Arquivo da tag: Trump

NYC: MUÇULMANOS REZAM NAS RUAS E FECHAM SUPERMERCADOS EM PROTESTO CONTRA A PROIBIÇÃO DE VIAJAR DO TRUMP

Fonte/Source: NYC: Muslims pray in the streets and close grocery stores to protest Trump’s travel ban – The Geller Report

NYC: MUÇULMANOS REZAM NAS RUAS E FECHAM SUPERMERCADOS EM PROTESTO CONTRA PROIBIÇÃO DE VIAJAR DO TRUMP

Por Pamela Geller

3 de Fevereiro de 2017

Alguns dos manifestantes estavam gritando “Allahu akbar”. Eles querem fazer de Nova York uma Sana’a? Qual é o propósito dessas manifestações, se não intimidar as pessoas a pensarem que é errado resistir à imigração Muçulmana maciça e irrestrita e ao próprio terror da jihad?

Se os Muçulmanos nos Estados Unidos são tão bem assimilados, por que todo esse ressentimento partidário, reclamações, processos judiciais e demandas por acomodação, etc.? Sem mencionar o ódio Islâmico aos Judeus e o apoio por uma guerra contra Israel.

A única diferença entre a América e a Europa é o número de Muçulmanos. Quanto maior a população Muçulmana, mais restritiva, hostil e violenta será — mais informações sobre a imigração Muçulmana aqui.

Centenas rezam nas ruas e fecham supermercados em protesto contra a proibição de viajar de Trump”, por Will Kirby, Express, 3 de fevereiro de 2017:

Mais de mil proprietários de lojas Americanas Iemenitas fecharam seus negócios hoje e viajaram para Brookyn Borough Hall para rezar, protestar e dar apoio aos afetados pela controversa proibição de viagem do presidente Trump.

O qual está sendo descrito como a ‘Greve de Bodega‘, milhares de imigrantes Iemenitas estão se manifestando contra a proibição de entrada em grande escala nos EUA por Trump.

A palavra Espanhola “Bodega” é literalmente traduzida como “loja de vinhos” e é uma gíria usada em Nova York para lojas de conveniência, e os organizadores da greve afirmam que há cerca de 6.000 Bodegas de propriedade Iemenita em toda a cidade.

Os fechamentos começaram ao meio-dia (5.00pm GMT) e continuarão por oito horas.

Uma página no Facebook criada para a greve afirma: “O fechamento das mercearias e bodegas será um show público para mostrar o papel vital que esses merceeiros e suas famílias desempenham no tecido econômico e social de Nova York.

“Durante este período, os proprietários de supermercados irão passar um tempo com suas famílias e entes queridos para apoiarem uns aos outros; Muitas dessas famílias foram diretamente afetadas pela proibição “.

O Presidente Trump assinou uma ordem executiva proibindo a imigração para os EUA de sete países “Muçulmanos”. Isso levou a protestos em toda a América e, agora no Reino Unido.

Debbie Almontaser, organizadora de greve e membro do Conselho da Rede de Comunidade Muçulmana, disse: “Originalmente, nós consideramos começar o fechamento às 8 da manhã, mas os merceeiros deixaram claro que não estariam dispostos a fecharem se isso significasse que seus clientes regulares ficariam sem o seu café da manhã.

“Mesmo quando suas vidas foram viradas de cabeça para baixo, se recusaram a interromper as vidas das mesmas pessoas que servem diariamente.”

Sulaiman Alaodyi, de 24 anos, que trabalha no caixa da Best and Tasty Deli, no bairro do Bronx, disse que esta foi a primeira vez que a loja fechou suas portas desde que foi inaugurada há nove meses.

“Queremos enviar uma mensagem de que estamos aqui.

“Nós vamos sair e apoiar todos os nossos irmãos e irmãs que estão detidos em aeroportos e em outros países que não podem voltar.

“Isso não é justo.”…


Pamela Geller é Presidente da American Freedom Defense Initiative (AFDI), Editora da PamelaGeller.com e Autora do livro: The Post-American Presidency: A Guerra de Obama na América e Parar a Islamização da América: Um Guia Prático para a Resistência.


Anúncios

OBAMA LIBEROU US$ 221 MILHÕES AOS PALESTINOS NAS ÚLTIMAS HORAS

Fonte/Source: Report: Obama Gave $221 Million to Palestinians in Last Hours


OBAMA LIBEROU US$ 221 MILHÕES AOS PALESTINOS NAS ÚLTIMAS HORAS

on the West Front of the U.S. Capitol on January 20, 2017 in Washington, DC. In today's inauguration ceremony Donald J. Trump becomes the 45th president of the United States.
Na frente Ocidental do Capitólio dos EUA em 20 de Janeiro de 2017 em Washington, DC. Na cerimônia de inauguração de hoje, Donald J. Trump se torna o 45º presidente dos Estados Unidos.

Por JOEL B. POLLAK

23 de Janeiro de 2017

A Associated Press informou na Segunda-feira que o ex-Presidente Barack Obama liberou US$ 221 milhões em financiamento Americano para a Autoridade Palestina na manhã de Sexta-feira, 20 de Janeiro — poucas horas antes dele deixar o cargo.

