de Londres, que exigiu subserviência feminina aos homens, e pediu a fundação de um Estado Islâmico.

Completando o raciocício…

“O terrorista Islâmico que atacou Westminster na Quarta-feira era um Muçulmano convertido que possivelmente foi radicalizado na prisão; tinha vivido em várias áreas do Reino Unido, e era conhecido por atividade Islâmica radical.

khalid Masood, 52, passou algum tempo em Birmingham, East London e em Luton, antes de assassinar quatro pessoas no centro de Londres. Depois de morto a tiros, o Estado Islâmico (ISIS) o descreveu como um de seus “soldados”. — Westminster Killer was Muslim Convert, Lived in Several Extremism Hotspots

O padrão utilizado pelo terrorista é o mesmo que estamos vendo ao redor do mundo, ou seja, atropelamento, faca, locais públicos de alta visibilidade etc.

Entretanto, o colunista da BBC Simons Jenkins, criticou o posicionamento da mídia neste vídeo, infelizmente não legendado em Português.

“A BBC fez uma escolha, deram preferência ao terrorista”. O colunista Simon Jenkins critica a cobertura dada ao ataque pela mídia.

A cada dia que passa a BBC deixa claro um firme compromisso com a subserviência e a desinformação.

Nesse vídeo, o colunista Simon Jenkins afirma que dar proeminência aos terroristas ajuda e complica ainda mais a situação, e que o incidente deveria ser tratado com um crime e não como terrorismo. Compara o incidente com os atentados do IRA, PLO etc.; diz que Masood “era um doido, que enlouqueceu e pegou uma faca” etc., um caso como outros que acontecem em Londres e em outros lugares….

Sério? Simon Jenkins realmente vive num outro planeta.  Sem ofensa, mas por trás desse raciocínio, se puxarmos a linha, encontraremos camadas e camadas de comprometimento político, os quais estão propositalmente deixando a população Britânica completamente indefesa, o que acarretará em mais mortes, em mais terrorismo ao longo dos anos.

Jenkins assume a postura de que é melhor não irritar para não aumentar…  e isto é covardia, isto é desinformação, isto é não querer enchergar a realidade, ou seja, a jihad global. Estamos em guerra e a jihad não vai parar, irritando ou não, com ou sem medo.

Duas “detenções significativas” feitas durante a noite associadas aos assassinatos da jihad em Londres

24 de Março de 2017 —  Por Robert Spencer — Two “significant arrests” made overnight in association with London jihad murders

“O nome de nascimento do perpetrador do atentado terrorista de Quarta-feira no centro de Londres é Adrian Russell Ajao, disse o mais antigo policial Britânico de contraterrorismo.

Nove pessoas permanecem sob custódia e uma mulher foi libertada sob fiança”.  Este parece ter sido um enredo de grande escala. E mais em andamento.

Uma mulher de 39 anos foi presa em um endereço na noite de Quinta-feira em East London, sob suspeita de preparação de atos terroristas, disse a polícia. Uma mulher, que não foi nomeada, está sob custódia da Polícia e da Evidência Criminal (PACE).

Seis pessoas  — duas mulheres e quatro homens, com idades variando de 21 a 28 — foram presas em dois endereços em Birmingham, uma cidade no centro da Inglaterra. Os seis também foram mantidos sob suspeita de preparação de atos terroristas.

Outro homem, 58, também foi preso sexta-feira pela manhã em outro endereço em Birmingham, e realizado sob a mesma acusação ….”

Óbvio que a polícia não está inventando esses dados, portanto não se trata aqui de “um doido, que enlouqueceu e pegou uma faca etc.” como quer acreditar o colunista Simon Junkins. Estamos vendo os ingredientes de um ataque orquestrado.

E mais…

Repórter da NBC teme que o ataque jihadista em Londres venha “pôr vento nas velas” do “movimento de direita”.

23 de Março de 2017 — Por Robert Spencer

“Os meios de comunicação do establishment não estão preocupados com os ataques terroristas jihadistas no Ocidente. O establishment não está preocupado com as pessoas mortas nos massacres da jihad. Os meios de comunicação do establishment só querem que você não pense mal do Islã e para não começar a apoiar os “movimentos de direita” que ameaçam a hegemonia das elites políticas.” — NBC reporter fears London jihad attack will “put wind in the sails” of the “right-wing movement”

Conclusão…

“De acordo com a Primeira Ministra Theresa May, o terrorista de Westminster Khalid Masood era uma “figura periférica”, e aparentemente há muitos outros Muçulmanos na Grã-Bretanha que são ainda mais violentos e perturbados do que Khalid Masood, e por isso não havia nenhuma questão de mantê-lo sob vigilância.

Esse é o plano do Estado Islâmico (ISIS) para subjugar a aplicação da lei, com muitos ataques e complôs até que o sistema inteiro entre em colapso. Parece que este plano está funcionando bem no Reino Unido.” — Robert Spencer.

Khalid Masood converteu-se ao Islamismo, e portanto, do ponto de vista de Tamimi, deixou de ser um cidadão Britânico.

Somos Muçulmanos na Europa, não Muçulmanos Europeus

Dito pelo Dr. Azzam Tamimi diante de 8.000 pessoas na convenção ExpoIslamia em Manchester, com direito a urros e aplausos frenéticos.

Portanto, Masood era um Muçulmano no Reino Unido e não um Muçulmano Britânico, de acordo com Tamimi.

Criticar a mídia pela enorme cobertura que deu a um suposto — crime comum perpetrado por um cidadão Britânico — demonstra o quanto, uma parte da mídia, desinforma.

Ideias têm consequencias.


 

ALLAHU AKBAR EM WESTMINSTER

Allahu Akbar em Westminster

Por Tião Cazeiro

22 de Março de 2017

O ISLÃ ESTÁ ANTAGONIZANDO O MUNDO TODO!

O que falta para o povo Brasileiro dar um basta definitivo neste governo que está cruelmente abrindo as portas para o impensável?

Notícias como esta — Muçulmanos Devotos E Apoiadores Do Estado Islâmico (ISIS) Celebram Ataque Terrorista Em Londres — deveria sensibilizar o governo, principalmente um governo que tem em seu território 175 milhões de Cristãos entre outros grupos religiosos, ou seja, o segundo maior país Cristão do mundo.

E não me venha com Cruzadas ou Inquisição, pois isto não cabe mais no mundo atual.

A penetração Islâmica no tecido Ocidental chegou a um ponto que até — “mães na Pensilvânia estão produzindo acessórios Barbie-Hijab para “criar uma geração amável”.

O Islã está em guerra contra o mundo para impor a lei Sharia, algo que “todo mundo” já sabe. Agora, se você levantar a voz para criticar o Islã, a esquerda, a globalização etc. será enquadrado, de acordo com a maldita ONU, no “discurso de ódio“, “RACISMO“, “contra os direitos de alguém“. Só não dizem quem estão defendendo.