Detalhes da AP:

Um funcionário do Departamento de Estado e vários assessores do Congresso dizem que a administração cessante informou formalmente ao Congresso que gastaria o dinheiro na Sexta-feira de manhã, pouco antes de Donald Trump se tornar presidente.

Mais de US$ 227 milhões em financiamento à assuntos externos foram liberados na época, incluindo US$ 4 milhões destinados a programas de mudança climática e US$ 1,25 milhões para organizações da ONU.

Pelo menos dois legisladores do Partido Republicano questionaram e suspenderam os fundos aos Palestinos. Questionamentos do Congresso são geralmente respeitados pelo poder Executivo, mas não são juridicamente vinculativos.

Esta não foi a primeira vez que Obama concedeu fundos à Autoridade Palestina, contrariando o Congresso. Em 2012, por exemplo, desbloqueou quase US$ 200 milhões que foram congelados em resposta às ações unilaterais dos Palestinos nas Nações Unidas, usando uma renúncia legal incluída na Lei de Responsabilidade Civil Palestina.

Os Republicanos têm exigido cada vez mais o bloqueio ou o cancelamento de fundos destinados à Autoridade Palestina, não só por causa de movimentos diplomáticos unilaterais em direção a um estado independente, mas também por evidências crescentes de que os fundos são usados ​​para incitar a violência e proporcionar recompensas financeiras aos terroristas.

A Autoridade Palestiniana prevê indenizações às famílias de prisioneiros terroristas encarcerados em prisões Israelitas, bem como àqueles que se mataram em ataques contra civis Israelitas. O total alocado pelo orçamento da Autoridade Palestina destinados à “Proteção das Famílias dos Mártires” era de cerca de 175 milhões de dólares em 2016 e um montante adicional de 140 milhões de dólares seria atribuído aos pagamentos a prisioneiros e ex-prisioneiros.

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, também estava entre os primeiros líderes mundiais que o presidente Obama convocou depois de assumir o cargo em Janeiro de 2009.

Joel B. Pollak é Editor Sênior na Breitbart News. Foi nomeado como umas das “mais influentes” pessoas nos meios de comunicação em 2016. Seu novo livro, COMO TRUMP VENCEU: A HISTÓRIA REAL DE UMA REVOLUÇÃO,  já está disponível através da Regnery. Siga-o no Twitter no @joelpollak.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis

STREISAND: “SEM NOÇÃO, IMPRUDENTE, SEM GRAÇA, ESTÚPIDO E SEM CORAÇÃO: NOSSO PRESIDENTE ELEITO.

Fonte/Source: Streisand: Trump ‘Clueless, Reckless, Graceless, Heartless’


STREISAND: “SEM NOÇÃO, IMPRUDENTE, SEM GRAÇA, ESTÚPIDO E SEM CORAÇÃO: NOSSO PRESIDENTE ELEITO”

Por Breitbart News

Na véspera da inauguração do Presidente eleito Donald Trump, a cantora Barbra Streisand escreveu um ensaio para o Huffington Post, no qual relata que “não pode respeitar” o novo Presidente e está “profundamente preocupada” com a direção do país.

Streisand escreveu no Huffington Post:

Houveram gigantes que serviram como Presidente: George Washington ajudou a fundar o país; Abraham Lincoln libertou os Escravos; Teddy Roosevelt estabeleceu os parques nacionais; Franklin Roosevelt nos tirou da Grande Depressão e derrotou o Fascismo; Lyndon Johnson estabeleceu Medicare; Bill Clinton deu à nação um superávit orçamentário; E Barack Obama forneceu o acesso ao Seguro Saúde (Obamacare) para todos os Americanos.

Agora esperamos Donald Trump, e estou profundamente preocupada com o nosso país e com o mundo. Ele demonstrou que é perigoso e impróprio para o cargo. Ele entende a magnitude do trabalho? Será que ele só quer ser Presidente para obter o mesmo que o Presidente Obama, que uma vez fez piadas sobre ele num jantar de Correspondentes na Casa Branca? Ele quer se livrar do Obamacare apenas por causa do nome?

Ele não apenas traz políticas econômicas com as quais eu discordo, ou uma abordagem para o financiamento de saúde que poderia ferir milhões de pessoas. Isto não é simplesmente uma questão de Republicano versus Democrático. Esse é um homem que, em registro e muitas vezes em vídeo, desprezou ou descaradamente ridicularizou as mulheres, imigrantes, deficientes entre outros. Ele perdeu o voto popular por quase três milhões de votos, e ainda não consegue entender que a obrigação do Presidente é pelo menos tentar unir e respeitar todos os Americanos.

Tenho grande respeito pelos políticos experientes que serviram a nossa nação com sincero respeito para melhorar e proteger a República, mesmo aqueles com quem muitas vezes discordei. No entanto, não posso respeitar um machista, racista, xenófobo que nos coloca em risco com o seu comportamento.


Tradução: Tião Cazeiro — Muhammad e os Sufis