Veja o Brasil, basta olhar em volta para perceber o que estão fazendo com este país. Tudo orquestrado. Tudo pronto pra você viver no INFERNO, e quem sabe se tornar um DHIMMI. Por acaso você sabe o que é um Dhimmi? Sempre faço esta pergunta, e poucos respondem.

Estão bombardeando o mundo, mas você não pode criticar o agente dos bombardeios. Sim, nada a ver com o Islã, diz a grande inimídia.

Você é obrigado todos os dias a engolir a maldita esquerda, o globalismo, progressistas, feministas etc, mas ai de você se abrir a boca para falar do “povo das necessidades especiais”.


Nações Unidas: Regulando o discurso de “ódio” e não um ataque à liberdade de expressão.

As Nações Unidas marcaram o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial na Terça-feira, dizendo aos governos ao redor do mundo que a regulação do “discurso de ódio” é parte da estratégia necessária para “defender os direitos de alguém“.


O ISLÃ NÃO É UMA RAÇA, É UMA IDEOLOGIA.


Para quem não o conhece, Tommy Robinson é um super ativista contra a Islamização.
Muito corajoso e já se machucou feio a ponto de ser hospitalizado quando foi atacado por Muçulmanos.
Ele é um dos líderes do grupo PEGIDA/UK. (Patriotas Europeus Contra a Islamização do Ocidente).

Neste protesto em vídeo, foi chamado de Nazista, Fascista, Islamofóbico, RACISTA e muito mais…
Resumindo, a polícia o tirou da passeata para evitar violência por parte dos anti-Islamofóbicos…
Essa é a mentalidade de merda da esquerda em Londres, e em toda parte, melhor dizendo.
O atentado de hoje em Westminster não vai mudar em nada, não irão desistir dessa insanidade.

Este vídeo, ainda sem legenda em Português diz muito. Assista, não se preocupe com o Inglês. Eis aqui um resumo só para dar uma ideia. As imagens dizem muito mais…

Tommy Robinson diz que no ano passado foram desarticulados pela polícia 12 atentados em Londres envolvendo supermercado, boate, avião etc., do mesmo porte que esse que aconteceu hoje em Westminster. Acusa o atentado de hoje como autoria do Estado Islâmico (ISIS)…

Tommy Robinson vem alertando a Inglaterra sobre este terrorista, Abu Izzadeen, por mais de uma década.

Nota: Até o momento em que escrevi este artigo a imprensa mundial dizia que Abu Izzadeen era o autor do atentado em Westminster. O blog Lei Islâmica em Ação colaborou com este artigo atualizando o nome do terrorista: Masood, 52anos, nascido em Kent, Inglaterra. Veja a reação dele no fim do vídeo….

 

No Sábado passado, Tommy Robinson participou da passeata anti-Islamofobia em Londres e olha no que deu…

A polícia o retirou da passeata… ele só queria entrevistar o público.

Estou mostrando isto a vocês porque vai acontecer aqui em breve. O padrão Muçulmano é o mesmo e não existe outra alternativa.

O Brasil vai pagar pela estupidez. A velocidade com que estão orquestrando a penetração Islâmica no Brasil não deixa dúvida, quando o país acordar será tarde demais.

175 milhões de Cristãos (Católicos, Evangélicos etc.) e nenhuma reação realmente significativa. Por quê?

Não é bola de cristal, é pura lógica, estudo e common sense.

Já cruzamos a linha vermelha. Infelizmente!


E por último, leia isto…

Reino Unido: terrorista “Asiático” atropela pedestres com  carro antes de correr para o Parlamento com uma faca. — UK: “Asian” attacker crashed into pedestrians in his car before running into Parliament with knife

“Asiático” é o eufemismo da mídia Britânica para Muçulmano.

O “Moderado” Fatah pediu tais ataques. E o Estado Islâmico emitiu esse apelo em Setembro de 2014:

“Então, ó muwahhid, não deixe que essa batalha passe por onde quer que você esteja. Você deve atacar os soldados, patronos e soldados do tawaghit. Golpeie seus membros da polícia, da segurança, e da inteligência, assim como seus agentes traiçoeiros. Destrua suas camas. Amargure a vida deles e ocupe-os com eles mesmos. Se você pode matar um Americano ou um Europeu incrédulo — especialmente o Francês rancoroso e sujo — ou um Australiano, ou um Canadense, ou qualquer outro descrente dos descrentes que fazem a guerra, incluindo os cidadãos dos países que entraram numa coalizão contra o Estado Islâmico, então confie em Alá e mate-os de qualquer jeito ou maneira, no entanto, pode ser… se você não for capaz de encontrar um IED ou uma bala, então escolha um Americano descrente, um Francês, ou qualquer um dos seus aliados. Golpeie a cabeça dele com uma pedra, ou mate-o com uma faca, ou o atropele com o seu carro, ou jogue-o de um lugar alto, ou sufoque, envenene…”


IRÃ: AUMENTO ALARMANTE DE ATAQUES COM ÁCIDO CONTRA MULHERES QUE NÃO ESTÃO ADEQUADAMENTE VESTIDAS COM VÉU

Fonte/Source Iran: Alarming rise in acid attacks against women who are not properly veiled


IRÃ: AUMENTO ALARMANTE DE ATAQUES COM ÁCIDO CONTRA MULHERES QUE NÃO ESTÃO ADEQUADAMENTE VESTIDAS COM VÉU

Por ROBERT SPENCER

20 de Março de 2017

Mulheres que não estão usando o véu/hijab adequadamente: uma indignação, uma provocação.

Encharcando mulheres com ácido por não estarem usando o véu/hijab devidamente: agradando Alá.

“Taxas Alarmantes De Ataques Com Ácido No Irã Estão Em Ascensão”, Al Arabiya, 20 de Março de 2017:

Depois de quase um ano de calma, o encharque de pessoas com ácido abrasivo retornou ao Irã, onde uma família de quatro pessoas foi atacada no Sábado em Sharada, na província de Isfahan, o principal destino turístico do Irã.

No mês passado, pessoas não identificadas também atacaram duas mulheres em Maashour, dentro da província de Ahwaz, de acordo com agências de notícias Iranianas.

O Investigador Chefe de Polícia de Isfahan, Sitar Khasraoui, disse em nota à imprensa que as famílias foram levadas ao hospital para o trato de queimaduras. A família composta por pai, 53, mãe, 48, filho, 23, e a filha, 20. Ambos os pais estão em condição crítica…

Relatos nas redes sociais alegaram que as vítimas foram encharcadas no rosto e no corpo porque não estavam devidamente cobertas com o véu/hijab. Foram alvo de assaltantes em motocicletas.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Erdogan: A Decisão Da UE Sobre A Proibição Do Véu/Hijab Dá Início Ao “Choque Entre O Islã E O Cristianismo”

Fonte/Source: Erdogan: EU ruling on headscarf bans starts “clash between Islam and Christianity”


Por Tião Cazeiro

Em vária ocasiões, este blog entre outros, comentamos sobre o significado do hijab e os problemas que o mesmo acarreta aos países que permitem o uso indiscriminado e a sua inserção por exemplo, em documentos oficiais como a CNH, Passaporte etc.

Afinal o Islã é o povo das necessidades especiais, não é mesmo? Existe uma razão nisso, chama-se Sharia, a lei do Islã.

Recomento estes tres artigos:

  1. Opressão Chique: Nike Oferece “Pro Hijab” Atlético Para Muçulmanas
  2. O Hijab e a Sharia
  3. Lei Islâmica (Sharia) — Link do excelente blog “Lei Islâmica em Ação

O artigo que segue, apresenta o hijab/véu como o stopim de um conflito que pode ter consequências inimagináveis, ou seja, o “Choque Entre o Islã e o Cristianismo“, onde milhares de pessoas poderão ser massacradas por conta da maldita ignorância.

Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas…” Sun Tzu


Erdogan: A Decisão Da UE Sobre A Proibição Do Véu/Hijab Dá Início Ao “Choque Entre O Islã E O Cristianismo”

Por CHRISTINE WILLIAMS

18 de Março de 2017

Erdogan ainda está furioso com “o cancelamento das manifestações de seus partidários em toda a Europa“. Ele nunca permitirá desafios à sua própria autoridade em seu próprio país, mas é claro que ele não tem respeito pela Europa. Até porque a Europa não tem respeito por si mesma, e aparentemente não tem interesse em defender sua própria cultura e proteger seu próprio povo.

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, também declarou que “as guerras santas começarão em breve” na Europa, apesar da derrota Geert Wilders na Holanda. Esta declaração ameaçadora não deve ser surpresa. A Islamização da Turquia vem se acelerando num ritmo alarmante em todos os níveis, da liderança aos cidadãos.

A Europa, por outro lado, acolheu passivamente a jihad pela imigração (hijrah) em seus países, tudo em nome da diversidade e do multiculturalismo. Quanto mais “acolhedor” o Ocidente é, mais encorajados os supremacistas Islâmicos e os jihadistas se tornam. Seu objetivo é a conquista da Casa da Guerra (dar al-harb), não a coexistência pacífica. Os Europeus são os culpados pelo atrevimento dos líderes supremacistas da Turquia.

“Recep Tayyip Erdogan: A Decisão Da UE Sobre A Proibição Do Véu/Hijab Dá Início Ao “Choque Entre O Islã E O Cristianismo”, Lizzie Dearden, Independent, 16 de março de 2017:

Recep Tayyip Erdogan acusou a Europa de dar início ao “choque” entre Cristianismo e Islamismo com uma decisão que permite aos empregadores proibirem o véu/hijab como parte de restrições mais amplas sobre símbolos religiosos e políticos.

Falando horas depois que seu ministro das Relações Exteriores alertou que as “guerras santas começarão em breve“, o Presidente Turco lançou um novo ataque em meio a uma disputa em curso sobre o cancelamento dos comícios de seus adeptos em toda a Europa.

Disse que a decisão do Tribunal Europeu de Justiça que confirmou a demissão de duas mulheres Muçulmanas que se recusaram a remover seus hijabs deu início ao “choque entre o crescente e a cruz” na terminologia alusiva às Cruzadas.

A EU é uma vergonha. É o fim de seus princípios, valores e justiça Europeus,” Disse Erdogan aos que o apoiam em Sakarya. “Eles começaram um choque entre a cruz e o crescente, não há outra explicação.”

Num discurso combativo, Erdogan atingiu líderes Europeus na Holanda e na Alemanha, depois que os ministros Turcos foram impedidos de realizar eventos destinados a obter apoio antes do referendo constitucional.

O Presidente Turco disse que o Primeiro-Ministro Holandês Mark Rutte, que derrotou o líder de extrema direita Geert Wilders nas eleições gerais de Quarta-feira, perdeu a amizade de Ankara ao proibir a campanha política Turca no país.

A disputa se intensificou desde que uma manifestação a ser realizada pelo ministro das Relações Exteriores Turco, Mevlut Cavusoglu, em Roterdã, foi cancelada no Sábado.

 

As autoridades Holandesas retiraram a permissão para que o avião do ministro das Relações Exteriores aterrissasse quando prometeu visitar o país de qualquer maneira, provocando uma série de sanções tit-for-tat (olho por olho).

Erdogan e ministros proeminentes chamaram o governo Holandês de “fascistas” e “nazistas“, enquanto líderes da UE chamaram as acusações de ofensivas e “desapegadas da realidade“.

A disputa provocou protestos na Turquia e em toda a Europa. Um manifestante escalou o consulado Holandês em Istambul e substituiu a bandeira nacional pela bandeira Turca durante manifestações no Domingo, enquanto os manifestantes Turcos foram fotografados apunhalando laranjas e mostrando cartazes dizendo “Holanda Facista“.

Ancara também interrompeu conversas de alto nível com funcionários do governo Holandês na Segunda-feira e fechou seu espaço aéreo aos diplomatas do país, enquanto repetia ameaças para fechar um acordo com a UE no ano passado para retardar o fluxo de refugiados para a Grécia.

Os aliados do presidente Turco visam mais de um milhão de eleitores Turcos que vivem na Europa, que serão elegíveis para votar no dia 16 de Abril.

O referendo pode ver o sistema parlamentar da Turquia substituído por uma presidência executiva usando as emendas constitucionais, os quais vêm alarmado os grupos de direitos humanos…

KASHMIR: IMÃ JIHADISTA ASSASSINADO, 70.000 PESSOAS COMPARECEM AO FUNERAL

Fonte/Source: Kashmir: Jihadi imam killed, 70,000 people attend his funeral


KASHMIR: IMÃ JIHADISTA ASSASSINADO, 70.000 PESSOAS COMPARECEM AO FUNERAL

Por ROBERT SPENCER

17 de Março de 2017

Você acha que qualquer um dos “reformadores Muçulmanos” que desfruta da lisonja e adulação dos ignorantes e esperançosos nos EUA terá 70.000 Muçulmanos presente em seu funeral? Nem eu. Mas agora é oficialmente uma falha moral por parte dos não-Muçulmanos comentar o fato de que “extremistas” são muito mais populares entre os Muçulmanos em todo o mundo do que os “reformadores”. Não devemos pensar assim, e se o fizermos, isto nos torna jihadistas.

Enquanto isso, como esse imã, — que dedicou sua vida à compreensão correta do Islã, —pôde tornar-se um líder da jihad? Como pôde compreender tão mal os ensinamentos verdadeiros e pacíficos do Alcorão, que são tão claros para o Papa Francisco e John Kerry e George W. Bush e uma miríade de outros Mulás instruídos?

O Militante Que Era Um Imã“, de Owais Farooqi, Kashmir Monitor, 11 de Março de 2017:

Bandipora: Mushtaq, militante do Hizbul Mujahideen morto em Bandipora na Quinta-feira, era um imã de uma mesquita local em Hathlangoo, Sopore, até Setembro de 2014, quando acreditava-se que tinha se afogado nas inundações. Seu pai, Sher-Dil Seer, ficou tão surpreso com a notícia do assassinato de seu filho mais velho nas mãos das forças governamentais, que demorou 15 minutos para reconhecer sua face: amolecida, de aparência desagradável e sem a barba comprida.

“Pensamos que ele estivesse morto. Mas continuamos procurando em todos os lugares“, disse Sher-Dil, um dia depois da morte de seu filho.

Nunca cruzou a mente de Sher-Dil que seu filho pudesse ter se juntado à militância. Tudo o que sabia era que Mushtaq fora acusado pelas forças governamentais de pregar sermões provocativos na mesquita quando liderava as orações. Ao mesmo tempo, Mushtaq foi levado pela polícia SOG (Special Operation Group) sob a acusação de pregar sermões provocativos na mesquita de Hathlangoo.

“Ele foi esbofeteado e mantido por cerca de 15 dias no campo SOG. O DySP (vice-superintendente de polícia) da SOG disse naquele momento que Mushtaq era um menino que não podia ser um encrenqueiro”, disse Sher-Dil.

Antes de ser preso pelo SOG, Mushtaq havia cumprido cinco anos de prisão. Foi acusado de matar sua esposa após dois meses de casado em 2008. “Ele foi absolvido pelo tribunal de todas as acusações”, disse Sher-Dil sobre esse caso.

“Após a sua libertação da prisão em 2013, Mushtaq tornou-se um homem religioso. Cresceu uma longa barba. Liderava as orações até mesmo na prisão”, disse Sher-Dil.

Depois de sair da prisão, Mushtaq se tornou um Imã e conduziu as orações na mesquita de Hathlangoo.

“Depois do incidente da SOG, quando voltei para casa, tive uma discussão muito forte com Mushtaq. Disse a ele para não dizer coisas que não soariam bem com as forças do governo. Foi um argumento muito acalorado. Depois dessa discussão, ele saiu de casa, para sempre”, disse Sher-Dil. “Ele disse à mãe que iria para Srinagar e que conduziria as orações.” …

Parentes e vizinhos vieram para consolar Sher-Dil e disseram que Mushtaq tinha “alcançado o lugar mais alto no céu”. Para isso, Sher-Dil respondeu: “Deixe-me tirar isso do meu peito: até mesmo o Alcorão diz que matar um ser humano é matar a humanidade. Me chame do que quiser… ”

Então Sher-Dil disse em um sussurro, “Você sabe que setenta mil pessoas compareceram ao funeral dele.”…


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

Ataque Com Ácido: Oculto e em Ascensão

Photo/Cover Credit: 10 Of The Tallest Lord Shiva Statues In Sitting Posture

Ataque Com Ácido: Oculto e em Ascensão

Por Tião Cazeiro

16 de Março de 2017

Localizada nos arredores da cidade de Bangalore, logo atrás do Forte Kemp, o Kemp Fort Shiva é conhecido como as seis maiores estátuas Shiva do mundo com 20 metros de altura.

Robert Spencer da Jihad Watch comentou recentemente que “Donald Trump diz que os meios de comunicação não relatam os ataques terroristas, e a mídia diz que a equipe do Trump os inventa”.

Então vamos dar uma volta…

—  “1500 Ataques Com Ácido Foram Registrados Em Londres Desde 2011”. — 1,500 acid attacks have been recorded in London since 2011

De acordo com o artigo:

“De acordo com Tareq Haddad do International Business Times, “Globalmente, cerca de 80% das vítimas tendem a ser mulheres.

Os ataques são frequentemente realizados por homens vingativos que tiveram suas propostas de casamento ou avanços sexuais rejeitados. [Ênfase adicionada].

No entanto, as instituições de caridade para ataques com ácido no Reino Unido estimam que as vítimas Britânicas são predominantemente homens em cerca de 71% das vítimas.”

— “Ataques Com Ácido No Reino Unido: Escondido à Vista de Todos e em Ascensão” — UK Acid Attacks: Hidden From View and on the Rise

“Não há dados holísticos definitivos que correspondam. Os relatórios policiais são provavelmente os mais próximos que temos para compreender o número de ataques com ácido relatados no Reino Unido”, disse Shah ao Sputnik.

— “Ácido Atirado Em Quatro Pessoas Em Uma Série De Ataques Durante A Luz Do Dia Em Canterbury City Centre – Londres” — ‘Acid’ thrown at four people in series of attacks during broad daylight

“Serviços de emergência disseram que quatro pessoas foram atacadas por um produto químico letal em dois locais diferentes em Canterbury por volta das 16h.

A polícia de Kent prendeu um garoto de 17 anos de Londres suspeito pela agressão.”

Nota: Isso é praticamente tudo que o artigo revela. Entretanto, você poderá observar acessando o link acima para ver que inseriram um slide com fotos de “Sobreviventes de Ácido da Índia” —  é importante conferir — dizendo o seguinte:

“Express Pictures relata sobre a crescente preocupação da tendência crescente da violência com ácido na Índia. A violência com ácido é uma forma de violência de gênero que reflete e perpetua a desigualdade das mulheres na sociedade”

Nota: Isso é uma estupidez total. Jogam todo o peso na Índia para não falar do que está acontecendo na Inglaterra. Envolve tudo num pacote  para falar da “desigualdade das mulheres na sociedade”. O que precisa ser dito não se atrevem a dizer.

Vamos em frente, e vocês vão entender…

— “Ataque De Ácido Deixa Vítima Em Coma “Gritou E Tirou As Roupas Antes De Correr Pela Rua Implorando Por Água” – Acid attack victim left in coma ‘screamed and pulled off his clothes in street’ http://buff.ly/2m4Z3ua

“Isso levou dias até a polícia local e o conselho prometerem uma “blitz” sobre ao crime juvenil depois de um recente ataque de líquidos nocivos.” [Ênfase adicionada].

Nota: Perceba aqui que a covardia é tanta que acaba afetando os jovens Ingleses pois estão automaticamente inseridos quando generalizam o crime como crime juvenil. Imagina se isso acontecesse no seu bairro e de repente o seu filho fosse enquadrado nessa generalização injusta. Como você se sentiria?

— “Ataque De Ácido Na Capital Da Grã-Bretanha (Londres) Revela Que O Número Assaltos Com Líquidos Corrosivos Decola” — ‘Acid attack capital of Britain’ revealed 

“Os números foram revelados a pedido do Freedom of Information à Polícia (Met), que disse que estatísticas mostram ofensas em que “fluidos corrosivos” foram lançados com “intenção de causar danos corporais graves” ou “causar uma explosão”.

Nota: Mais uma maldita vez, em que ninguém menciona o nome do maldito inimigo. PQP!!!

— “Ataques De Ácido Foram Uma Mancha Na Grã-Bretanha Vitoriana. Agora Estão Voltando” Por Ian Jack. — Acid attacks were a stain on Victorian Britain. Now they are returning | By Ian Jack 

Nota: Eis aqui um caso especial.  Você pode desenhar, explicar, mostrar a lógica dos fatos, mas Ian Jack, o autor deste artigo, vai contar de tal forma que o nome do inimigo será diluído a tal ponto que você vai acabar condenando o povo Britânico, o Patriarquismo, Opressão Masculina, Feudalismo etc.  pelos atentados com ácido. Veja o que ele diz: “Uma ironia final, assustadora é esta. A Grã-Bretanha, o país que mais ou menos inventou o ácido sulfúrico, tem agora uma incidência crescente de violência ácida que, de acordo com Jaf Shah, da Acid Survivors Trust International, de Londres, pode dar-lhe uma das maiores taxas per capita do mundo.”

Entenderam? E ainda diz mais: “Registros oficiais coletados desde 2010 não incluem a etnia da maioria dos perpetradores e vítimas, mas dizem que a maioria são homens. Daqueles cuja etnia foi registrada, a maioria era branca. A selvageria não conhece fronteiras culturais.”

Esse alucinado esconde, ou realmente não sabe, — embora com registros válidos, porém históricos e não estatísticos, com um número absolutamente inferior ao que estamos vendo, — todo um movimento ao redor do mundo a esse respeito.  Adoraria ver essa estatística que ele menciona. —“Daqueles cuja etnia foi registrada, a maioria era branca.” — E os outros?

Quando cita — “as nações com os mais altos níveis registrados incluem a Colômbia, Uganda, Afeganistão, Índia, Paquistão, Bangladesh e Nepal, com os países do sul da Ásia, em particular, produzindo imagens inesquecíveis de mulheres desfiguradas que foram atacadas com ácido porque rejeitaram os avanços sexuais ou propostas de casamento, ou despertou o ciúme, ou de alguma forma incomodou o patriarcado e despertou sua ira”  [ênfase adicionada] — o faz de forma tão doentia e mal informada que prova o quanto a esquerda precisa ser condenada e expulsa da vida pública para sempre. Ian Jack tinha que escrever para o The Guardian, este é o seu lugar. Neste ponto esse imbecil está correto.

Quando ele cita um episódio macabro na Índia, o faz de tal forma que deixa no ar uma imagem de que a Índia toda prescreve o dito. Isto é um insulto a um país que outrora foi riquíssimo e culturalmente sofisticado, mas detonado pelo Islã. Por conseguinte, ou por força das circustâncias, muitos Hindus se converteram ao Islamismo, sem contar com os milhões de Muçulmanos de outros lugares. Portanto, associar um episódio macabro a toda Índia mostra claramente como a esquerda é venenosa, cruel e covarde, profundamente covarde.

Isso é estupidez absoluta e falta de abrangência cultural. A Inglaterra tem um passado extremamente sombrio com a índia e a Índia hoje em dia corre atrás, com dignidade, para mostrar ao mundo o que fizeram com ela, como ela era antes, e como ficou depois do maior genocídio da história por conta da invasão Islâmica.

Acusar, generalizar, os Indianos de estupro e ataque com ácido é estupidez. Isso precisa ser visto dentro de um contexto e analisado para realmente ver o que está por trás. Hindus convertidos ao Islamismo estão sendo descritos em artigos de alta qualidade para mostrar a influência nefasta que o Islã trouxe a essa grande civilização. Esse tipo de violência nunca fez parte da cultura primordial da Índia e só um boçal desse tipo poderia manchar a imagem já tão massacrada de um povo maravilhoso.

Os Cristãos por outro lado, — e não estou aqui falando de violência Cristã contra os Hindus, — precisam ler o que os Hindus estão falando sobre a Cristianização da Índia. A ideia de alterar os costumes e crenças de uma nação como a Índia, mesmo que de forma pacífica, não dará bons frutos na moderna Índia.

— “Ataques Com Ácido, o Outro Lado Da Índia” — Ataques com ácido, o outro lado da Índia

Nota:  Acabei de falar sobre a Índia… Veja o que este artigo diz:

“Os motivos por detrás de uma prática tão monstruosa são difíceis de compreender. A razão é geralmente trivial, motivada por uma ofensa ao orgulho do criminoso. Desde pequenas discussões do dia-a-dia a dramas amorosos, quase tudo serve.”

E mais,

“Desafiando os convencionais padrões de beleza, o fotógrafo Rahul Saharan, em parceria com a Stop Acid Attacks (uma organização que procurar criar uma maior consciencialização para a situação das vítimas desses ataques)”.

Alguém que tenha juízo deve estar pensando: que diabos a Stop Acid Attacks está fazendo que não descreve a situação de forma realista… esse é o papel dela, ao invés disso, promove fotografia, aparece na mídia, recebe algum cascalho das organizações governamentais ou não, enfim… é um absurdo total. Resultado prático é esse título ridículo, “… o outro lado da Índia”. Bagunça com a imagem da Índia sem saber o que está realmente acontecendo.

Isso é o mesmo que o Iraniano Reza Aslam, “o queridinho…” faz, “o Darling” da mídia internacional, que fala um monte de merda, ganha um monte de dinheiro e vai pra Índia em parceria com a CNN pra comer cérebro humano e aí transmite para o mundo a ideia esdrúxula de que a Índia toda como cérebro humano. Ora, vá pra pqp! — CNN’s Reza Aslan Faces Backlash After Eating Part of a Human Brain

— “Polícia investiga ataques com ácido em Berlim” — Polícia investiga ataques com ácido em Berlim

“Esse foi o quinto caso de ataque com ácido na capital alemã desde dezembro. Em 12 de janeiro, um ciclista jogou um líquido contra uma mulher que caminhava por volta das 23h no bairro de Prenzlauer Berg. O suspeito fugiu em seguida.”

Entenderam? Ninguém fala realmente o que deve ser dito.

Vamos então navegar outros mares:
Shiva Statue at Jabalpur
Com 23 metros de altura, a estátua de Shiva na cidade de Kachnar é uma das mais altas da Índia.

— “Paquistão: Três Hindus feridos em ataques com ácido por celebrarem Holi” — Pakistan: Three Hindus injured in acid attack for celebrating Holi

Os Muçulmanos de Karachi acreditam que o atacante era Hindu“, mas isso é extraordinariamente improvável. Holi é uma festa Hindu durante a qual as pessoas jogam corantes coloridos sobre o outro. É uma ocasião alegre e festiva, e enquanto isso possa ter sido obra de algum Hindu amargurado, “o incidente com ácido tem a ver com a queima de um templo Hindu e um escritório comunitário no distrito de Larkana no sul, no Domingo, por multidões irritadas protestando contra uma alegada queima de um Alcorão por um Hindu.” Essas turbas eram, é claro, Muçulmanas, e sua raiva ainda está irradiando calor. Além disso, dadas as ocasiões em que fanáticos supremacistas Islâmicos no Paquistão lançaram ácido em mulheres que consideram desobedientes, parecem ser os suspeitos mais prováveis.”

— “Índia: Multidão Incendia Mesquita Após Ataque De Ácido” — India: Mob Torches Mosques After Acid Attack

“MANDI – Uma multidão irritada incendiou duas Mesquitas na cidade nesta noite depois que um homem jogou uma garrafa de ácido em passageiros de um ônibus privado, ferindo gravemente pelo menos 11 pessoas, incluindo uma criança de cinco anos.

A polícia prendeu mais tarde o culpado, Mohammad Mahboob, de Muzzafarnagar em Uttar Pradesh. Ele teria confessado o crime.”

— “Paquistão: Supremacistas Islâmicos Atacam Sete Mulheres Com Ácido Em Dois Dias — Um “Merecia Que Seu Rosto Fosse Arruinado Porque Ela Não Tinha Coberto A Cabeça”  — Pakistan: Islamic supremacists attack seven women with acid in two days — one “deserved for her face to be ruined because she had not covered her head”

“Ambos os rapazes vão para a mesma faculdade que eu e estavam me agredindo com palavras por não estar usando uma dupatta (véu ) na minha cabeça. Eles tentaram me pegar e quando eu gritei eles me atacaram com ácido”, disse Tayyiba aos policiais antes de ser internada no hospital. “Ela disse que os dois homens haviam dito que ela merecia que seu rosto fosse arruinado porque não tinha coberto a cabeça”, disse o oficial da Station House, Malik Zafar Iqbal.”

— “Bangladesh: Terra Dos Ataques Com Ácido “Desenfreados” —Bangladesh: Land of “rampant” acid attacks

“Seu pai costumava colocar gotas de ácido em partes de seu corpo todos os dias”

“Ele também costumava alimentá-la com ácido. Afinal, ele queria um filho. Para demonstrar como os ataques de ácido desenfreado contra mulheres e crianças são na maioria Muçulmana Bangladesh, considere o fato de que os país realmente tem um hospital Fundação de “Sobreviventes de Ácido”. Mas não se preocupe; como este relatório continua a sugerir, toda essa misoginia é um produto da “pobreza”. Não poderia ter nada a ver com a misoginia intrínseca do Islã, — que se manifesta nas manchetes diárias, — ou poderia?

— “Dois Jihadistas Acusados De Ataque De Ácido Contra Meninas Britânicas Em Zanzibar” — Two jihadis charged with acid attack on British girls in Zanzibar

“Mulheres andando ao redor sem ter tudo, exceto seus rostos e mãos cobertas: um pecado grave. Atirando ácido sobre essas mulheres: agradando Alá.

Dois suspeitos de terrorismo com ligações com os extremistas Islâmicos do Boko Haram apareceram no tribunal acusados de atirar ácido em duas adolescentes Britânicas de férias em Zanzibar.

Com a ajuda da Scotland Yard e da Interpol, dois membros do grupo Uamsho ou ‘Despertar’ foram presos e acusados pelas autoridades locais.

Os Londrinos Kirstie Trup e Katie Gee, ambos com 18 anos, ficaram com graves queimaduras depois que um estranho numa moto atirou ácido sobre os dois em 2013 ….”

— “Grã-Bretanha: Convertido Ao Islã Jogou Ácido Na Face Da Mãe De Seis, Deixando-A Desfigurada E Cega Em Um Olho” — UK: Convert to Islam threw acid in face of mother of six, leaving her disfigured and blind in one eye

“Durante anos temos visto mulheres que não foram pensadas para ser vestidas modestamente ou que se acreditava ter transgredido contra a honra da família, atacadas com ácido por Muçulmanos no Paquistão. Agora, o etos selvagens estão vindo para os países Ocidentais. Mas ninguém teria se atrevido a tentar conversar com Billal Kidd Mujahedin sobre a conversão ao Islã. Isso teria sido “Islamofóbico.

Carla pode estar cega. Ela teve um transplante de córnea, mas os médicos não “esperam” que ela consiga enxergar novamente.”

— “As 10 Principais Vítimas De Ataque Ácido No Irã – Um Vídeo De Anni Cyrus” — Top 10 Acid Attack Victims in Iran — an Anni Cyrus Video

“Anni discute as 10 principais vítimas de ataque ácido no Irã, pedindo-nos para nunca esquecê-las — e para refletir sobre a desumanidade que a Lei Islâmica gera para as mulheres.”

Nota: Infelizmente não tenho como traduzir este vídeo. Fica aqui o registro para quem quiser traduzi-lo. E para aqueles versados no Inglês que queiram assistir.

— “Palestinos” Ferem Cinco Israelenses Em Ataques Com Ácido“Palestinian” wounds five Israelis in acid attack

“Um homem Israelense parou para dar carona a um Palestino. É assim que a bondade infiel é retribuída pelos jihadistas Islâmicos.”

— “Paquistão: Muçulmanos Atacam As Filhas Com Ácido Por Se Recusarem A Casar Com Homens Que Ele Escolheu Para Elas” — Pakistan: Muslim attacks step-daughters with acid for refusing to marry men he had chosen for them 

Alcorão 4:34 “Alá fez os homens superiores às mulheres porque Alá preferiu alguns a outros, e porque os homens gastam a sua riqueza para mantê-las. Portanto, as mulheres virtuosas são obedientes, e elas devem guardar as suas partes escondidas do mesmo modo que Alá as guarda. Com respeito às mulheres que você receie irão se rebelar, chame a atenção delas primeiro, e depois as mande para uma cama separada, e então bata nelas…”

— “Afeganistão: Garotas Estudantes Sem Burca Pulverizadas Com Ácido” — Afghanistan: Non-burqa wearing school-girls sprayed with acid 

“Três estudantes Afegãs sofreram graves queimaduras quando os agressores pulverizaram ácido em seus rostos enquanto caminhavam para a escola. Dois homens montados numa motocicleta atacaram um grupo de 15 meninas com uma pistola de água cheia de ácido na cidade de Kandahar, Sul, deixando seis necessitando de tratamento hospitalar, três delas por ferimentos graves.”


Bem, é o bastante. Esse material mostra a realidade e não a fantasia do “The Guardian” entre outros da “grande mídia”. Fica claro aqui a estupidez que a esquerda etc., entre outras mazelas mais, estão impondo à sociedade, quando o que precisa ser dito é abafado pela hipocrisia.

Tenho pena dessas pessoas, inclusive, obviamente, das Muçulmanas que tiveram o rosto deformado por esses verdadeiros monstros, agentes do mal. Muitas ficaram cegas. Uma tristeza imensa.

Resolvi desde o início não expor fotografias dessas mulhres e meninas, por respeito. Não sei se estou certo, mas é assim que eu sinto.

Fica aqui a minha humilde solidariedade a todas elas, indistintamente.  Isso deixa qualquer um com o coração apertado e com lágrimas nos olhos.

Enquanto isso, muitos continuam soltos, ocultos e em ascensão.


Ex-Jihadista Convertida Ao Cristianismo Evangélico Alerta Sobre A Jihad Educacional Contra O Ocidente

Fonte/Source: Former jihadist turned Christian evangelist warns of educational jihad against West

Ex-Jihadista Convertida Ao Cristianismo Evangélico Alerta Sobre A Jihad Educacional Contra O Ocidente

Por CHRISTINE WILLIAMS

15 de Março de 2017

Uma ex-Muçulmana radical convertida ao Cristianismo Evangélico está alertando o Ocidente sobre uma outra forma de jihad que está sendo travada no fronte da educação.

Isik Abla “mencionou outros quatro tipos de jihad — educação, população, mídia e jihad econômica” e revelou que “foi recrutada pelo seu primeiro marido Muçulmano para promover a jihad educacional”.

Os avisos de Abla emergem de sua primeira experiência, e tais advertências vêm de outros também. Existe um bloqueio mental na mente dos Ocidentais que foram culturalmente condicionados a aceitar a diversidade sem questionar, agravado por políticos que procuram o voto Muçulmano. O avanço da “jihad populacional” serve aos interesses dos políticos que procuram seu próprio auto engrandecimento sobre o bem-estar dos cidadãos. Não é de admirar que as portas à imigração sejam abertas indiscriminadamente por políticos de esquerda, à medida que se agarram desesperadamente ao poder.

Tornou-se muito amplamente aceito que questionar o Islã significa racismo e/ou “islamofobia”. Essa noção precisa ser rejeitada categoricamente. A lei Islâmica exige que o Islã não seja questionado. Aceitar que a liberdade de expressão deva ser restringida de qualquer forma para atender a sensibilidade Muçulmana abre o Ocidente para uma lenta subjugação pela Sharia.

Ex-radical Muçulmana convertida ao Cristianismo Evangélico alerta para a Jihad educacional que busca Islamizar o Ocidente“, por Hazel Torres, Christianity Today, 13 de Março de 2017:

Uma ex-Muçulmana radical convertida ao Cristianismo Evangélico está alertando o Ocidente para um outra forma de jihad que está sendo travada no fronte da educação.

Isik Abla disse ao The Christian Post na semana passada que miionários fanáticos Muçulmanos estão enviando estudantes jihadistas para a América entre outros países Ocidentais para infiltrarem-se nas melhores universidades do mundo como parte do objetivo final do seu grupo de Islamizar o Ocidente.

Explicou que existem diferentes tipos de jihad. Além da jihad física, que é o uso da força para matar e conquistar os “infiéis”, Abla mencionou outros quatro tipos de jihad — educação, população, mídia e jihad econômica.

“Estamos vendo esses… tipos de jihad integrados no mundo Ocidental de hoje”, disse ela ao Proclaim 17, NRB International Christian Media Convention em Orlando, Flórida.

Abla disse que ela mesma foi recrutada pelo seu primeiro marido Muçulmano para promover a jihad educacional .

“A jihad educacional paga a taxa de matrícula dos estudantes para enviá-los a faculdades e universidades de prestígio” no Ocidente, como Harvard, Princeton e Yale, explicou Abla, de nacionalidade Turca.

Disse que o objetivo é colocar os jihadistas “no alto escalão do poder para ditar o que precisa acontecer no mundo Ocidental e Islamizar o mundo Ocidental”.

Abla disse que acordou ao perceber que estava sendo usada pelos extremistas Islâmicos para promover sua própria agenda quando fugiu da Turquia para a América para escapar de dois casamentos extremamente violentos.

Disse que, só quando começou a trabalhar com um empregador Cristão na América é que aconteceu dela encontrar Jesus.

“No dia em que eu ia me matar, cometer suicídio, Jesus Cristo revelou-se a mim de maneira milagrosa mudando completamente minha vida”, disse Abla, que agora é uma ministra Evangélica ordenada.

Escrevendo na página do Facebook de seus ministérios, Abla disse: “Eu não tinha identidade e nenhum valor próprio até conhecer Jesus!”

“Jesus me mostrou que fui criada para ser, e quão preciosa eu era para Ele. Essa revelação mudou a minha vida!”, e escreveu. “Como Muçulmana, eu era inferior aos homens.”


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

GEERT WILDERS

GEERT WILDERS

Por Tião Cazeiro

15 de Março de 2017

O G1-Mundo da Globo.com publicou um artigo intitulado “Líder da Ultradireita da Holanda chama Maomé de “senhor da guerra”‘ e “pedófilo”; por Agencia EFE.

Um título no mínimo curioso. Perceba o jogo de palavras, ‘Ultradireita’ com a primeira letra maiúscula e ‘senhor da guerra e pedófilo’ com a primeira letra minúscula. Dois pesos e duas medidas.

Ultradireita, extrema direita, Hitler, radical etc. Vemos isso o tempo todo na ‘grande mídia’ a respeitos de vários políticos que não se alinham com a esquerda. E o pior, não condiz com a realidade. Dizer que Geert Wilders é “Ultradireita” porque critica o Islã é sacanagem pura. Entretanto, não dizem que ele é um homem inteligente, muito corajoso, que diz a verdade e está tentando ajudar o seu país. Um homem honesto consigo mesmo e realista. Um homem que não rejeita os Muçulmanos e sim o Islã, o Islã Político.

Geert Wilders está sendo tratado pelo G1 (Agencia EFE) da mesma forma que Donald Trump foi por alguns colunistas Brasileiros quando o compararam a Hitler. Resultado, Trump ganhou as eleições e está fazendo um grande trabalho, completamente distante do Obozo e sua gangue. E a mídia ficou pra trás como fábrica de “fakenews” assistindo apavorada a audiência despencar dia após dia.

Supondo que Geert Wilders tenha realmente dito isso, ou seja, “senhor da guerra e pedófilo”, vamos ver se ele tem ou não razão:

O livro “Sobre o Islã” escrito pelo jornalista e sociólogo Ali kamel — Diretor Geral de Jornalismo e Esportes da TV Globo e colunista do jornal O Globo diz o seguinte:

Aliás, esse livro conta com o polêmico jornalista Reinaldo Azevedo na contracapa, dando uma ‘forcinha’ ao colega com o seguinte texto:

Ali Kamel é um jornalista ousado, dos mais competentes que conheço, dono de um texto primoroso e de um desassombro intelectual invulgar

Muito bem, mas vamos ver o que o “desassombro intelectual invulgar” apresenta em seu livro:

Um muçulmano não tem nenhuma nacionalidade senão a sua crença” —Pagina 183

Corretíssimo! E confirma o que Tamimi, um Muçulmano “radical” estacionado na Inglaterra disse: “Somos Muçulmanos na Europa e não Muçulmanos Europeus”. Assim, logicamente, podemos dizer que: “Não existem Muçulmanos Brasileiros e sim Muçulmanos no Brasil”. Correto?

Parece bobagem, coisa de bêbado, mas implica na não assimilação ou convivência Muçulmana com a sociedade Brasileira. A imposição ou a troca da Constituição Brasileira pela lei Sharia é um objetivo real e —não se engane — faz parte da agenda Islâmica no Brasil, o qual a esquerda e alguns veículos de comunicação estão empenhados em abrir caminho para que isso aconteça. Isso já é conhecido, não é uma informação extraterrestre.

Outro trecho desse livro que me surpreende muito é o fato do “desassombro intelectual invulgar” ter mencionado na página 88 que:

Maomé se casara com Ayishah quando ela ainda tinha seis anos de idade, mas o casamento, claro, só se consumou quando ela atingiu a maturidade.” [Ênfase adicionada].

Pois este é um dos pontos ou talvez o principal, que constrange sérios scholars ao redor do mundo e que até hoje gera polêmica de alta voltagem e desconfiança sobre profeta do Islã.

Muhammad na verdade casou-se com Aisha (ou Ayishah) quando ela era uma menina de 6 anos e consumou o casamento quando ela completou 9 anos de idade.  Há quem diga que antes. Isso é pedofilia? Questão de contexto, coisa da época? Uma menina de 9 anos com um homem de 50 e poucos? Isso não abala a reputação de um profeta? E por que o autor omitiu a verdade, inclusive com um afirmativo e sonoro “claro”? Têm tanta certeza assim? Isso constrange o autor? Ou não sabia? Maturidade aos 9 anos de idade?

É fato também de que o crescimento vertiginoso do Islã no mundo é devido as altíssimas taxas de natalidade e por isso é permitido o casamento infantil; poligamia; estupros em massa, o qual é dito pelos próprios como “isso faz parte da nossa cultura“.

Portanto, o que dizer de Geert Wilders, o “Ultradireita” que chamou Muhammad de ‘senhor da guerra’ e ‘pedófilo’ quando vemos que um diretor da Globo omite a idade de Aisha, um fato escrito nos ahadith e relatado pelo famosíssimo Muçulmano Bukhari (Tabari), quando a própria menina Aisha diz assim: “O Mensageiro de Deus (sic) casou comigo quando eu tinha sete anos; Meu casamento foi consumado quando eu tinha nove anos.” (P.170).

Nota: A maioria falam em 6 entretanto a menina Aisha diz que foi aos 7 anos. Outra coisa, isto não é desrespeito a tradição Islâmica, é a própria história do Islã e discutido mundialmente por todos os scholars além de estar escrito nos ahadith, os quais podem ser lidos por todos os interessados.

Com relação ao ‘senhor da guerra’, o próprio Muhammd disse: “Eu fui feito vitorioso pelo terror.” — Muhammad/Maomé — (Bukhari, 52:220)

Veja também…

“Sira, p. 463-4: Em seguida, renderam {a tribo de Quraiza}, e o Apóstolo (Muhammad) limitou-os em Medina, no bairro de d. al-Harith, uma mulher de Bani al-Najjar. Depois disso o Apóstolo saiu para o mercado de Medina e cavou trincheiras nele. Então ele os enviou e decapitou as suas cabeças nas trincheiras que foram trazidas para fora diante dele em lotes. Entre eles estava o inimigo de Alá Huyayy bin Akhtab e Kab bin Asad, chefe deles. Havia 600 ou 700 ao todo, embora alguns registram de 800 a 900. Como eles estavam sendo levados para fora em lotes para o Apóstolo (Muhammad) perguntaram a Kab o que ele pensou que seria feito com eles. Ele respondeu “Você não percebe? Não vê que a soma nunca para e aqueles que são levados jamais retornam? Por Alá isso é a morte!” E continuou até que o Apóstolo (Muhammad) fizesse um sinal a eles. — Islã 101 — A Guerra do Islã Contra o Mundo

Muhammad é visto sim como o ‘senhor da guerra’. Isto é dito por todos os estudiosos. Basta assistir a este maravilhoso trabalho elaborado pelo Dr. Bill Warner, Diretor e Fundador do Political Islam onde mostra as batalhas inspiradas em Muhammad, o senhor da guerra,  que quase liquidou com a civilização Clássica. Assista, você vai se surpreender.

Vídeo legendado em Português e traduzido pelo excelente blog Lei Islâmica em Ação

E por último, eis aqui mais um texto interessante do livro Sobre o Islã do jornalista Ali Kamel:

Num mundo como o de hoje, cada vez mais gente deseja agir como Jehoshua e Tarfon, Abraão e Jó e Muhammad (Maomé). E eu tenho para mim que, quanto mais gente assim o fizer, mais harmonia haverá. Isso de modo algum afasta o mundo da religião“. Página 171.

Estou impressionado com o “desassombro intelectual invulgar” de Ali Kamel. O polêmico Jornalista Reynaldo Azevedo devia estar iluminadíssimo quando escreveu para a contracapa do livro.

Estou impressionado também com o que fazem com os leitores, com a desinformação por conta de uma agenda Islâmica para o Brasil. É uma vergonha tratar um político, um homem de bem, que está ameaçado de morte, com fatwas entre outras coisas bárbaras sobre seus ombros, que vive escoltado, que teve que dormir em quartéis com sua esposa para não ser estraçalhado por selvagens que não sabem o que é liberdade de expressão e de pensamento crítico.

Geert Wilders é um homem corajoso e o Brasil deveria ouvir o que ele tem a dizer.